13 de julho de 2011

SCORPIONS - LOVE AT FIRST STING (1984)



Love At First Sting é o nono álbum de estúdio da banda de Hard Rock alemã Scorpions. Foi lançado em 27 de março de 1984 e produzido por Dieter Dierks (que trabalhou em vários outros álbuns da banda, além de bandas como Accept e Twisted Sisters). Foi gravado entre 1983 e 1984 no Dierks Studio, em Stommeln, próximo de Colônia, na Alemanha.

A arte da capa original, que mostrava um homem abraçando uma mulher parcialmente desnuda (nada demais!), beijando-lhe o pescoço enquanto a tatuava foi considerada “ousada”. Sendo assim, a venda do álbum foi proibida e em alguns locais – notadamente nos Estados Unidos – e então uma capa alternativa com a fotografia dos membros da banda foi produzida:



A banda gastou o ano de 1983 praticamente todo se preparando para o álbum. O esforço seria generosamente recompensado.

Rudolph Schenker foi o responsável pela composição da parte musical do álbum. É dele todos os riffs marcantes que estão nas canções do álbum. Já as letras ficaram sob a responsabilidade de Klaus Meine em quase sua totalidade.

Love At First Sting possui algumas das músicas mais marcantes da carreira do Scorpions. O álbum já começa com a clássica “Bad Boys Running Wild”. A faixa é bem rápida, com um riff clássico de Rudolph Schenker e um belo solo.

“Rock You Like A Hurricane” levou o Scorpions a um novo patamar. A faixa é, talvez, a mais conhecida da banda (ao lado de uma outra, sobre a qual falaremos mais à frente).  O riff inicial é marcante, identificando a música em seu início.

A faixa está presente na maioria das eleições realizadas do tipo “grandes músicas de todos os tempos” ou “100 melhores de todos os tempos”, realizadas pela Billboard, MTV, VH1. O videoclipe foi exaustivamente exibido no ano de lançamento do álbum.

Também foi uma faixa várias vezes ‘coverizada’, por bandas como Sinergy e Bon Jovi. É citada ou trilha sonora de vários filmes, programas de TV (EUA) e jogos de vídeo games. É, ainda, música tema, não oficial, de várias equipes de esportes norte-americanos, como Carolina Hurricanes, Buffalo Sabres e o Miami Hurricanes. É a música tema do jogador Patrik Kane, do Chicago Blackhawks (NHL) quando o mesmo marca um gol no ginásio United Center.

“Big City Nights” é outra música famosa do álbum, presente em boa parte dos shows. Seu refrão ‘pegajoso’ (no melhor sentido da expressão) é um clássico.

“Still Loving You” é a outra música mais famosa presente no álbum. Virou um verdadeiro hino do rock internacional e é umas das ‘baladas românticas’ mais conhecidas em todo mundo. O enorme sucesso da faixa fez com que seu single vendesse 1,7 milhões de cópias somente na França. Certeza é que se tornou a balada mais importante da banda, mesmo quando se trata de Scorpions, que é uma banda que se tornou especialista neste tipo composição.

A letra da música por diversas vezes, mesmo sua notória conotação totalmente romântica, é tida como uma metáfora para a guerra-fria e a divisão da terra natal da banda em duas ‘Alemanhas’, separando um mesmo povo. Passagens como "Your pride has built a wall so strong that I can't get through, is there really no chance to start once again?", "only love can break down the walls someday" e "Yes I've hurt your pride and I know what you've been through, you should give me a chance, this can't be the end, I'm still loving you" seriam referências ao muro de Berlim.

Durante a gravação do album, a banda enviou uma solicitação oficial a Erich Honecker, a autoridade máxima da Alemanha Oriental, para que fosse realizado um show no país. Entretanto, o pedido foi negado.

Mesmo assim, a turnê do álbum foi um sucesso absoluto. A banda finalmente conseguiu alcançar o topo do Rock Mundial. Com as fronteiras norte-americanas abertas, foi possível realizar shows com o Madison Square Garden (tradicional ginásio de Nova Iorque) com ingressos esgotados, um show para 325 mil pessoas na Califórnia e duas apresentações históricas no Rock In Rio original, em 1985, além de apresentações em incontáveis festivais.

A turnê durou cerca de 2 anos e nesta época foi comum ver nomes que se tornariam gigantes do mundo do Rock & Roll atuando como suporte para os alemães: ninguém menos que Bon Jovi, Metallica e Iron Maiden.

Formação:
Klaus Meine - Vocal
Matthias Jabs - Guitarra Solo, Backing vocals
Rudolf Schenker - Guitarra Base, Backing vocals e Guitarra Solo em "Still Loving You" & "Big City Nights"
Francis Buchholz - Baixo, Backing Vocals
Herman Rarebell - Bateria, Percussão e Backing Vocals

Faixas:
01. Bad Boys Running Wild (K. Meine/R. Schenker/H. Rarebell) -  3:56
02. Rock You Like a Hurricane (K. Meine/R. Schenker/H. Rarebell) -  4:12
03. I'm Leaving You (K. Meine/R. Schenker) -  4:17
04. Coming Home (K. Meine/R. Schenker) -  4:59
05. The Same Thrill (K. Meine/R. Schenker) -  3:31
06. Big City Nights (K. Meine/R. Schenker) -  4:09
07. As Soon as the Good Times Roll (K. Meine/R. Schenker) -  5:03
08. Crossfire (K. Meine/R. Schenker) -  4:36
09. Still Loving You (K. Meine/R. Schenker) -  6:27

Letras:
Para o conteúdo das letras, recomendamos o acesso a: http://letras.terra.com.br/scorpions/

Opinião do Blog:
“Love At First Sting” é um ponto alto da carreira do Scorpions. O álbum traz faixas contagiantes, praticamente todas as músicas contam com ótimos riffs e solos muito inspirados. É um Hard Rock clássico, de alto nível.

Redundância falar-se da categoria e do nível em que Klaus Meine canta todas as canções do álbum. Sua atuação é forte e empolgante em faixas como ‘Hurricane’ e ‘Big City’, ao mesmo tempo em que brilha com a intensidade e técnica em “Still Loving You”.

Para muitos fãs da banda, trata-se do melhor álbum da banda, e muitas vezes, baseiam-se no incontestável fato de ser o álbum de estúdio da banda com maior sucesso comercial e que catapultou a banda para o patamar mais alto do mundo do Rock.

É também comum que o fãs dos primórdios da banda critiquem o direcionamento da banda em Love At First Sting. Fato inconteste, também, que ao compararmos o álbum em análise com trabalhos anteriores como “In Trance” (1975) ou mesmo “Virgin Killer” (1976), a sonoridade é diferente. Isso fornece fundamentos aos críticos do álbum.

Entretanto, desde o álbum “Lovedrive” (1979) o Scorpions já estava redirecionando sua sonoridade para o que ouvimos em Love At First Sting. Desde então, os álbuns lançados pela banda já estavam voltados para uma sonoridade mais Hard Rock bem característica dos anos 80.

Para este blog, Love t First Sting é um álbum de qualidade superior, excepcional. Um verdadeiro clássico. Afinal, não é sempre que se ouve uma obra que contenha ‘Hurricane’ e “Still Loving You” juntas. Clássico!

Vídeos Recomendados:

Rock You Like A Hurricane


Big City Nights


Still Loving You


11 comentários:

  1. Obrigado pela força, garotas!
    Longa vida ao Rock & Roll!

    ResponderExcluir
  2. Realmente não dá pra eu gostar de um álbum que em meio a grandes músicas como "Bad Boys Running Wild", "Rock you Like a Hurricane" e "Big City Nights", inclui uma coisa intragável e tediosa chamada "Still Loving You", que é a principal razão que me impede de gostar do disco como um todo, tornando-o ao contrário de muitos outros discos do rock oitentista gravados por várias bandas, um trabalho de audição e digestão extremamente difícil.

    Muitas são as minhas observações negativas sobre este disco, mas o que eu posso afirmar aqui é que Love at First Sting é daqueles discos de qualquer estilo musical que realmente não consigo gostar por causa de apenas uma música.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Obrigado pelo seu comentário, Igor. E me desculpe a demora em respondê-lo. Voltando ao tema, entendo e respeito a sua opinião, mas eu consigo gostar muito do álbum e também de "Still Loving You", mesmo que a canção esteja longe de permanecer entre minhas favoritas da banda alemã. É pura questão de gosto e gosto é uma coisa absolutamente pessoal. De toda forma, sua opinião agrega real valor ao post. Muito obrigado e saudações!

      Excluir
    3. De nada, cara. Eu não posso ouvir mais este disco, senão eu fico louco!

      Excluir
  3. Outra coisa: apesar de eu não gostar muito do LAFS (não amo nem odeio), e apesar de ser bem-sucedido comercialmente, não considero este disco ruim. Pra mim LAFS está abaixo da capacidade da banda (quero dizer, de Rudolf Schenker e Klaus Meine) em compor boas canções, sendo este o álbum que representa, a meu ver, uma das fases menos interessantes da banda alemã.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, meu amigo. Cada um com suas preferências. Mas, no meu caso, não consigo ver um álbum com faixas como "Bad Boys Running Wild", "Rock you Like a Hurricane", "Big City Nights", "Crossfire" e "Coming Home" como mediano. O fato de "Still Loving You" ter feito tanto sucesso não diminui a qualidade das demais músicas.

      Excluir
    2. Que bom que você tocou novamente no assunto da música que deu na época origem á um "baby-boom" na Europa. Costumo dizer que o sucesso enorme de "Still Loving You" não representou nada para o Scorpions naqueles tempos, e que quase pôs, por conta disso, um fim na carreira vitoriosa da banda.

      Compreendo totalmente seu ponto de vista sobre todo o disco, mas mesmo assim não consigo gostar do LAFS como um todo por ser bem diferente, menos perfeito e de audição complicada do que a trilogia que compreende os clássicos álbuns Lovedrive, Animal Magnetism e Blackout. Apenas isso. Um novo disco nos moldes desses três citados só viria em 1990, com Crazy World, após o pouco compreendido Savage Amusement, em 1988.

      Um abração pra você chefe Daniel, e viva a diversidade!!!

      Excluir