6 de janeiro de 2022

BRITNY FOX - BRITNY FOX (1988)

 


Britny Fox é o álbum de estreia da banda norte-americana de mesmo nome, claro, a Britny Fox. O lançamento oficial do disco aconteceu em 10 de junho de 1988, através do selo Columbia Records. As gravações ocorreram entre os anos de 1987 e 1988, no The Warehouse Studios, em Filadélfia, e no The House of Music, em New Jersey, ambos nos Estados Unidos. A produção ficou a cargo de John Jansen.




 

Antecedentes

 

O grupo Britny Fox foi formado no ano de 1985, na cidade norte-americana de Filadélfia. “Dizzy” Dean Davidson, vocalista e guitarrista, era o seu líder. O conjunto era composto, então, por Billy Childs no baixo, Michael Kelly Smith (guitarra solo) e Tony Destra (bateria), estes dois últimos, ex-integrantes da banda Cinderella.

 

E graças a estas conexões com o Cinderella, o Britny Fox conquistou um contrato com uma grande gravadora.

 

No entanto, quando as coisas estavam começando a ficar boas para a banda, uma tragédia se abateu sobre os caras. Tony Destra morreu em um acidente de carro em 1987.

 

O conjunto estava em uma turnê e assim contrataram o baterista Adam West (também conhecido como Adam Ferraioli), temporariamente, até contratarem um baterista, o qual se fixou no grupo, John DiTeodoro (Johnny Dee), que havia sido o baterista da banda Waysted.

 

Em 1986, o grupo lançou a demo In America, com gravações que contavam com a presença de Destra. Já em 1987, saiu outra demo, Rock Is Gonna Fight, com West nas baquetas.


Dean Davidson


 

Álbum de estreia

 

Com uma capa que contava com imagens dos membros da banda, o conjunto lançou o disco de estreia em 10 de junho de 1988, com a produção de John Jansen. O selo responsável foi a Columbia Records.


Michael Kelly Smith


 

Vamos às faixas:

 

GIRLSCHOOL

 

“Girlschool” possui um riff principal bem legal e a faixa aposta em um ritmo mais cadenciado, com doses medianas de peso.

 

A letra fala sobre uma garota:

 

Saddle shoes uniforms blue,

Love all the girls in the girlschool

Traffic jam in the hallway

Ooh i'm gonna stay this makes my day




 

“Girlschool” foi o segundo single para promoção do disco, mas não atingiu as principais paradas de sucesso desta natureza.

 

LONG WAY TO LOVE

 

“Long Way to Love” traz vocais menos rasgados, embora o ritmo proposto seja o mesmo da primeira canção do álbum.

 

A letra fala sobre amor:

 

I see the love deep in your eyes

You let the love, grow in my mind

In the morning sun, I see your face

I can feel your love and your embrace




 

“Long Way to Love” foi lançada como single, mas sem maiores repercussões nas principais paradas de sucesso desta natureza, alcançando a 100ª posição no ‘chart’ norte-americano.

 

KICK ‘N’ FIGHT

 

“Kick ‘n’ Fight” capricha ainda mais no andamento mais arrastado – e também no peso – abusando da agressividade.

 

A letra pode ser interpretada como uma metáfora sobre superação:

 

When your down and feeling low

and there ain't no place to go,

Just put your mind in second gear

say I'm out of here

When your friends bring you down

and there ain't no one around,

You scream out loud

at the top all you want is out

 

SAVE THE WEAK

 

“Save the Weak” é uma balada bem arrastada e que deixa um pouco a desejar.

 

A letra fala sobre compaixão:

 

Oh save, oh save

Save the weak

With a little love

That's all they need

 

“Save the Weak” foi o terceiro single retirado do álbum, mas também não repercutiu nas principais paradas de sucesso desta natureza.

 

FUN IN TEXAS

 

“Fun in Texas” é uma música bem típica de Glam Metal, ou seja, um Hard/Heavy bem intenso.

 

A letra é uma ode ao Texas:

 

I love Texas oh I do, in Texas

Where the fun is, out in Texas

Where the fun is, out in Texas

 

ROCK REVOLUTION

 

“Rock Revolution” é uma verdadeira porrada, bem intensa e com ótimos vocais.

 

A letra é uma reflexão como a mídia tem preconceito sobre o Rock:

 

Some people got a chip on their shoulder,

about rock 'n' roll music

They put us right aside, cause their one track minds

They say we're loud and violent for this joke of a system,

But yet they air violent shows about death, rape and fighting too

 

DON’T HIDE

 

“Don’t Hide” é outra ótima canção, cadenciada na medida certa, mas sem perder força e agitação.

 

A letra fala sobre apoio e superação:

 

You won with all the glory, you stood right by our side

You don't need a place to hide

Don't hide, we're on your side, we'll stand by your side

So don't hide

 

GUDBUY T’JANE

 

Embora continue preferindo a versão original, este cover de “Gudbuy T’Jane” é bem respeitável.

 

A letra brinca com uma jovem:

 

I said gudbuy t' Jane, gudbuy t' Jane

Get's a kick from her forties trip boots

Gudbuy t' Jane, gudbuy t' Jane

Has a maid to match up her suits

 

“Gudbuy T'Jane” é um cover da banda britânica Slade, presente em seu segundo disco, Slayed?, de 1972.

 

IN AMERICA

 

“In America” é um outro bom Glam Metal, construído através de um riff bem legal.

 

A letra fala sobre o espírito norte-americano:

 

In America, the home of the free, the strong and the weak

In America, a young child's heart just give 'em a start

In America, the families we love the man up above

In America, a place we'll grow and grow to be old,

in America

 

HOLD ON

 

“Hold On” encerra o álbum apostando mais no metal, com uma cara bem de Judas Priest.

 

A letra tem conotação sexual:

 

Hold on, better hold on baby

Hold on, you make me sweaty

Hold on, you drive me crazy

Hold on, you look mean so sexy

 

Considerações Finais

 

Mesmo sem singles que repercutissem nas principais paradas, o álbum Britny Fox atingiu a boa 39ª colocação na principal parada norte-americana de discos.

 

Jeremy Ulrey, do site AllMusic, dá ao álbum uma nota 3,5 (em 5) refletindo que a banda tinha talento: “Uma das estreias mais brilhantes a surgir no final dos anos 80, Britny Fox se estabeleceu desde o início como contendoras contundentes, apenas para expor uma mandíbula de vidro em lutas subsequentes. (...) Cada um dos meninos toca com suas forças aqui, o que resulta em riffs e licks matadores de Michael Kelly Smith e uivos apaixonados de Dizzy Dean Davidson”.

 

Já Derek Oliver, da revista Kerrang!, deu nota máxima ao trabalho. Martin Popoff, em seu Collector's Guide to Heavy Metal, deu uma nota 7 (em 10), ao disco.

 

Posteriormente, o álbum recebeu prêmios e foi aclamado como uma obra relevante dentro do Glam Metal. A revista Rolling Stone colocou o disco no 38º lugar na lista 50 Greatest Hair Metal Albums of All Time. O LA Weekly elegeu o trabalho na 20ª posição da lista Chuck Klosterman's Favorite Hair Metal Albums. Já o Metal Rules deixou Britny Fox na 44ª colocação de seus Top 50 Glam Metal Albums.

 

O álbum de estreia autointitulado da banda, lançado em 1988, foi uma das estreias de maior sucesso da temporada 1988-89, trazendo mais de 625 mil fãs para seus shows de abertura para o Poison e o Warrant.

 

O Britny Fox também venceu o Reader's Choice Award da revista Metal Edge, de 1988, como Melhor Banda Nova. Britny Fox superou a marca de 500 mil cópias comercializadas.

 

Boys in Heat, segundo álbum do grupo, sairia em 1989.




 

Formação:

"Dizzy" Dean Davidson - Vocal, Guitarra base

Michael Kelly Smith - Guitarra solo, Backing Vocal

Billy Childs - Baixo, Backing Vocal

Johnny Dee - Bateria, Backing Vocal

Músicos adicionais:

David Gibbins - Teclados

 

Faixas:

01. Girlschool (Davidson) - 4:39

02. Long Way to Love (Davidson) - 4:54

03. Kick 'n' Fight (Davidson/Destra) - 3:37

04. Save the Weak (Davidson) - 5:30

05. Fun in Texas (Davidson) - 4:27

06. Rock Revolution (Davidson) - 4:40

07. Don't Hide (Davidson) - 4:50

08. Gudbuy T'Jane (Holder/Lea) - 4:26

09. In America (Davidson/Destra) - 4:25

10. Hold On (Davidson) - 3:30

 

Letras:

Para o conteúdo completo das letras, recomenda-se o acesso a: https://www.letras.mus.br/britny-fox/

 

Opinião do Blog:

O Britny Fox é um grupo pertencente à linhagem oitentista do Glam Metal, mas não das mais conhecidas e aclamadas.

 

Para o Blog, este álbum de estreia, Britny Fox, é sim o trabalho mais relevante do conjunto. A sonoridade proposta é mesmo o Glam Metal, ou seja, é caminhando na tênue linha entre o Hard e o Heavy é que as composições são constituídas.

 

Assim sendo, o destaque mais relevante do trabalho é mesmo a guitarra de Michael Kelly Smith, com bons riffs e licks, e solos bem consistentes. O vocalista Dean Davidson alterna entre vocais limpos e rasgados, com resultados satisfatórios em ambos.

 

Um ponto que, se não chegar a atrapalhar o resultado final, pode incomodar ouvidos mais seletivos: há, pelo menos para este blogueiro, uma certa influência de Fly On the Wall (do AC/DC) no disco, seja pela sonoridade proposta, seja na produção/mixagem – o que é um ponto negativo. Quem já ouviu o disco dos australianos e prestar atenção (especialmente na bateria de Britny Fox) vai perceber o que está se apontando.

 

Entretanto, o resultado final é superior aqui, trazendo mais inventividade nas composições. As letras são um ponto positivo, especialmente em “Rock Revolution”, a qual traz um tom crítico que, se clichê, ao menos eleva o patamar do Glam Metal – que não é alto, convenha-se.

 

O Blog indica como favoritas as ótimas “Kick ‘n’ Fight” e “Don’t Hide”.

 

Enfim, a estreia da banda Britny Fox vai agradar, certamente, fãs do estilo Glam Metal e ouvintes casuais que curtam – ou não rejeitem – este tipo de sonoridade. Bons riffs e doses generosas de intensidade são marcas fortes deste bom trabalho de estreia do grupo norte-americano.

0 Comentários:

Postar um comentário