CHEAP TRICK - CHEAP TRICK (1977)


Cheap Trick é o álbum de estreia da banda norte-americana de mesmo nome, ou seja, o Cheap Trick. Seu lançamento oficial aconteceu durante o mês de fevereiro de 1977, através do selo Epic Records. As gravações ocorreram nos estúdios Record Plant, na cidade de New York City, nos Estados Unidos, no ano de 1976. A produção ficou por conta de Jack Douglas.


Embora atualmente não tenha tanto reconhecimento do público brasileiro em geral, o Cheap Trick fez grande sucesso comercial, especialmente em sua terra natal, os Estados Unidos. O Blog vai tratar brevemente dos primórdios da banda até chegar ao seu álbum de estreia.

Em 1961, com apenas 12 anos de idade, o jovem guitarrista Rick Nielsen começou a tocar localmente, em Rockford, Illinois, nos Estados Unidos, usando uma coleção cada vez maior de guitarras raras e valiosas.

Ele formou várias bandas locais com nomes como The Boyz e The Grim Reapers.

Já Brad Carlson, o qual mais tarde ficaria conhecido como Bun E. Carlos, tocou em uma banda rival na mesma cidade de Rockford, chamada The Pagans.

Rick Nielsen

Finalmente, no ano de 1967, Nielsen formou um grupo chamado Fuse com o músico Tom Peterson, mais tarde conhecido como Tom Petersson, o qual havia tocado em mais uma banda local chamada The Bo Weevils.

O Fuse lançou um álbum autointitulado para a Epic Records, em 1970, mas que foi completamente ignorado. Frustrado por sua falta de sucesso, o Fuse recrutou os dois membros restantes de um conjunto chamado Nazz, em 1970, e acabou tocando em todo o Centro-Oeste norte-americano, por 6 a 7 meses, sob os dois nomes, Fuse ou Nazz, dependendo de onde eles se apresentavam.

Com Bun E. Carlos assumindo a bateria, o Fuse mudou-se para Filadélfia, em 1971. Eles passaram a se chamar Sick Man of Europe, entre 1972 e 1973.

Depois de uma turnê pela Europa em 1973, Nielsen e Petersson retornaram a Rockford e se reuniram novamente com Carlos.

Em 1973 o Cheap Trick foi formado. Randy "Xeno" Hogan (Crossfire) foi o vocalista original do grupo. Ele deixou a banda logo após a sua formação e foi substituído pelo vocalista Robin Zander.

O nome foi inspirado pela presença da banda em um show do Slade, onde Petersson comentou que o grupo usava “every cheap trick in the book” (cada truque barato no livro) como parte de seu show.

A banda gravou (com Hogan), uma demo oficial, “Hot Tomato”, em meados de 1974, partes do que se tornaria “I'll Be with You Tonight”, que foi inicialmente nomeada de “Tonight, Tonight” (e com uma estrutura ligeiramente diferente), e ainda “Takin' Me Back”.

Com Robin Zander, agora nos vocais, a banda gravou sua primeira demo oficial em 1975 e tocou nos mais diversos locais (como pistas de boliche) ao redor do meio-oeste dos Estados Unidos.

Robin Zander

A banda assinou contrato com a Epic Records no início de 1976. Tom Werman, da A&R, acabou cedendo à insistência do produtor Jack Douglas, que havia visto a performance do grupo em um show em Wisconsin.  

Já em 1976, Jack Douglas produziu o primeiro álbum do Cheap Trick, cujo nome seria homônimo ao grupo. As gravações foram realizadas na cidade de New York, no Record Plant Studios. A capa, simples, apresenta uma fotografia da banda.

Vamos às faixas:

HOT LOVE

O álbum abre com um riff com fortes influências do Rock dos anos 50, mas, ao mesmo tempo, contando com um peso extra. Há uma pegada a qual, inegavelmente, remete ao Aerosmith daquela época. Excelente início, com vocais bastante agressivos por parte de Robin Zander.

A letra possui conotação sexual:

And when I see a little temp'rature rise
You know I wasn't surprised
See you were smiling, oh
Hot love will burn
Hot love will burn your heart



SPEAK NOW OR FOREVER HOLD YOUR PEACE

Já em sua segunda faixa, o Cheap Trick aposta em uma pegada bluesy bastante cadenciada, com boas doses de groove. O grande destaque é a guitarra de Rick Nielsen, atuando com acentuado feeling. O vocalista Robin Zander opta por vocais mais limpos.

A letra fala sobre verdade:

Gettin' all tied up, feelin' all tied up
Things I need to tell you love
You'll be true I know
There's still a chance for a better life
Yes, I know

Trata-se de um cover para a música originalmente composta pelo músico inglês Terry Reid.



HE'S A WHORE

Em "He's a Whore", o grupo opta por uma abordagem bem Rock 'n' Roll, indo direto ao ponto, sem muitas firulas. O ritmo é bastante melódico e divertido, o peso é pequeno e os vocais de Zander são muito bons.

A letra se refere a quem faz qualquer coisa por dinheiro:

So the story goes
I think I'll take her for a ride
With this moneybag by my side
A gigolo is the only way to go

O Cheap Trick filmou um vídeo promocional da faixa, dirigido por Chuck Lashon. Embora não seja uma canção que frequentasse constantemente os shows do grupo, a música esteve presente em várias coletâneas da banda.

Entre os covers famosos estão de bandas como Big Black, Neon e Vince Neil.



MANDOCELLO

"Mandocello" possui um ritmo mais lento e bastante suavidade, mas o grande destaque é sua tonalidade muito grave. O baixo de Tom Petersson é consideravelmente mais presente e dita o ritmo da música. Ótimos vocais de Zander.

A letra é divertida:

Look at me like I look at you
Think of me like I think of you
Speak to me like I speak to you
Dream of me like I dream of you



THE BALLAD OF T.V. VIOLENCE (I'M NOT THE ONLY BOY)

Um ritmo mais cadenciado marca o início da quinta faixa do álbum de estreia do Cheap Trick, mas ela acelera até atingir uma velocidade rápida. O destaque é realmente a guitarra de Rick Nielsen, bem criativa. Zander praticamente declara as letras. Canção bem interessante.

A letra se refere ao homicida Richard Speck:

I need a knife to give me a wife
I need a knife, gimme your life
Gimme your life



ELO KIDDIES

"ELO Kiddies" é uma música muito criativa. Seu início em um clima de banda marcial é interessante, com os corais funcionando de modo muito pouco ortodoxo. A guitarra de Rick Nielsen é bem presente, com a distorção causando um efeito muito legal.

A letra fala sobre idas e vindas:

You lead a life of crime
You gotta go unwind
You haven't got much time
You know they're out to get you

“Elo Kiddies” acabou se tornando um grande sucesso do Cheap Trick, presente em várias coletâneas e álbuns ao vivo lançados pelo grupo.


Foi lançada como single apenas na Europa, onde a canção teve boa repercussão.

White Flag e Crash Kelly já fizeram versões para a música.



DADDY SHOULD HAVE STAYED IN HIGH SCHOOL

Nesta canção, o conjunto opta por uma sonoridade mais simples, contando com um riff bem pesado e o baixo de Tom Petersson muito presente e ditando o andamento da faixa. Os vocais de Robin Zander se casam perfeitamente com a sonoridade. Música muito interessante.

A letra fala sobre pedofilia:

I like you, will you like me, yes?!
Sorry, but I have to grab you
You look better completely undressed
Sorry, but I have to have you



TAXMAN, MR. THIEF

"Taxman, Mr. Thief" apresenta um riff de guitarra sensacional criado por Rick Nielsen. O ritmo é bem cadenciado, mas a intensidade produzida pela seção rítmica e, também, pela guitarra de Rick Nielsen cativam o ouvinte. O refrão é significativamente melódico, com ótima atuação do vocalista Robin Zander. Grande canção!

A letra é uma crítica aos impostos:

You work hard, you make money
There ain't no on in the world who can stop you
You work hard, you went hungry
Now the taxman is out to get you



CRY, CRY

Já em "Cry, Cry"; o grupo aposta em uma batida constante, pesada e muito lenta. A atuação do vocalista Robin Zander é o grande diferencial da faixa, a qual apresenta um clima mais denso e sombrio, exceto pelo refrão, muito melódico.

A letra possui conotação romântica

You say to me
You say you never
Realized how much you loved me
So don't ya call me on the phone
Oh babe no no baby



OH, CANDY

A décima - e última - faixa de Cheap Trick é "Oh, Candy". O álbum fecha com uma canção que é um Rock clássico, com muita melodia e ritmo. A linha seguida é bastante simples, mas recheada de um clima altivo e envolvente. Ótima forma de terminar o trabalho.

A letra é sobre o fotógrafo Marshall Mintz, amigo da banda, que havia se suicidado:

You, you won't be comin' around no more
You, you won't be comin' around no more
Oh Candy why did you do it
I didn't think you heard a word that I said


Foi lançada como single para promover o álbum, mas não obteve maior repercussão em termos das principais paradas de sucesso.



Considerações Finais

Embora seja considerado um dos melhores álbuns do Cheap Trick por seus fãs, o disco de estreia da banda não foi um grande sucesso comercial.

Em termos das principais paradas de sucesso, ele passou praticamente em branco, não causando maiores repercussões.

O disco de vinil original tinha "lado A" impresso em um lado da capa e "lado 1" impresso na outra, sendo um toque humorístico que refletia a convicção da banda sobre a qual eles não possuíssem qualquer material "B", embora a colocação da lista de músicas, nas capas, indicassem “Hot Love” como a primeira faixa do álbum.

De fato, os números de matriz sobre o registro mostravam o lado A com “Hot Love” e o lado B com “Elo Kiddies”. Quando o álbum foi lançado no formato CD, em meados da década de 1980, seguiu a mesma sequência.

No entanto, quando o disco foi relançado em CD, em 1998, foi utilizada a sequência preferida da banda, com “Elo Kiddies” sendo a primeira faixa.

Este álbum, junto aos três discos seguintes, são considerados, por fãs e críticos, os melhores trabalhos do Cheap Trick. O disco, no entanto, é mais conhecido por capturar tanto o seu lado mais obscuro quanto a ferocidade de suas primeiras performances ao vivo, mais do que qualquer outro álbum de estúdio em seu catálogo.

Stephen Thomas Erlewine, do site AllMusic, dá nota máxima ao trabalho, atestando: “A combinação de humor fora de ordem, indivíduos bizarros e power pop bem-aventurado, fazem de Cheap Trick um dos álbuns que definem a sua época, bem como um dos mais influentes”.

Também o livro Spin Alternative Record Guide dá a Cheap Trick a nota máxima.

Embora bem recebido pela crítica, o álbum não foi bem-sucedido em termos de vendas. O single “Oh, Candy” falhou em entrar nas paradas. No entanto, a banda começou a desenvolver uma base de fãs no Japão e “ELO Kiddies” foi um sucesso na Europa.

Ainda em setembro de 1977, o Cheap Trick lançaria seu segundo álbum de estúdio, o grande sucesso In Color.



Formação:
Robin Zander - Vocal, Guitarra-Base
Rick Nielsen – Guitarra-Solo, Vocais
Tom Petersson - Baixo, Vocais
Bun E. Carlos - Bateria

Faixas:
01. Hot Love (Nielsen) — 2:30
02. Speak Now or Forever Hold Your Peace (Reid) — 4:35
03. He's a Whore (Nielsen) — 2:43
04. Mandocello (Nielsen) — 4:47
05. The Ballad of T.V. Violence (I'm Not the Only Boy) (Nielsen) — 5:15
06. Elo Kiddies (Nielsen) — 3:41
07. Daddy Should Have Stayed in High School (Nielsen) — 4:44
08. Taxman, Mr. Thief (Nielsen) — 4:16
09. Cry, Cry (Zander/Nielsen/Petersson) — 4:22
10. Oh, Candy (Nielsen) — 3:07

Letras:
Para o conteúdo completo das letras, recomenda-se o acesso a: https://www.vagalume.com.br/cheap-trick/

Opinião do Blog:
Certamente uma banda injustiçada, assim o Blog define o Cheap Trick. Seus trabalhos, do final da década de 70, mereciam muito mais destaque e conhecimento por parte dos fãs de Rock.

É difícil definir a sonoridade do grupo, pois, ao longo de sua discografia, o conjunto sempre optou por buscar novas musicalidades e não abriu mão da ousadia, fundindo diferentes sonoridades e estilos musicais à suas raízes mais 'roqueiras'.

O trabalho inicial do Cheap Trick, homônimo à banda, mostra um grupo bastante coeso e bem entrosado. A qualidade das faixas e a boa produção denotam uma banda em busca do sucesso. O maior destaque é o principal compositor do conjunto, Rick Nielsen, atuando muito firmemente com sua guitarra, tanto nos solos quanto nos riffs.

As letras, em sua maioria também de Nielsen, apresentam uma abordagem inteligente, ora procurando uma veia mais humorística, ora buscando fatos da vida real ou momentos históricos. Merecem uma boa conferida.

Cheap Trick é um álbum que aponta o talento da banda. Ele tem como base o Rock, muitas vezes com um direcionamento mais voltado ao Hard Rock (remetendo ao Aerosmith setentista), mas sempre com uma inegável influência Pop. O resultado final é muito acima da média.

Faixas com uma inegável veia Hard Rock se destacam no álbum, como "He's a Whore" e "Hot Love". Com um sentido mais contido e intimista, tem-se a bela "Mandocello". "ELO Kiddies" possui muita criatividade e se tornou um clássico.

Mas as favoritas do Blog são incontestáveis. O Rock e o Pop se unem de maneira perfeita na ótima "Taxman, Mr. Thief". E se tem a pesada "The Ballad of T.V. Violence (I'm Not the OnlyBoy)", facilmente entre as melhores composições da banda.

Enfim, Cheap Trick não é o auge do grupo de mesmo nome, mas é um de seus pontos altos na carreira. O Cheap Trick foi uma banda bastante criativa, especialmente entre o fim da década de 70 e o início dos anos 80. E seu disco de estreia é uma ótima amostra do talento do conjunto. Álbum muito bem recomendado!

2 Comentários

  1. Ótima estreia. As minhas favoritas desse clássico são "He´s a Whore", "Hot Love" e "Taxman, Mr.Thief", faixas espetaculares.
    Apesar de grande parte dos fãs e dos críticos considerarem "Heaven Tonight" o melhor trabalho da banda, o meu favorito é o "Dream Police". Ele não tem uma música mais ou menos, todas são absurdas de tão boas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário. Também gosto muito do Dream Police, acho os 4 primeiros bem acima da média.

      Excluir