EXTREME - EXTREME (1989)



Extreme é o álbum de estreia da banda norte-americana de mesmo nome, obviamente, a Extreme. Seu lançamento oficial ocorreu em 14 de março de 1989, através do selo A&M Records. As gravações aconteceram durante o ano de 1988 e a produção ficou a cargo de Reinhold Mack e do próprio grupo.

Eis o momento do RAC trazer um post sobre a banda Extreme e seu álbum de estreia. Como de costume, o Blog vai trazer a formação do conjunto para depois se ater ao disco propriamente dito.


Gary Cherone

Gary Francis Caine Cherone nasceu em 1961, crescendo em Malden, estado norte-americano de Massachusetts e frequentou a Malden High School, sendo o terceiro dos cinco irmãos e o mais jovem do gêmeo Greg Cherone.

Em sua adolescência, Cherone começou a cantar em bandas locais e foi fortemente influenciado por Roger Daltrey, do The Who, Steven Tyler, do Aerosmith, e Freddie Mercury, do Queen.

Em 1979, Cherone e o seu amigo baterista Paul Geary, junto ao guitarrista Matt McKay, formaram uma banda de hard rock chamada ‘Adrenalin’, que se apresentava localmente. Em 1981, eles mudaram o nome da banda para ‘The Dream’ e gravaram um EP independente de seis músicas.

Alguns anos depois, Cherone e o The Dream apareceram em um videoclipe produzido por David Horgan, no programa da MTV, Basement Tapes, um programa em que o público-alvo votava (por meio de um número de telefone gratuito) em um dos dois vídeos amadores concorrentes enviados por artistas sem gravadora.

Gary Cherone

O vídeo do The Dream para “Mutha, Don't Wanna Go to School Today” venceu a votação, batendo o então desconhecido Henry Lee Summer por apenas 1% do total de votos.

Nuno Bettencourt

Bettencourt nasceu em 1966, em Praia da Vitória, Terceira, Açores, Portugal.

Quando Nuno tinha quatro anos de idade, sua família, incluindo os irmãos Luís e Roberto, mudou-se para Hudson, no estado norte-americano de Massachusetts. Bettencourt viveu na Main Street, em Hudson, durante vinte e um anos.

Inicialmente, Bettencourt tinha pouco interesse pela música, preferindo passar o tempo jogando hóquei e futebol. Seu primeiro instrumento foi a bateria e a tocou exclusivamente até que seu irmão, Luís, começou a ensinar-lhe guitarra.

Enquanto Bettencourt demorava a adotar o instrumento, sob a tutela de seu irmão, suas habilidades rapidamente se desenvolveram quando ele começou a ser autodidata, e ele mencionou em muitas entrevistas que ‘matava’ muitos dias de escola para praticar mais de sete horas por dia.

Em seus dois primeiros anos do ensino médio, Bettencourt abandonou os esportes para se concentrar em tocar guitarra. Ele acabou abandonando o ensino médio, pelo mesmo motivo.

Nuno Bettencourt

Como guitarrista, uma das primeiras influências de Bettencourt foi Eddie Van Halen. No entanto, como ele desenvolveu seu ofício como guitarrista e compositor, suas influências se expandiram para abraçar os Beatles, o Led Zeppelin, o Prince, entre outros.

Extreme

Em 1985, Cherone e Geary conheceram o guitarrista Nuno Bettencourt e o baixista Pat Badger, em uma briga por um vestiário, mas os rivais logo se tornaram colaboradores e pouco depois o quarteto assumiu o nome Extreme, e começou a escrever seu próprio material.

O guitarrista Nuno Bettencourt estava em uma banda chamada ‘Sinful’, e o baixista Pat Badger estava tocando com um conjunto chamado ‘In The Pink’. Bettencourt se juntou ao grupo em 1985, seguido por Badger, em 1986.

O nome Extreme veio de um jogo com as palavras ‘Ex-Dream’.

Cherone e Bettencourt começaram a compor músicas juntos e a banda se apresentou continuamente na área norte-americana da Nova Inglaterra. O Extreme conquistou um grande número de seguidores regionais e foi chamado de "Outstanding Hard Rock Heavy Metal Act", no Boston Music Awards, em 1986 e 1987.

A banda acumulou várias músicas originais quando Bryan Huttenhower, diretor da gravadora A&R, os contratou em 1987 (que logo foi vendida para a PolyGram em 1988).

O álbum de estreia

O disco de estreia da banda foi gravado em 1988, sob produção de Reinhold Mack e do próprio conjunto, sendo lançado pela A&M Records, em 14 de março de 1989.

Vamos às faixas:

LITTLE GIRLS

A gaita tocada por Rapheal May introduz de modo eficiente a envolvente "Little Girls", uma faixa mais cadenciada, embora pesada, mas que possui um toque Hip hop nos vocais de Cherone e a guitarra de Bettencourt bem agressiva.

A letra é sobre amores de juventude:

Some they say I'm too old for her
Old enough to be her father
Incestual blood is thicker than water
Do what's right not morally wrong
Flesh and blood can only be so strong
And it's my god not yours I'll have to answer


A música foi lançada como single, mas não teve maior repercussão em termos de paradas de sucesso.



WIND ME UP

"Wind Me Up" é mais efetiva em seguir o padrão do Glam Metal, com uma melodia mais leve e guitarras de fundo com alguma agressividade. Bons vocais de Cherone e um trabalho competente de Geary complementam a canção.

A letra tem conotação sexual:

Wind me up that's all you do
Wind me up and leave me blue
I'd like to see if you could be
Kind enough to me when you
Wind me up



KID EGO

Bettencourt traz um ótimo riff, com bastante pegada e muito peso em "Kid Ego", uma das músicas mais agressivas do disco. A abordagem sonora é mesmo bem próxima ao Heavy Metal e a banda capricha em um refrão simples, mas contagiante. Sem dúvidas, um dos melhores momentos do álbum de estreia do Extreme.

A letra fala sobre um jovem sem modéstia:

We think your head is getting
Bigger and bigger and bigger
We think you should be taught
Some manners, manners, manners


A faixa foi lançada como single e também não obteve maior repercussão.



WATCHING, WAITING

A seção rítmica constrói uma boa base para "Watching, Waiting", uma composição que se configura como uma 'power ballad'. Os backing vocals são bem eficientes, mas a música não chega a deslanchar.

A letra fala sobre perdão:

Three hours have gone by
We start to question why
Darkness falls in finding out
Why you must die
We can no longer see the Son
The three untie into one
Please forgive us Father
We know not what we've done



MUTHA (DON’T WANNA GO TO SCHOOL TODAY)

Bettencourt demonstra parte de suas habilidades nesta faixa, um típico Glam Metal, ou seja, uma composição que mistura doses precisas de peso e uma melodia maliciosa.

A letra é simples, com dilemas da juventude:

The teacher's always looking down
With her disappointed frown
Asking me to go sleep somewhere else

Esta foi mais uma canção lançada como single e que não causou nenhum tipo de repercussão.



TEACHER’S PET

A inspirada "Teacher's Pet" é um belo exemplar da época em que foi criada, em outras palavras, possui a cara do Hard festeiro dos anos 80.

A letra é sobre um estudante fascinado pela professora:

School boy fantasy
Lose control
Of all my faculties
Student body graduated
At the highest degree



BIG BOYS DON’T CRY

"Big Boys Don't Cry" tem uma pegada mais suja e maliciosa, sendo bem inspirada na sonoridade do Mötley Crüe. As guitarras são bem colocadas, os backing vocals funcionam precisamente e a bateria é parte fundamental da musicalidade.

A letra é em tom emotivo:

Hey, I'm not ashamed
To say a tear
Is in my eye
Because another tear
Will take its place
Before I die



SMOKE SIGNALS

"Smoke Signals" é um bom exemplo de Hard Rock com uma ótima pegada Bluesy e, ao mesmo tempo, influência do Van Halen setentista. O jeito despojado e até descompromissado da composição diverte bastante.

A letra é sobre a relação de pais e filhos:

Surgeon General's warning
Don't you drink and drive
Saying no to drugs
Hazardous to your health



FLESH ‘N’ BLOOD

"Flesh 'n' Blood" é mais direta, com boa dose de peso, embora com o andamento não muito veloz. Os vocais de Cherone são os destaques.

A letra tem teor sexual:

I wanna eat your body
Eat your body
Naughty, Naughty ,Naughty
Talkin' 'bout your body
Flesh, blood
I think I'm in love
Naughty, Naughty,Naughty
Eating up your body



ROCK A BYE BYE

Esta composição é bem mais contida e com aspecto tocante, contando com Bettencourt ao piano, coro de vozes e alguma orquestração, com referências de Queen. Em sua segunda metade, um grande solo de Nuno à guitarra.

A letra é muito simples:

Rock a bye, baby
On the tree top
When the bough breaks
The cradle will rock



PLAY WITH ME

A décima-primeira - e última - faixa de Extreme é "Play with Me". Trata-se de uma canção que não inventa muito, flertando com o Heavy Metal, pois é direta, rápida e pesada, encerrando o trabalho com a energia em alta.

A letra é sobre juventude:

Jack and suzi sittin' in a tree
K-I-s-s-I-n-g
First comes love
Then comes marriage
Then comes adam
In a baby carriage

“Play with Me” é uma das mais famosas canções do Extreme.

A faixa foi lançada como single, embora não tenha repercutido em termos de paradas de sucesso desta natureza.

A música está presente no filme Bill & Ted's Excellent Adventure, de 1989, dirigido por Stephen Herek e estrelado por Keanu Reeves. Também é encontrada nos games Guitar Hero Encore: Rocks the 80s e Guitar Hero: Smash Hits.



Considerações Finais

O álbum Extreme esteve bem longe de ser um grande sucesso comercial.

O disco atingiu a modesta 80ª colocação da principal parada norte-americana desta natureza, a Billboard, conquistando a 97ª posição de sua correspondente australiana.

Stephen Thomas Erlewine, do site AllMusic, dá ao trabalho uma nota 3 (de 5), resumindo: “O primeiro álbum do Extreme mostra a banda lutando para perder suas influências, particularmente o Van Halen, e desenvolver um estilo próprio; consequentemente, é descontroladamente desigual, mas o guitarrista Nuno Bettencourt sempre vale a pena ouvir”.

Cristopher Thelen, do site Daily Vault, trata o disco da seguinte forma: “Apesar de todas as fraquezas, Extreme oferece algumas performances e esforços de alto calibre. “Kid Ego”, a música que primeiro acordou as pessoas para essa banda, tem o talento que poderia facilmente ter feito dela um single de sucesso, e oferece um vislumbre da veia que eles seguiriam em canções como “Decadence Dance”(...)”.

Por fim, Thelen completa: “Extreme é o tipo de álbum que você ocasionalmente ouve para lembrar a si mesmo quem eram esses caras antes que eles acertassem o grande momento - e caírem no chão pouco depois”.

As vendas do primeiro disco do Extreme foram suficientes para suportar um segundo lançamento.

Michael Wagener, que já havia trabalhado com Dokken e White Lion, foi contratado para produzir o segundo álbum da banda, Extreme II: Pornograffitti, de 1990.


Formação:
Pat Badger - Baixo, Backing Vocals
Nuno Bettencourt - Guitarra, Sintetizador, Piano, Backing Vocals, Percussão e Orquestração
Gary Cherone - Vocal
Paul Geary - Bateria, Percussão, Backing Vocals

Faixas:
01. Little Girls (Bettencourt/Cherone) – 3:47
02. Wind Me Up (Bettencourt/Cherone) – 3:37
03. Kid Ego (Bettencourt/Cherone) – 4:04
04. Watching, Waiting (Bettencourt/Cherone) – 4:54
05. Mutha (Don't Wanna Go to School Today) (Cherone/LeBeau/Hunt) – 4:52
06. Teacher's Pet (Bettencourt/Cherone) – 3:02
07. Big Boys Don't Cry (Bettencourt/Cherone) – 3:34
08. Smoke Signals (Bettencourt/Cherone) – 4:14
09. Flesh 'n' Blood (Bettencourt/Cherone) – 3:31
10. Rock a Bye Bye (Bettencourt/Cherone) – 5:57
11. Play with Me (Bettencourt/Cherone) – 3:29

Letras:
Para o conteúdo completo das letras, recomenda-se o acesso a: https://www.letras.mus.br/extreme/

Opinião do Blog:
O RAC traz mais uma banda que batalhou na extensiva cena Glam Metal: o Extreme.

O grupo norte-americano possuía talentos para se destacar. A seção rítmica era bem formada pelo baixista Pat Badger e o baterista Paul Geary. O bom vocalista Gary Cherone possuía carisma e voz agradável, mas, verdadeiramente, o guitarrista Nuno Bettencourt é quem merece todos os destaques dentro do conjunto.

A autointitulada estreia do grupo, Extreme, já surgiu quando o Glam Metal começava a fazer água, ou seja, poucos instantes antes de seu ocaso. Desta maneira, o pouco sucesso comercial é explicável também por este fato.

Ademais, Extreme é um disco irregular. Ele revela que o grupo bebeu em boas fontes, notavelmente o Van Halen, mas também o Mötley Crüe, a grande referência em termos de Glam Metal. No entanto, a banda ainda buscava maturidade e uma mais contundente identidade musical.

O álbum apresenta faixas mais pesadas, boas e intensas como "Play With Me", "Mutha (Don't Wanna Go to School Today)" e a bluesy "Smoke Signals", além de "Kid Ego", de longe, a melhor do trabalho.

Ao mesmo tempo, algumas canções carecem de melhor tratamento como "Watching, Waiting" e "Wind Me Up", as quais se configuram mais genéricas.

Entretanto, e concluindo, Extreme é uma fiel amostra da época em que foi concebido, refletindo um grupo que ainda teria que caminhar para o sucesso - o qual chegaria em Extreme II: Pornograffitti. Mesmo assim, é um trabalho indicado para fãs deste tipo de sonoridade e que pode gerar momentos divertidos afinal o Extreme possuía um guitarrista acima da média na figura de Nuno Bettencourt.

0 Comentários