4 de julho de 2014

TRIUMPH - JUST A GAME (1979)


Just a Game é o terceiro álbum de estúdio da banda canadense chamada Triumph. Seu lançamento oficial se deu no dia 30 de março de 1979, com a produção sob responsabilidade de Mike Levine. As gravações ocorreram durante o ano de 1978 nos estúdios Sounds Interchange Studios, em Toronto e no Metalworks Studios, em Mississauga, ambos no Canadá.


O Triumph é uma banda canadense que não possui tanto reconhecimento fora do público Hard Rock, mas tem inegável talento e ótima capacidade de compor músicas cativantes. O Blog vai abordar o início da carreira do grupo para depois tecer comentários sobre o álbum em questão.

O baterista Gil Moore e o baixista e tecladista Mike Levine observaram o guitarrista Rik Emmett uma noite em 1975, em um clube noturno de Toronto, chamado The Hollywood Tavern, no qual Emmett estava tocando com uma banda chamada ACT III.

Os três músicos, posteriormente, se reuniram para uma “jam session” no porão da casa de Moore, em Mississauga (Canadá), após a qual, Moore e Levine mostraram a Emmett materiais promocionais e contratos que já tinham garantidos para shows a partir de setembro daquele ano.

Mike Levine
Eles também ofereceram a Emmett um salário semanal mínimo garantido de 175 dólares e ele concordou em se juntar como um membro fundador da banda.

O primeiro show “pago” do Triumph foi na Simcoe High School, em 19 de setembro de 1975, pelo valor de 750 dólares.

Por volta de 26 de agosto de 1978, eles já eram uma das principais bandas no Canada Jam Festival, em Mosport Park, tocando perante uma multidão de 110.000 pessoas.

O Triumph assinou seu primeiro contrato com a gravadora Attic Records, no Canadá. Mais tarde, eles assinaram com a RCA Records nos Estados Unidos cobrindo todas as áreas daquele país, exceto o Canadá.

Após problemas com a RCA, a banda assinou contrato com a MCA Records, a qual relançou toda a sua discografia até 1984.

Também após a mudança para a MCA, a banda começou a trabalhar com novos produtores, e os seus álbuns de estúdio se tornaram cada vez mais difíceis de serem reproduzidos nos shows.

O primeiro álbum do Triumph (originalmente auto-intitulado, mas mais tarde renomeado para In The Beginning) era bastante raro fora do Canadá.

Seu segundo álbum, amplamente divulgado, Rock & Roll Machine, recebeu alguma circulação nas rádios, especialmente com o cover da canção de Joe Walsh “Rocky Mountain Way”. Mas “Takes Time” é uma música legal, bem como a faixa título.

Em meados de 1978, o Triumph se juntou ao grande Sammy Hagar em uma rádio FM de San Antonio, Texas, para um dia promocional, o qual foi seguido por uma série de cinco shows no Texas através da JAM Productions (de um promotor chamado Joe Miller).

Rik Emmett
Em seguida, excursionou por todo o Canadá com as bandas canadenses Moxy e Trooper.

San Antonio, no Texas, permaneceu um local popular para o trio ao longo de sua carreira.

A partir do final de 1978 a banda se reuniu nos estúdios para gravar o que seria seu terceiro álbum de estúdio, Just A Game, optando pelo próprio Mike Levine fazer a produção.

A capa é bem legal, contando com jogos de tabuleiro estilizados. Vamos às faixas:

MOVING ON

“Moving On” abre o disco. É uma faixa que apresenta bons vocais e um riff bem setentista, simples, mas que funciona de maneira eficiente. O ritmo é mais cadenciado e não há muito peso nos instrumentais, mas é uma boa canção.

A letra pode ser interpretada como a história da banda, que superava as suas dificuldades:

Our problems have disappeared
Vanished one by one
We've got to keep on movin'
Until we're done



LAY IT ON THE LINE

A segunda faixa do trabalho se inicia de maneira bastante suave e segue em um ritmo bastante próximo a de uma balada, mas com uma pegada mais impactante e forte, especialmente quando se apresenta o refrão. Uma excelente composição do grupo.

A letra tem conotação romântica:

You know I love you, you know it's true
It's up to you, girl, what've I got to do
Don't hold me up, girl, don't waste my precious time
Won't you lay it on the line?

Lançada como single, até teve boa circulação no Canadá e intensa divulgação nos Estados Unidos onde conseguiu alcançar a 86ª posição na principal parada de singles norte-americana.



YOUNG ENOUGH TO CRY

Com um ritmo mais suave e tenso, a terceira canção do álbum é um sensível Blues Rock, feito com o toque mais intenso do Triumph. Sendo assim, a música se desenvolve com boa técnica, solos inspirados de Rik Emmett e ótimos vocais. Trata-se de um dos grandes momentos do disco.

A letra apresenta um cara que sofre por um amor não correspondido:

Are you sure I'm the heartless one, woman,
After all we've been through?
I gave you the best of my love, sweet hoochie-koo
They say I was too old to get hurt in love,
Do you still think that's true?
'Cause girl, when you left me,
You broke my heart right in two



AMERICAN GIRLS

Com um ótimo ritmo setentista, “American Girls” começa com um andamento cadenciado, mas com peso e velocidade na medida certa. Os vocais são muito bons, casando-se perfeitamente com a parte instrumental. Outra faixa empolgante do álbum.

A letra é uma ode às mulheres norte-americanas:

I know how to treat a lady
Who knows how to treat her man
I've been in love one or two times
I made out the best that I can
I've been all around the world and back
And here's what I have to say
The ladies I love and livin' in the U.S.A



JUST A GAME

A quinta música do disco é a faixa-título, “Just A Game”. Após uma bela e intensa introdução, a canção se desenvolve em um ritmo mais suave, contemplado por uma melodia muito bonita e ao mesmo tempo marcante. Encanta na faixa, também, os ótimos solos de Rik Emmett. Lindíssima composição!

A letra é ótima e reflete como a vida apresenta diferentes situações ilusórias:

It's just a game, you're in it all the way
It's just a game, don't let yourself slip away
It's such a shame, I heard somebody say
It's just a game, and all I can do...is play



FANTASY SERENADE

Com pouco mais de 1 minuto, “Fantasy Serenade” é uma música instrumental somente ao violão.



HOLD ON

“Hold On” é uma canção que se inicia de maneira mais suave e que depois vai ganhando um certo peso mais próximo ao Hard Rock. Mesmo assim, o que encanta na faixa é sua leve melodia, que cativa e contagia o ouvinte. Os vocais são muito bons, assim como os solos, compondo uma excelente música.

A letra é muito boa, levando o ouvinte a acreditar em seus sonhos e incentivando-o a os perseguir:

Hold on, hold on to your dreams
Hold on, even though it seems
Everyone around you has their little schemes
Listen to your heart and hold on to your dreams

“Hold On” foi composta por Rik Emmett dois anos antes do lançamento do álbum Just A Game. Era uma música inicialmente acústica, mas que a banda optou por transformá-la em uma faixa mais pesada.

Devido à sua complexidade, “Hold On” era raramente executada nos shows do Triumph e, quando isso acontecia, era na forma acústica.


O videoclipe feito para promover a canção continha a versão reduzida da faixa e, por esse motivo, possuía apenas pouco mais de 2 minutos. Foi também neste formato que a música foi lançada fora do Canadá e dos Estados Unidos.

“Hold On” pode ser considerado o primeiro maior sucesso do Triumph. Lançada como single, atingiu a boa 38ª posição da parada norte-americana desta natureza.



SUITICASE BLUES

Como o próprio nome sugere, ‘Suiticase’ é um Blues feito com a característica do estilo criado pelos norte-americanos. Sua pegada lenta e arrastada, mas repleta de melodia, aliada à uma bela interpretação, faz um ótimo momento do disco.

A letra é triste e repleta de melancolia:

I got the blues
And I got them really bad
The suitcase blues
Are the worst I ever had
All by my lonesome
And I'm halfway 'round the bend
I don't mind drinkin' solo
But I sure could use a friend



Considerações Finais

Impulsionado pelo sucesso da música “Hold On”, o Triumph conseguiu penetrar de maneira, ainda que modesta, no mercado norte-americano.

Retrato disto é que Just A Game acabou alcançando a razoável 48ª posição da principal parada de álbuns norte-americana.

Mais que isso, “Lay It On The Line” teve intensa divulgação nas rádio norte-americanas, especialmente às mais voltadas ao Rock com pegada mais suave (AOR), sendo assim, atraindo interesse para o grupo.

“Lay It On The Line” ainda permanece como uma das faixas de maior sucesso do Triumph.

Just A Game vendeu mais de 500 mil cópias apenas nos Estados Unidos.



Formação:
Rik Emmett - Guitarras, Vocais
Gil Moore - Bateria e Vocais
Michael Levine - Baixo, Teclados

Faixas:
01. Moving On (Moore) – 4:07
02. Lay it on the Line (Emmett) – 4:02
03. Young Enough to Cry (Moore) – 6:03
04. American Girls (Moore) – 5:01
05. Just a Game (Emmett) – 6:13
06. Fantasy Serenade (Emmett) – 1:39
07. Hold On (Emmett) – 6:04
08. Suitcase Blues (Emmett) – 3:01

Letras:
Para o conteúdo completo das letras, recomenda-se o acesso a: http://letras.mus.br/triumph/

Opinião do Blog:
O Triumph é uma ótima banda que surgiu no Canadá no fim dos anos setenta e lançou alguns álbuns muito bons, como o que se apresentou desta vez aqui, Just A Game. O Blogeiro acabou conhecendo o grupo quase por acaso, através deste álbum, em uma matéria da Internet sobre conjuntos canadenses.

Talvez a excessiva comparação com o Rush, a maior banda daquele país, tenha prejudicado o Triumph. A grande semelhança, além da óbvia origem e o fato de ambas estarem envolvidas com o Rock, é o formato de “Power Trio”. O Rush tem uma proposta bastante criativa, mergulhando em estilos diferentes e associando-os, de maneira espetacular, ao Rock.

O Triumph predominantemente seguiu na linha do Rock, com boa pegada setentista e flertando com o Hard Rock de maneira mais contínua. O grupo obteve sucesso, especialmente nos anos 80, mas talvez, tivesse galgado mais degraus de fama.

Independentemente disto, Just A Game é um trabalho de muita qualidade e extremamente sólido. A boa técnica dos componentes da banda pode ser largamente ouvida, com um pequeno destaque para Rik Emmett com seus solos esbanjando bom gosto.

As letras também mantêm a qualidade elevada, embora quando o romantismo predomine, possa soar um pouco piegas. Mas nada que prejudique o disco.

“Lay It On The Line” é ótima, como também o é “American Girls”. “Hold On” é outro bom momento, mas a faixa que mais agrada é mesmo a excelente “Just a Game”.

Enfim, uma ótima banda que começava a viver seus melhores momentos. Just A Game é um grande trabalho que merece ser conhecido por mais amantes do Rock. Muito recomendado!

0 comentários:

Postar um comentário