4 de novembro de 2016

NAZARETH - LOUD 'N' PROUD (1973)


Loud 'n' Proud é o quarto álbum de estúdio da banda escocesa Nazareth. Seu lançamento oficial aconteceu em novembro de 1973, através do selo Mooncrest. As gravações ocorreram durante aquele mesmo ano e a produção ficou sob a responsabilidade de Roger Glover.

O Nazareth volta ao Blog com outro de seus álbuns mais importantes. O Blog vai tratar dos fatos que antecederam ao lançamento do álbum para depois se ater ao disco propriamente dito.

Em maio de 1973, o Nazareth lançava o clássico Razamanaz.

O álbum acabou sendo o primeiro sucesso comercial do grupo, especialmente no Reino Unido, onde alcançou o 11º lugar na principal parada de sucessos daquele país.

Dois singles de muito sucesso extraídos do trabalho foram “Bad Bad Boy” e “Broken Down Angel”. Ambas atingiram o Top 10 da parada de singles britânica.

Manny Charlton

A gravadora com a qual o Nazareth estava assinado, a Mooncrest (uma subsidiária da B&C – bem como foi seu primeiro selo, o Pegasus), quis manter a curva ascendente de sucesso do grupo.

Isto pode ser sentido do ponto de vista da gravadora B&C - a empresa não perdeu a fé no Nazareth, mesmo quando Exercises, de 1972, seu segundo álbum de estúdio, em partes inspiradas pelo clássico American Beauty, do Grateful Dead, fracassou, e agora a companhia queria um retorno sobre o investimento que foi feito na banda.

Desta forma, o Nazareth se viu de volta ao estúdio trabalhando em um novo álbum no prazo de apenas seis meses do lançamento de Razamanaz.

O grande estouro da banda no Reino Unido se deu muito pela força de suas próprias composições presentes no álbum Razamanaz. Com a mesma formação que o havia gravado, para seu sucessor, o grupo trouxe a ideia de fazer covers totalmente frescas, com canções fortes escritas por outros artistas e que lhes trouxeram sucesso no exterior.

Uma amostra disto foi o sucesso do cover para “This Flight Tonight”, especialmente no Canadá. Ela foi retirada do grande álbum Blue, da cantora canadense Joni Mitchell, lançado em 1970.

Na verdade, o Nazareth praticamente reescreveu a composição.

O que eles fizeram foi levar a música de suas raízes, uma balada de forte inspiração Folk, para linhas pesadas próximas ao Heavy Metal da época.

Não admira, então, que Joni Mitchell ficou tão atordoada quando a ouviu e acabou amando esta versão, chegando mesmo a chamá-la de uma canção do Nazareth a partir de então.

Outra coisa que o Nazareth estava prestes a descobrir sobre a música como negócio, e seu caminho para o sucesso em uma escala global, foi a de que não há como contabilizar os gostos diferentes, no mercado de singles de país para país.

Darrell Sweet

Por exemplo, as músicas que eles lançaram como singles na América do Sul (especialmente no Brasil) tornaram-se grandes sucessos por lá, embora essas mesmas composições nem sequer tenham tocado nas rádios em qualquer outro lugar do mundo.

A capa de Loud 'n' Proud apresenta um pavão e é obra do artista Dave Field.

Vamos às faixas:

GO DOWN FIGHTING

Já em sua primeira faixa, Loud 'n' Proud mostra a que o Nazareth veio. A canção possui um riff forte, a presença muito intensa do baixo de Pete Agnew e ótima atuação do vocalista Dan McCafferty. Peso, swing e melodia em doses precisas.

A letra fala sobre espírito de luta:

Well I know you're thinkin'
That the odds is on your side
But the first thing you gotta learn is
That it just don't come down to size
I can see the seeds of doubt
Begin to grow on your face
If you wanna back down now
You know that's no disgrace



NOT FAKING IT

O ritmo continua pesado, intenso, embora com o balanço típico do Hard Rock do Nazareth. Em "Not Faking It", o grupo aposta em uma sonoridade mais agressiva, a qual lembra o Deep Purple, mas que é amenizada durante o ótimo refrão.

A letra é divertida e brinca com figuras históricas:

Tricky dicky was a fast talker
But his promises were always a lie
Nostradamus was a doomwatcher
Predicted when we're gonna die
Cleopatra was a love giver
Jesse James was a born killer
Me, I'm just a rock'n'roll singer



TURN ON YOUR RECEIVER

A guitarra de Manny Charlton é um ótimo destaque desta composição, ditando o ritmo e promovendo o 'balanço' da canção com um riff muito criativo. O solo do guitarrista também é ótimo. Boa música.

A letra brinca com a fé:

Turn on your receiver
There's a message comin' through
Keep your hands off my woman
Keep your hands to yourself
Keep your hands off my woman



TEENAGE NERVOUS BREAKDOWN

Já nesta faixa, o Nazareth desenvolve uma típica sonoridade dos tempos iniciais do Hard Rock, ou seja, muito baseada no Blues norte-americano. O baixo de Pete Agnew é quem determina o balanço. Ótima presença dos vocais de McCafferty.

A letra fala sobre o próprio Rock 'n' Roll:

Well, some contend that this rock'n'roll
Is bad for the body, bad for the soul
Bad for the heart, bad for the mind
Bad for the deaf and bad for the blind
It makes some men crazy and then they talk like fools
It makes some men crazy and then they start to drool

Trata-se de um cover para “Teenage Nervous Shakedown”, canção da banda norte-americana Little Feat, presente em seu álbum Sailin' Shoes, lançado em 1972.



FREE WHEELER

Já em "Free Wheeler", o andamento é mais cadenciado, mas o grupo não abre mão do seu peso típico. As incursões da guitarra de Manny Charlton são precisas e oferecem o seu (ótimo) típico feeling. O bom trabalho de percussão é feito por Roger Glover, produtor do álbum e baixista do Deep Purple.

A letra fala sobre liberdade:

I'm a freewheeler, living undercover
When things get hot I have to move out fast
When they know I'm lyin', the women come cryin'
But still I go the road I choose to go



THIS FLIGHT TONIGHT

Em "This Flight Tonight", o Nazareth faz um grande trabalho. A atuação do vocalista Dan McCafferty é brilhante, bem como a do baixista Pete Agnew. A fusão de intensidade, melodia e malícia é muito bem construída. Versão muito interessante.

A letra fala sobre o amor:

It wasn't the one that you gave to me
That night down south between the trailers
Not the early one that you wish upon
Not the northern one that guides in the sailors




This Flight Tonight” acabou por se tornar uma das canções favoritas dos fãs do Nazareth.

Conforme foi dito, trata-se de uma versão cover para “This Flight Tonight”, da cantora canadense Joni Mitchell, presente em seu álbum Blue, de 1970.

O baixista Pete Agnew relembrou em uma entrevista que a banda ouvia muito Joni Mitchell nas vans que os levavam para shows, sendo Blue o disco favorito e “This Flight Tonight” a canção predileta.

Joni acabou gostando muito da versão que o Nazareth fez para a sua música, especialmente depois que o single se tornou um grande sucesso internacional. Certa feita, em um show dela em Londres, ela fez uma homenagem muito cortês ao grupo, afirmando ao tocar “This Flight Tonight”: “'I'd like to open with a Nazareth song'!” (algo como: “Eu gostaria de abrir (o show) com uma canção do Nazareth”).

This Flight Tonight” foi o principal single lançado para promover Loud 'n' Proud. Atingiu o ótimo 11º lugar na principal parada britânica desta natureza. Também conquistou o 27º lugar na parada canadense de singles, bem como a 1ª posição na correspondente alemã, país no qual se tornou um gigantesco sucesso.



CHILD IN THE SUN

O ritmo intenso e urgente de Loud 'n' Proud cai vertiginosamente em "Child in the Sun", mas isto não é necessariamente ruim. A composição possui um andamento mais arrastado, pouco peso e uma melodia calma e suave. O bom trabalho da seção rítimica e da guitarra de Manny Charlton apenas realçam a atuação impecável dos vocais de McCafferty.

A letra fala sobre busca de redenção:

Take me down to the river
Take me down to the sea
Where I can drown all my sorrows
Wash all my troubles away
Watch all my cares sail away



THE BALLAD OF HOLLIS BROWN

A oitava - e última - faixa de Loud 'n' Proud é "The Ballad of Hollis Brown". O Nazareth apresenta um ritmo intenso, bem pesado, mas lentamente desenvolvido, tornando a canção bastante arrastada. A atuação impecável de McCafferty, em conjunto com a sonoridade desenvolvida, transmite de maneira precisa o desespero apresentado na letra.

A letra fala sobre desespero:

Way out in the wilderness a cold coyote calls
Way out in the wilderness a cold coyote calls
Your eyes fix on the shotgun
That's hangin' on the wall

Trata-se de uma versão para o Blues, composto pelo cantor e compositor norte-americano, Bob Dylan, de mesmo nome. Ela foi originalmente lançada em 1964, no álbum de Dylan chamado The Times They Are A-Changin'.

A letra conta a história de um fazendeiro que, desesperado com a pobreza, acaba matando toda a família e se suicidando também.



Considerações Finais

Catapultado pelo sucesso da versão para “This Flight Tonight”, Loud 'n' Proud acabou conseguindo o seu objetivo de manter o Nazareth em sua linha ascendente de sucesso.

O álbum acabou conquistando o ótimo 10º lugar na principal parada britânica de discos, enquanto ficou com a modesta 150ª posição na correspondente norte-americana. Em compensação, angariou as ótimas 9ª e 17ª colocações nas paradas de Noruega e Canadá, respectivamente.

Tão importante quanto o sucesso comercial e de crítica foi o fato de Loud 'n' Proud solidificar o estilo estético/sonoro que a banda havia projetado em Razamanaz, mostrando que o grupo estava no caminho certo.

Ao lançamento do álbum se seguiu uma outra bem-sucedida turnê.

E em cerca de 6 meses após o lançamento de Loud 'n' Proud, o grupo já soltava seu novo trabalho para aproveitar o sucesso crescente, o ótimo Rampant, de 1974.



Formação:
Dan McCafferty - Vocal
Darrell Sweet - Percussão, Bateria, Backing Vocals
Pete Agnew - Baixo, Fuzz Bass (8), Backing Vocals
Manny Charlton - Guitarra (solo, slide e acústica), Backing Vocals

Faixas:
01. Go Down Fighting (Agnew/Charlton/McCafferty/Sweet) - 3:07
02. Not Faking It (Agnew/Charlton/McCafferty/Sweet) - 4:01
03. Turn On Your Receiver (Agnew/Charlton/McCafferty/Sweet) - 3:19
04. Teenage Nervous Breakdown (George) - 3:43
05. Free Wheeler (Agnew/Charlton/McCafferty/Sweet) - 5:31
06. This Flight Tonight (Mitchell) - 3:24
07. Child in the Sun (Agnew/Charlton/McCafferty/Sweet) - 4:51
08. The Ballad of Hollis Brown (Dylan) - 9:11

Letras:
Para o conteúdo completo das letras, recomenda-se o acesso a: https://www.letras.mus.br/nazareth/

Opinião do Blog:
Loud 'n' Proud é o outro fruto da fase mais interessante, prolífica e criativa do Nazareth, em outras palavras, o início dos anos 70. O conjunto de canções presentes na obra são uma boa amostra do alto nível que o grupo apresentava em seu início de carreira.

Ao se escutar o disco, é bastante palpável o nível de entrosamento dos músicos que compunham o Nazareth, bem como suas qualidades. A seção rítmica formada pelo baixista Pete Agnew e o baterista Darrell Sweet dita o ritmo e oferece o swing característico do Hard Rock do conjunto escocês.

O bom guitarrista Manny Charlton promove riffs e solos que apontam para sua sensibilidade e feeling aguçados. Mas o Blog destaca o vocalista Dan McCafferty, a quem julga bastante subestimado, pois, sua voz marcante e sua atuação altamente impressiva, são, muito possivelmente, as grandes responsáveis pela qualidade do trabalho.

As letras merecem uma conferida, especialmente a de "The Ballad of Hollis Brown", imprescindível para a compreensão da proposta musical da faixa.

Loud 'n' Proud, se tem um pecado, é o alto número de versões cover (3 de 8 faixas), mesmo que o resultado final delas seja elevado.

As pesadas e 'hardeiras' "Go Down Fighting" e "Not Faking It" já abrem o álbum em ritmo intenso e acelerado, despejando adrenalina no ouvinte. O mesmo acontece com a excelente "Free Wheeler", bem possivelmente, a preferida do Blog.

Ainda merecem destaque a grande versão para "This Flight Tonight" e a tocante balada "Child in the Sun", a qual possui uma atuação soberba de McCafferty.

Enfim, Loud 'n' Proud é outro trabalho de peso na discografia do Nazareth, apresentando uma banda em ascensão e cujo ápice seria o inesquecível Hair of the Dog (1975), ao menos em termos comerciais. Concluindo, o RAC recomenda tanto a discografia inicial do grupo escocês quanto o ótimo Loud 'n' Proud, este, uma boa amostra do que o Hard Rock setentista era capaz.

0 comentários:

Postar um comentário