1 de agosto de 2019

DARK ANGEL - DARKNESS DESCENDS (1986)



Darkness Descends é o segundo álbum de estúdio da banda norte-americana Dark Angel. Seu lançamento oficial aconteceu em 17 de novembro de 1986, através do selo Combat Records. As gravações ocorreram durante aquele mesmo ano e a produção ficou por conta de Randy Burns.

Finalmente a lendária banda do Thrash Metal norte-americano, Dark Angel, aparece no RAC, com seu álbum mais emblemático. Vai-se tratar da formação do grupo para depois se ater ao disco propriamente dito.



Formação

O Dark Angel foi fundado em 1981, sob o nome de Shellshock em Downey, Califórnia, exatamente na época em que o movimento thrash da Bay Area estava começando a acontecer. (Nota do Blog: A área da baía de São Francisco (popularmente chamada de Bay Area) é uma região populosa que circunda os estuários de San Francisco, San Pablo e Suisun Bay, na parte norte do estado americano da Califórnia. Embora os limites exatos da região variem dependendo da fonte, a Área da Baía é definida pela Association of Bay Area Governments, incluindo os nove condados que fazem fronteira com os estuários mencionados: Alameda, Contra Costa, Marin, Napa, San Mateo e Santa Clara, Solano, Sonoma e San Francisco).

O Shellshock foi forçado a mudar seu nome para Dark Angel, em 1983, devido a outra banda usando o mesmo nome.

O Dark Angel passou por incontáveis encarnações antes de se estabelecer em uma formação um tanto estável com o vocalista Don Doty, os guitarristas Eric Meyer e Jim Durkin, o baixista Rob Yahn e o baterista Jack Schwartz.

Don Doty

Depois de ter uma de suas demos, “Welcome to the Slaughterhouse”, escolhida para inclusão na coleção Metal Massacre IV, de Brian Slagel, em 1985, o grupo reuniu suas ‘fitas demo’ remanescentes em um primitivo, mas entusiasmado, primeiro álbum chamado We Have Arrived. (Nota do Blog: Brian Slagel é o fundador e CEO da Metal Blade Records. Slagel é conhecido por ter iniciado a série de álbuns de compilação Metal Massacre, em 1982, o primeiro dos quais incluiu a primeira gravação comercial do Metallica. A Metal Blade lançou desde então álbuns seminais de Slayer, Mercyful Fate, Cannibal Corpse, Fates Warning, entre outros).

We Have Arrived

Gravado em agosto de 1984, no estúdio chamado Track Records, em Hollywood, na California, We Have Arrived é o álbum de estreia do Dark Angel.

O disco foi lançado em março de 1985, pelos selos Azra/Metalstorm.

Um tanto quanto primitivo e não tão bem produzido, We Have Arrived ainda contém boas canções como “Merciless Death” e “Welcome to the Slaughterhouse”.

Foi o único trabalho a contar com o baterista Jack Schwartz, que logo foi substituído por Gene Hoglan (e que aparece no álbum, mesmo não tendo tocado).

(We Have Arrived foi reeditado pelo menos duas vezes. Em 1986, foi relançado pelo selo francês Axe Killer em uma edição limitada de 2 mil cópias. Foi então relançado mais uma vez, em 1997, pelo Axe Killer. A etiqueta anexada ao filme plástico diz que esta é uma edição remasterizada, mas não há nenhuma indicação disso no encarte).

Gene Hoglan e segundo álbum

Com a adição do baterista Gene Hoglan, o Dark Angel parte para gravar seu segundo trabalho, Darkness Descends.

Gene Hoglan

A gravadora responsável seria a Combat Records e a produção ficaria a cargo de Randy Burns. A capa é bem soturna, contando com uma lápide.

Embora o baixista Rob Yahn toque no álbum, é Mike Gonzalez quem recebeu crédito no encarte.

Vamos às faixas:

DARKNESS DESCENDS

A famosa trilha Thrash já é deflagrada nos momentos iniciais da brutal faixa-título, "Darkness Descends". Também na primeira música o baterista Gene Hoglan já demonstra a que veio. Os vocais de Don Doty lembram os de Bobby 'Blitz' Ellsworth, do Overkill. Guitarras em fúria e andamento veloz fazem de "Darkness Descends" um clássico do Thrash norte-americano.

A letra mostra uma sociedade decadente:

MORTIS
Decaying, the ruins fall swift to the ground
The carnage is morbid and great
Mephitic deathstench of corpses abound
The earth meets an untimely fate
The horrific malignance, spreading its wings
Across the expanse of the sky
Contamination and all that it brings
The judges commit genocide

A música “Darkness Descends” é inspirada nas personagens de quadrinhos conhecidas como The Dark Judges, da série de quadrinhos Judge Dredd, e ainda contém sua famosa declaração: “this city is guilty, the crime is life, the sentence is death” (esta cidade é culpada, o crime é a vida, a sentença é a morte).



THE BURNING OF SODOM

A insana "The Burning of Sodom" é uma faixa típica do Thrash Metal, ou seja, rápida, veloz e extremamente intensa. Há um toque de Slayer na sonoridade e que demonstra as boas referências do conjunto.

A letra é inspirada no relato bíblico do livro Deuteronômio, sobre Sodoma e Gomorra:

Sodom, an unholy place
Angels searched for a few
Souls who'd yet to fall from grace
To save them from the doom
Paradise of pleasures lost
Herein the future lies
Laughing at the "holy cross"
As death rained from the skies



HUNGER OF THE UNDEAD

"Hunger of the Undead" possui um riff inicial matador, ao melhor estilo Kill 'Em All, do Metallica. A canção se desenrola em uma musicalidade extremamente agressiva, com a bateria de Hoglan destruindo o que 'passar pela frente'.

A letra questiona sobre vida após a morte:

Only an abscence of god and no satan supposedly fell
A spirits'
Reincarnation
Is the proof of no heaven or merciless torment of hell…



MERCILESS DEATH

"Merciless Death" começa mais cadenciada e melódica, mas logo cai na tradicional linha Thrash do grupo, com velocidade e peso insanos. Entretanto ela possui mais harmonias melodiosas, especialmente nos solos de guitarras.

A letra se inspira na temática da morte:

The angels has landed - judgement has come
Your death has arrived, faster than some
The darkness descending upon heaven's gates
Your soul is now promised and you know that
We'll wait!!!



DEATH IS CERTAIN (LIFE IS NOT)

A bateria de Hoglan está muito insana neste verdadeiro petardo Thrash Metal que é "Death Is Certain (Life Is Not)". O peso que a seção rítmica impõe à composição é absurdo, e, assim, é impossível não 'bangear' com esta música.

A letra é agoniante:

From the neck down, you're senseless
From the neck up, you're alive
And the politics of humanity
Refuse to let you die
And all the while you plot your death
With me at your side
Your last wish, your brain to rest
Your bondage ropes untied

“Death Is Certain (Life Is Not)” é claramente uma defesa da eutanásia.



BLACK PROPHECIES

"Black Prophecies" possui mais de 8 minutos de duração e é uma composição mais intrincada da banda. Hoglan está intenso nas baquetas enquanto as guitarras seguem em fúria. Embora alterne passagens um pouco menos velozes com outras em que a trilha Thrash está muito rápida, o peso é uma constante.

A letra fala sobre profecias cumpridas:

Torment and fire
London expired
The English lands became a massive funeral pyre
Ruinous blaze
The city was razed
Due to the great London's fire, life was denied

“Black Prophecies” se inspira no famoso profeta Nostradamus.



PERISH IN FLAMES

A sétima - e última - faixa de Darkness Descends é "Perish in Flames". Encerrando o álbum com chave de ouro, tem-se uma verdadeira e digna pedrada Thrash Metal. Velocidade, peso e intensidade nos limites, em uma ode ao Metal!

A letra versa sobre um apocalipse nuclear:

The world burns below you, innocent people now die
You're stricken with remorse, though much is your loss you don't cry
You clench up in anger, for war is stupidity
For mankind it's too late, and you are the last to see



Considerações Finais

Embora tenha qualidade indiscutível, Darkaness Descends não repercutiu em termos de paradas de sucesso e nem chegou a ser um sucesso comercial.

Entretanto, a crítica especializada e o público de Heavy Metal reconhecem o disco como um dos trabalhos seminais dentro do estilo Thrash Metal.

Eduardo Rivadavia, do site AllMusic, dá ao disco uma nota 3 (em 5), referendando: “Desde o primeiro riff esmagador da faixa-título, torna-se óbvio que os valores de produção e a disciplina técnica que iludiram a banda na primeira vez seriam trazidos aos gritos neste álbum - ainda considerado um clássico menor do thrash metal. Para ser justo, o Dark Angel só tinha alguns truques à sua disposição, mas os executam extremamente bem. Os resultados são vários clássicos de headbanging amplamente unidimensionais, mas surpreendentemente memoráveis, incluindo “Merciless Death”, “Death Is Certain, Life Is Not”, e a perversa “Perish in Flames””.

Em agosto de 2014, a revista norte-americana Revolver colocou Darkness Descends em sua lista 14 Thrash Albums You Need to Own. A também norte-americana Decibel Magazine classificou-o em 9º lugar nos seus 50 Greatest Thrash Metal Albums of All Time.

Em torno de 1986, várias outras bandas de thrash metal (como o Metallica) também lançaram álbuns seminais e começaram a ganhar mais popularidade. Embora Darkness Descends não tenha atingido as paradas da Billboard 200 ou se tornado um sucesso comercial, o Dark Angel passou a maior parte de 1986 e de 1987 em turnê para divulgação do álbum, com bandas como Motörhead, Megadeth, Possessed, Slayer e Overkill, entre outras.

Depois que a turnê de Darkness Descends terminou, em agosto de 1987, o vocalista Don Doty deixou o Dark Angel para começar uma família e foi substituído por Ron Rinehart, que permaneceria com a banda até a separação da mesma, em 1992, e voltaria para as próximas reuniões.

O Dark Angel fez seu primeiro show com Rinehart no Fender's Ballroom, em Long Beach, Califórnia, em 29 de janeiro de 1988.

Um novo álbum de estúdio, o terceiro, seria lançado em 24 de janeiro de 1989: Leave Scars.



Formação:
Don Doty - Vocal
Eric Meyer - Guitarra
Jim Durkin - Guitarra
Rob Yahn - Baixo
Gene Hoglan - Bateria

Faixas:
01. Darkness Descends (Hoglan/Durkin) - 5:49
02. The Burning of Sodom (Durkin/Hoglan/Doty/Meyer) - 3:16
03. Hunger of the Undead (Hoglan/Durkin/Meyer) - 4:16
04. Merciless Death (Durkin/Doty) - 4:04
05. Death Is Certain (Life Is Not) (Hoglan/Durkin/Meyer/Yahn) - 4:15
06. Black Prophecies (Hoglan/Durkin) - 8:29
07. Perish in Flames (Doty/Durkin) - 4:49

Letras:
Para o conteúdo completo das letras, recomenda-se o acesso a: https://www.letras.mus.br/dark-angel/

Opinião do Blog:
Para não iniciados no Thrash e Heavy Metal, o Dark Angel não é das bandas mais conhecidas. Porém, para os fãs do estilo, a banda possui um legado importante dentro do estilo, especialmente este insano Darkness Descends.

O RAC precisa destacar a laboriosa formação do grupo, com o competente vocalista Don Doty. É claro, o destaque é mesmo o renomado baterista Gene Hoglan que, aqui, mostra todo seu talento, imprimindo um peso absurdo às composições.

Não há nenhuma invenção na sonoridade do Dark Angel neste disco: trata-se de um Thrash Metal muito rápido e extremamente pesado, sendo o Slayer uma óbvia referência. Mas os méritos do disco estão em composições que honram soberbamente o estilo, contando com uma execução inspirada e certeira.

As letras são boas, trazendo uma visão angustiante sobre temas mundanos e que formam um casamento simbiótico com a sonoridade caótica do conjunto.

Como ponto negativo, tem-se a produção do álbum, bem rasa e que não consegue valorizar o talento musical do grupo (ao menos na minha versão em CD).

Mas isto não é um impeditivo de reconhecimento do valor de composições como a faixa-título, "Merciless Death" e "Death Is Certain (Life Is Not)". Minha preferida é a paulada "Perish in Flames".

Concluindo, é bem possível que nem todos os ouvintes sejam indicados para Darkness Descends, mas é necessário ressaltar que trata-se de uma obra essencial para fãs de Thrash Metal e que, simultaneamente, pode agradar em cheio fãs de sonoridades mais extremas. O Dark Angel fez uma obra referencial para o Heavy/Thrash.

0 comentários:

Postar um comentário