MOTÖRHEAD - OVERKILL (1979)



Overkill é um álbum de estúdio da banda inglesa Motörhead. Ele foi lançado em 24 de março de 1979. Sua produção ficou a cargo de Jimmy Miller (famoso produtor que trabalhou com o Rolling Stones) e foi gravado entre dezembro de 1978 e janeiro de 1979, no Roundhouse Studios, em Londres, na Inglaterra.

Overkill foi, na verdade, o terceiro álbum a ser gravado pelo Motörhead, mas o segundo a ser lançado. Motörhead, o álbum, de 1977, foi o segundo álbum a ser gravado, mas o primeiro a ser lançado e foi com o seu relativo sucesso que a banda conseguiu um contrato com a Bronze Recordes e lançar o álbum On Parole, o primeiro a ser gravado (1976), mas o quarto a ser lançado, somente em 1979.

O Motörhead foi a banda formada por Ian Fraser Kilmister, mais conhecido como Lemmy Kilmister, após ter sido demitido do grupo em que fazia parte, o Hawkind, que faria uma turnê pela América do Norte em 1975, mas teve parte dela cancelada pelo fato de Lemmy ter sido preso na fronteira do Canadá, portando drogas. Lemmy passou 5 dias na cadeia acusado de portar cocaína, entretanto se tratava de anfetaminas.

Aliás, o nome Motörhead é uma gíria pela qual os viciados em anfetaminas são conhecidos.

Embora o Motörhead tenha ficado conhecido como uma das bandas pioneiras da famosa New Wave Of British Heavy Metal, Lemmy rechaça qualquer tipo de rótulo sobre a sonoridade de sua banda. Ele costuma abrir seus shows com a frase: "We are Motörhead. We play rock and roll." (traduzindo: Nós somos o Motörhead. Nós tocamos rock and roll).

Voltando ao pré-lançamento de Overkill, o Motörhead tinha conquistado algum sucesso através do lançamento anterior de dois singles: um deles, o da música “Motörhead”, que promovia o álbum homônimo lançado em 1978. O outro single era um cover da música “Louie Louie”, de Richard Berry.

As vendas do single “Louie Louie” trouxeram confiança para a gravadora dar uma oportunidade para o Motörhead gravar um novo álbum, que viria a ser Overkill. A banda inclusive chegou a se apresentar no programa da televisão inglesa BBC, Top Off The Pops.

A arte da capa ficou a cargo de Joe Petagno, que trabalhou várias vezes com a banda ao longo da carreira do Motörhead.

O grande clássico “Overkill” abre o álbum homônimo. Uma das mais conhecidas músicas da banda, sempre presente nos shows. A faixa é rápida, possui um riff fantástico e as linhas criativas do baixo Rickenbacker distorcido característico de Lemmy. Seu vocal combina perfeitamente com a sonoridade da faixa.

O single contendo “Overkill” atingiu o Top 40 da parada britânica.

“Stay Clean” é outro grande sucesso da banda e é a segunda faixa do álbum. Ela traz um riff um pouco mais cadenciado, num estilo bem rock tradicional, mas com o peso que naturalmente o Motörhead impõe a sua sonoridade. A bateria é vibrante e intensa e o vocal de Lemmy casa-se perfeitamente com a música. Destaque para o solo, com muito feeling. Um clássico!

“I’ll Be Your Sister” começa com um baixo tocado no melhor estilo Motörhead que se estende durante toda a faixa. A faixa tem um estilo rock tradicional, com ritmo também mais cadenciado. O solo é ótimo.

“No Class” é uma faixa clássica do Motörhead e perfeita para definir o que é a banda. Música direta, sem invenções e com um ótimo ritmo. O maior destaque na canção vai para o baixo de Lemmy, com direito a um pequeno solo no meio da faixa. O solo de guitarra, no final, é pequeno, mas empolgante.

“No Class” foi o segundo single proveniente de Overkill e atingiu a posição número 61 na parada britânica.

Outro grande clássico do Motörhead que está em Overkill é “Damage Case”. A faixa possui um riff excelente e o refrão é excepcional. Os solos da música são excelentes, repletos de feeling. Ótimo trabalho também da bateria de Philthy Animal. “Damage Case” também é presença em boa parte dos shows.

“Tear Ya Down” é mais uma faixa que merece registro. Mais uma que possui um riff de guitarra empolgante, provando o ótimo trabalho feito pelo guitarrista ‘Fast’ Eddie Clarke na gravação do álbum. O solo também é dos mais inspirados.

O álbum Overkill alcançou a vigésima quarta posição nas paradas britânicas. Mais que isso, foi responsável por começar a solidificar o trabalho da banda rumo ao reconhecimento internacional.

A banda saiu em turnê pelo Reino Unido para divulgar o álbum e, especialmente, o single “Overkill”. Importante ressaltar que o Lado B deste single é também a ótima faixa “Too Late, Too Late”, presente em relançamentos do álbum Overkill.

Quatro meses após o lançamento do álbum, em julho do mesmo ano, a banda já entraria novamente em estúdio para começar as gravações de seu novo álbum, Bomber, também de 1979.

Certa vez o vocalista do Metallica, James Hetfield, disse que sua maior inspiração para ter uma banda foi o Motörhead, de quem é um grande fã. Fato este comprovado no álbum de covers que o Metallica lançou em 1998, Garage Inc. No segundo CD do álbum há quatro covers do Motörhead, sendo dois do álbum Overkill: “Overkill” e “Damage Case”, além de “Too Late, Too Late”, que possui íntima relação com o álbum.

Formação:
Lemmy (Ian Kilmister) – Baixo, Vocal, e Segundo solo de guitarra em "Limb From Limb"
"Fast" Eddie Clarke – Guitarra
Phil "Philthy Animal" Taylor – Bateria

Faixas:
01. Overkill (Kilmister/Clarke/Taylor) - 5:12
02. Stay Clean (Kilmister/Clarke/Taylor) - 2:40
03. (I Won't) Pay Your Price (Kilmister/Clarke/Taylor) - 2:56
04. I'll Be Your Sister (Kilmister/Clarke/Taylor) - 2:51
05. Capricorn (Kilmister/Clarke/Taylor) - 4:06
06. No Class (Kilmister/Clarke/Taylor) - 2:39
07. Damage Case (Clarke/ Kilmister/ Taylor/ Mick Farren) - 2:59
08. Tear Ya Down (Kilmister/Clarke/Taylor) - 2:39
09. Metropolis (Kilmister/Clarke/Taylor) - 3:34
10. Limb from Limb (Kilmister/Clarke/Taylor) - 4:54

Letras:
Para o conteúdo das letras, recomendamos o acesso a:

Opinião do Blog:
Overkill é daqueles álbuns que parecem coletâneas, pois é composto de excelentes músicas e a diferença de qualidade entre uma e outra é mínima.

O álbum possui pelo menos três grandes clássicos da banda: “Overkill”, “Damage Case” e “Stay Clean”. Somente por elas, o que definitivamente não é o caso, já tornaria Overkill um álbum clássico.

Contribui o fato deste álbum inaugurar um período dourado da banda, com o lançamento posterior de outros grandes álbuns como Bomber (1979), Ace Of Spades (1980), o ao vivo No Sleep 'til Hammersmith (1981) e Iron Fist (1982).

Com esta fase, é inegável que o Motörhead foi forte influência para as bandas que iniciariam nos Estados Unidos a vertente do Heavy Metal conhecida como Thrash Metal, sendo uma amostra disto a banda norte-americana que tem o nome Overkill, que começou a carreira fazendo covers do Motörhead. Os riffs precisos e velozes são um ótimo exemplo dessa influência musical dos britânicos.

Os covers que o Metallica fez de 2 músicas de Overkill e de “Too Late, Too Late” (lado B do single “Overkill”) são melhores que quaisquer palavras que o blog utilize para definir a importância do álbum para o Rock. Um clássico absoluto.

Vídeos Recomendados:

Overkill, ao vivo


Stay Clean, ao vivo no Wacken em 2006, com direito à frase clássica do Lemmy "We Are Motörhead. We play Rock And Roll"


Damage Case, ao vivo em 2002


2 Comentários