KISS - LOVE GUN (1977)


Love Gun é o sexto álbum de estúdio da banda norte-americana chamada KISS. Seu lançamento oficial aconteceu em 30 de junho de 1977 através do selo Casablanca. As gravações ocorreram em maio de 1977, no Record Plant Studios, em New York City, Estados Unidos. A produção ficou por conta de Eddie Kramer e da própria banda.

Mais uma vez o KISS retorna ao RAC com outro de seus álbuns fundamentais. Nossos outros posts sobre a banda você pode encontrar aqui.


Rock and Roll Over

O quinto álbum de estúdio do KISS, Rock and Roll Over, foi lançado oficialmente em 11 de novembro de 1976.

O álbum fez sucesso comercial e conseguiu seu principal objetivo, manter a trajetória ascendente da banda iniciada com o ao vivo Alive!, de 1975, e mantida por Destroyer, de 1976.

Rock and Roll Over atingiu a ótima 11ª posição da principal parada norte-americana, permanecendo na mesma por 47 semanas consecutivas.

O ano de 1976 acabou sendo muito especial para o grupo. Os dois discos lançados foram sucesso tanto de público quanto de crítica, além de brilharem comercialmente.

O grupo começou a aparecer frequentemente nas TV’s norte-americanas, ou seja, expandindo sua imagem para um público muito maior e criando uma verdadeira legião de fãs.

Foi nesta época que a banda conheceu o empresário Bill Aucoin, o qual passa a gerenciar os negócios do KISS, incluindo todos os produtos que seriam lançadas com a marca do conjunto.

Além disso, também foi nestes tempos nos quais foi criado o KISS Army, que funciona praticamente como um fã clube mundial do grupo, sendo um verdadeiro exército de fanáticos pelo conjunto, espalhados por todo o planeta.

Ace Frehley

Ademais, o KISS Army faz o trabalho de divulgação e promoção do grupo, produzindo material como fanzines, camisetas, faixas; enfim, comercializar todo tipo de souvenir que os fãs adoram.

Love Gun

Em maio de 1977, o grupo volta a Nova Iorque para trabalhar em seu próximo álbum de estúdio, no Record Plant Studios.

O produtor seria novamente Eddie Kramer, o qual já havia produzido o disco anterior, Rock and Roll Over. Mas, deita feita, o próprio KISS também se envolveria neste tipo de ação.

Love Gun se tornaria notável por ser o primeiro álbum do KISS a apresentar uma canção com vocal principal do guitarrista Ace Frehley, tornando-se o primeiro disco do conjunto a conter vocais principais de todos os quatro membros da banda.

Foi também o último álbum de estúdio a apresentar o baterista Peter Criss em todas as músicas, já que ele foi substituído pelo baterista de estúdio, Anton Fig, em todas as canções, exceto uma, no disco seguinte, Dynasty, de 1979.

A capa do álbum foi pintada pelo artista Ken Kelly, o qual anteriormente contribuiu com a capa de Destroyer. (Nota do Blog: Ken W. Kelly é um artista norte-americano de fantasia. Ao longo de 30 anos de sua carreira, ele se concentrou, em particular, em pinturas de espada e feitiçaria e subgêneros de fantasia heroica. Entre seus trabalhos mais famosos estão Conan o Bárbaro, Tarzan e os grupos de rock KISS, Manowar, Sleepy Hollow, Rainbow e Ace Frehley).

Peter Criss

Um cartão montável com a capa de ‘Love Gun’ foi incluído dentro do LP original, junto com um formulário de pedido de mercadoria do KISS.

Antes mesmo que Love Gun fosse concluído, uma pesquisa Gallup indicou que o KISS era a banda mais popular nos Estados Unidos, batendo Aerosmith, Led Zeppelin e Eagles.

Vamos às faixas:

I STOLE YOUR LOVE

Um riff pesado e bem encorpado é a base da primeira faixa de Love Gun. O ritmo é cadenciado e a melodia possui aquela dose sempre bem-vinda de malícia. Boa presença da guitarra de Ace Frehley e ótimos vocais de Paul Stanley. Um rock bem convincente.

A letra fala sobre uma garota:

You never stop runnin' around
You pick me up, then you could still put me down
You were the girl that nobody could own
Stay for a while, then you would leave me alone

Os vocais desta canção são feitos por Paul Stanley. O vocalista, o qual compôs esta canção, afirmou que sua inspiração veio da clássica faixa “Burn”, do Deep Purple.



CHRISTINE SIXTEEN

O ritmo segue cadenciado e bem malemolente na segunda canção. O riff principal é muito bom e o piano, tocado pelo produtor Eddie Kramer, são partes importantes da composição. Vocais competentes de Gene Simmons completam um clássico do KISS. 

A letra possui claro sentido sexual:

She's' been around, but she's young and clean
I've got to have her, can't live without her, whoo no
Christine sixteen, Christine sixteen


“Christine Sixteen” foi lançada como single, atingindo a 25ª posição da principal parada norte-americana desta natureza.

O baixista Gene Simmons é quem faz os vocais nesta canção.

A música é sobre um homem mais velho com uma paixão por uma menina de 16 anos chamada Christine.

Como o tema e a letra da música eram controversos, isto fez com que algumas estações de rádio ficassem com relutância em colocá-la em suas listas de reprodução, enquanto outras só a tocavam depois das 7 horas da noite.

O título da música foi criado pelo vocalista, Paul Stanley, que estava planejando escrever uma música sobre o título, até que Simmons a tomou para si.

De acordo com entrevistas na revista norte-americana Guitar World, Eddie e Alex Van Halen tocaram as demos originais de “Christine Sixteen”.

As bandas Gin Blossoms e All já gravaram versões para este clássico do KISS.



GOT LOVE FOR SALE

Já em "Got Love for Sale", o grupo continua com seu Hard Rock, o qual aposta em uma música simples, mas com muito swing e um ritmo cativante. A guitarra de Ace Frehley se mantém como destaque da faixa e a seção rítmica constrói um balanço empolgante. Ótima canção.

A letra fala sobre desejo:

You buy the magazine, in between the lines
You see my face, you read my name
And you can have me for one price, baby
You must have heard of my fee
You know you need me, I know you want me
'cause I'm a living cross your heart man
You've got to have me, can't live without me
'cause I'm the one and only yes I am

O baixista Gene Simmons é quem faz os vocais desta canção.



SHOCK ME

A ótima "Shock Me" não tem um riff tão marcante, mas as guitarras são onipresentes, dando peso e intensidade à composição, em uma construção muito interessante. Os vocais de Ace Frehley deixam um pouco a desejar, pois soam tímidos, mas seu solo de guitarra é incrivelmente empolgante. Mais um ótimo momento do álbum.

A letra é puro duplo sentido:

Your lightnin's all I need
My satisfaction grows
You make me feel at ease
You even make me glow
Don't cut the power on me
I'm feelin' low, so get me high

Quem faz os vocais da canção é o guitarrista Ace Frehley.

A música foi inspirada por um evento que aconteceu durante a turnê Rock and Roll Over, quando ele quase foi eletrocutado.

Em 12 de dezembro de 1976, o KISS fez um show no Lakeland Civic Center, em Lakeland, Flórida, nos EUA. Durante o número de abertura, Frehley tocou em uma grade de uma escada metálica, que não estava isolada eletricamente.

Ele foi derrubado ao chão, e o show foi adiado por 30 minutos. O show acabou sendo concluído, e Frehley alegou ter perdido a sensação em sua mão pelo restante do concerto.

Frehley apresentou “Shock Me” para o KISS já na sua forma completa. De acordo com Gene Simmons, o resto da banda não esteve envolvido no arranjo da música. Embora Frehley tenha escrito uma série de músicas do KISS anteriormente, esta foi a primeira vez que fez os vocais.

Originalmente, Frehley havia pensado na faixa com Gene Simmons nos vocais, mas o baixista encorajou Ace a cantá-la.

A música tornou-se uma ‘canção-tema’ para a banda. Frehley, que estava inseguro sobre o seu canto, gravou seus vocais enquanto estava deitado no chão. A canção aparece no ao vivo Alive II, de 1977, e em diferentes coletâneas, como na Gold, de 2005.

“Shock Me” foi adicionada ao setlist do conjunto, começando com a turnê de Love Gun. O solo de guitarra de Frehley, anteriormente realizado durante “She” e depois em “Cold Gin”, foi adicionado à música.

A canção foi retirada do setlist depois da turnê Alive II, de 1977 a 1978. O KISS não apresentou a música novamente até Frehley retornar ao grupo para a turnê Alive/Worldwide de 1996 a 1997.

Desde a partida definitiva de Frehley, o KISS continuou a tocar a música ao vivo, com Tommy Thayer nos vocais principais até que foi retirada novamente do setlist em 2012, em favor de sua própria canção, “Outta This World”.

Em 2009, a revista norte-americana Guitar World, colocou “Shock Me” na 50ª colocação de sua lista 100 Greatest Guitar Solos Ever.



TOMORROW AND TONIGHT

"Tomorrow and Tonight" é uma típica canção dos primeiros anos da banda. Rápida, intensa, empolgante e com a musicalidade a qual flerta com o Hard e o Heavy, mas, simultaneamente, com muita malícia e swing. Excelentes os vocais de Paul Stanley e o solo de guitarra de Ace Frehley.

A letra possui um caráter festivo:

Are you happy, baby, I've been waitin'
Are you ready, to do it again
Are you comin', now don't be hesitatin'
'Cause you know the night is never gonna end

Os vocais da música são feitos por Paul Stanley.

A música foi composta para tentar recapturar a sensação do clássico “Rock and Roll All Nite”, mas nunca alcançou o sucesso da original. Uma gravação de som da música aparece no ao vivo Alive II.



LOVE GUN

O riff principal de "Love Gun" é pesado e intenso, em um Hard Rock que flerta deliberadamente com o Heavy Metal da época. O baixo de Gene Simmons está mais presente, a guitarra de Ace Frehley aparece endiabrada e os vocais de Stanley são formidáveis. Uma das grandes músicas de toda a discografia do KISS. Genial!

A letra tem claro sentido sexual:

No place for hidin' baby
No place to run
You pull the trigger of my
Love gun, (love gun), love gun
Love gun, (love gun), love gun


Paul Stanley é quem canta aqui nesta faixa. Ele já afirmou que “Love Gun” é uma de suas músicas favoritas do KISS.

“Love Gun” foi lançada como single, alcançando a 61ª posição da principal parada norte-americana desta natureza.

Stanley também disse que a seção “The Hunter”, da música do Led Zeppelin “How Many More Times”, inspirou a letra de “Love Gun”.

Stanley toca o baixo, a guitarra-base, além de cantar e produzir a música.

“Love Gun” foi tocada em cada turnê do KISS desde o seu lançamento, e fez inúmeras aparições em álbuns de compilação.

Entre versões cover mais famosas estão as das bandas Stone Sour e Axel Rudi Pell. A faixa aparece nos filmes Detroit Rock City (1999) e Role Models (2008). Também está no game Guitar Hero: Warriors of Rock.



HOOLIGAN

"Hooligan" possui cadência, mas em nenhum momento perde seu peso Hard necessário. A guitarra de Frehley mantém a energia em alta voltagem e os vocais do baterista Peter Criss soam agressivos, casando-se perfeitamente com a sonoridade da canção.

A letra é sobre rebeldia juvenil:

I got a '35 Chevy on a '55 frame
Can't even spell my name
Dropped out of school when I was 22
What can I do to satisfy you

O baterista Peter Criss é quem faz os vocais nesta faixa.



ALMOST HUMAN

"Almost Human" possui uma sonoridade pesada, mas mais sombria, com o ritmo cadenciado contribuindo para criar um clima mais escurecido. O baixo de Simmons está mais evidente e Criss faz um bom trabalho nas baquetas. O destaque desta interessante música é a guitarra de Frehley.

A letra também é em teor sexual:

I'm very hungry
And you're what I'm thinkin' of
Ooh baby, baby, baby,
So hungry for your love

O baixista Gene Simmons é quem canta nesta canção.



PLASTER CASTER

Nesta faixa, Gene Simmons faz seus vocais mais agudos e o resultado fica mais agradável. A musicalidade é um Rock bem direto, simples, mas com a sonoridade maliciosa consagrada pela banda. O resultado final é bem legal.

A letra é novamente em teor sexual:

Plaster caster, grab a hold of me faster
And if you wanna see my love, just ask her
And my love is the plaster
And yeah, she's the collector
She wants me all the time to inject her

O baixista Gene Simmons faz os vocais na música.

A canção foi inspirada em Cynthia Plaster Caster, uma ex-groupie famosa por ranquear pênis de músicos de rock famosos, como Jimi Hendrix, bem como seios de artistas musicais femininas.



THEN SHE KISSED ME

A décima - e última - faixa de Love Gun é "Then She Kissed Me". A derradeira canção do álbum aposta em uma sonoridade um pouco mais contida e na qual se destacam os trabalhos de Criss na bateria e percussão. Os vocais de Stanley são ótimos e a guitarra, quando se torna protagonista, entretém.

A letra é romântica:

Well, she walked up to me
And she asked me if I wanted to dance
She looked kind of nice
And so I said I might take a chance
When we danced she held me tight
And when I walked her home that night
All the stars were shinin' bright
And then she kissed me

Paul Stanley faz os vocais nesta música. “Then She Kissed Me” foi lançada como single, mas não repercutiu nas principais paradas desta natureza.

“Then She Kissed Me” foi uma canção composta por Phil Spector, Ellie Greenwich e Jeff Barry, gravada e lançada (como single), pela primeira, pelo grupo feminino The Crystals, em 1963.



Considerações Finais

Love Gun continuou a manter a ascensão do KISS como um dos principais nomes do Rock na década de 70’s.

Em termos de paradas de sucesso o álbum atingiu a excelente 4ª posição da principal parada norte-americana desta natureza, embora não tenha repercutido em sua correspondente britânica. O disco ainda abocanhou os 3º, 6º e 13º lugares nas paradas de Canadá, Suécia e Austrália; respectivamente.

A crítica especializada, em sua maioria, recebeu positivamente o trabalho.

Greg Prato, do site AllMusic, em retrospectiva, dá uma nota 4,5 de um máximo possível de 5 a Love Gun. Ele atesta: “A abertura do álbum, “I Stole Your Love”, também serviu como o número de abertura na tour seguinte do KISS, enquanto “Christine Sixteen” é uma das poucas faixas do KISS a contar com o piano proeminente. “Almost Human” é um rock subestimado e apresenta um excelente solo de guitarra de Frehley a la Jimi Hendrix (sem dúvida devido ao ex-produtor de Hendrix, Eddie Kramer, reparando as tábuas novamente), enquanto “Plaster Caster” é um tributo à famosa groupie de mesmo nome”.

Um segundo álbum ao vivo, Alive II, foi lançado em 14 de outubro de 1977. Entre 1976 e 1978, o KISS ganhou 17,7 milhões de dólares com royalties e publicação de música.

No Japão, o KISS realizou cinco shows esgotados no Budokan Hall, de Tóquio, quebrando o recorde anterior de quatro apresentações, detido pelos Beatles.

Em maio de 1977, o KISS fez sua primeira aparição nas revistas em quadrinhos, em Howard the Duck, número 12, publicada pela Marvel Comics. Isso serviu como um precursor de muitos outros quadrinhos relacionados ao grupo, inicialmente publicados pela Marvel.

O primeiro álbum de compilação do KISS, Double Platinum, foi lançado em 2 de abril de 1978.

Este disco duplo incluiu muitas versões remixadas de seus sucessos, bem como “Strutter '78”, uma versão reescrita de uma música do primeiro álbum do grupo. A pedido de Neil Bogart, executivo da gravadora Casablanca, esta versão da música apresentou influência da fase disco.

Durante esse período, o merchandise do KISS tornou-se uma substancial fonte de renda para o grupo. Alguns dos produtos lançados incluíam quadrinhos emitidos pela Marvel (o primeiro contendo tinta misturada com o sangue real doado pelo grupo), uma máquina de pinball, bonecos, kits ‘Kiss Your Face Makeup’, máscaras de Halloween, jogos, lancheiras, cartões comerciais e muitas outras peças de memorabilia.

A adesão ao Kiss Army, o fã-clube da banda, estava nos seis dígitos. Entre 1977 e 1979, as vendas mundiais de mercadorias (na loja e em turnê) atingiram cerca de 100 milhões de dólares.

Love Gun supera a casa de 1 milhão de cópias vendidas.



Formação:
Paul Stanley - Vocal, Guitarra-Base, Baixo em 06, Guitarra-Solo em 01
Ace Frehley - Guitarra-Solo, Guitarra-Base em 01
Gene Simmons - Baixo, Guitarra-Base em 03, Vocal
Peter Criss - Bateria, Percussão
Músicos Adicionais:
Eddie Kramer - Piano em 02

Faixas:
01. I Stole Your Love (Stanley) - 3:04
02. Christine Sixteen (Simmons) - 3:14
03. Got Love for Sale (Simmons) - 3:29
04. Shock Me (Frehley) - 3:49
05. Tomorrow and Tonight (Stanley) - 3:40
06. Love Gun (Stanley) - 3:18
07. Hooligan (Criss/Penridge) - 3:01
08. Almost Human (Simmons) - 2:49
09. Plaster Caster (Simmons) - 3:27
10. Then She Kissed Me (Barry/Greenwich/Spector) - 3:02

Letras:
Para o conteúdo completo das letras, recomenda-se o acesso a: https://www.letras.mus.br/kiss/

Opinião do Blog:
O KISS retorna novamente ao RAC e dispensa maiores apresentações. É, sem dúvidas, uma das mais reconhecidas e famosas bandas que já passaram pelo planeta.

Em Love Gun, o grupo ainda possuía sua clássica formação original e colhia os frutos de sua fase mais criativa e inspirada, a qual criou álbuns clássicos incontestáveis como Destroyer e Rock and Roll Over.

E que não sobre questionamentos: Love Gun é desta mesma safra. Agressivo, malicioso e empolgante na mesma proporção.

A banda aparenta estar ainda mais confiante. Se não são músicos de técnica extraordinária, eles compensam sendo muito competentes no que se propõem a fazer: um Rock simples, quase sempre Hard, mas cheio de ritmo e malícia. Ace Frehley se destaca com solos empolgantes e riffs com muita energia.

Paul Stanley é, de longe, o melhor vocalista da banda, com uma voz poderosa e muito marcante. Gene Simmons usa sua voz mais contida, dando um ar mais aterrorizador às composições e o baterista Peter Criss canta bem em "Hooligan". Frehley ainda é tímido ao fazer os vocais em "Shock Me".

As letras são simples e divertidas.

Love Gun é um dos mais homogêneos álbuns da discografia do KISS, Não há faixas medianas, todas são no mínimo boas e fãs deste tipo de música terão enorme satisfação em ouvi-lo. O site pensa que o disco é, muitas vezes, subestimado dentro da discografia do conjunto, não tendo todo o seu reconhecimento merecido.

Algumas porradas bem Hard Rock merecem destaque pelo seu poder e ritmo envolvente como "I Stole your Love", "Got Love for Sale" e a incrível "Shock Me", que seria ainda mais incrível na voz de Stanley.

Mas as preferidas do RAC são a clássica "Christine Sixteen" e a magnífica faixa-título, "Love Gun", uma das mais sensacionais músicas de toda a história do KISS.

Enfim, Love Gun é outro álbum clássico da mais prolífica e empolgante fase do KISS, representante importantíssimo do auge do grupo nos anos 70. Sem canções desnecessárias ou de enchimento, Love Gun é um disco obrigatório de uma das bandas mais carismáticas e queridas da história: o KISS.

2 Comentários

  1. Meu primeiro album comprado com o meu próprio dinheiro no natal de 77. A minha predileta é Plaster Caster. O KISS realmente em seu melhor momento. Porém, uma pergunta: Ace não é o vocal em Cold Gin, no primeiro álbum da banda - KISS - de 73?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Cold Gin" foi composta por Ace Frehley, mas é cantada pelo Simmons. Valeu pelo comentário.

      Excluir