16 de novembro de 2018

ZZ TOP - TEJAS (1976)



Tejas é o quinto álbum de estúdio da banda norte-americana chamada ZZ Top. Seu lançamento oficial aconteceu em 29 de novembro de 1976 através do selo London Records. As gravações ocorreram naquele mesmo ano e a produção ficou sob responsabilidade de Bill Ham.

O ZZ Top retorna às páginas do RAC com outro disco integrante de sua boa discografia: Tejas. Como de costume, o Blog retratará os fatos que se antecederam ao lançamento do disco, antes do tradicional faixa a faixa.



Tres Hombres

Em 26 de julho de 1973, o ZZ Top lançava o clássico Tres Hombres, seu terceiro álbum de estúdio.

O disco já foi alvo de um post do RAC e o leitor pode acessá-lo aqui.

Em linhas gerais, esta foi a primeira vez em que a banda trabalhou com Terry Manning como engenheiro de som. Foi uma combinação bem-sucedida, pois o lançamento é tido como um avanço comercial da banda.

O single “La Grange” alcançou o 41º lugar na principal parada de singles.

ZZ Top em ação!

Tres Hombres atingiu a excelente 8ª posição na principal parada de sucessos norte-americana, a Billboard. Em 2003, a tradicional revista Rolling Stone o colocou na 498ª posição de sua lista de 500 melhores álbuns de todos os tempos.

Na turnê subsequente, a banda fez shows com ingressos esgotados pelos EUA. O ZZ Top gravou as faixas ao vivo do seu álbum de 1975, Fandango!, durante esta turnê.

Fandango!

Buscando manter sua linha ascendente de sucesso comercial, o ZZ Top lançava seu quarto álbum de estúdio, Fandango!, em 18 de abril de 1975.

O lado A do LP original contava com 3 faixas gravadas ao vivo durante a supracitada turnê promocional de Tres Hombres. Já o lado B apresentava 6 faixas inéditas, todas gravadas em estúdio.

Fandango! apresenta petardos como “Blue Jean Blues”, “Mexican Blackbird” e “Tush”, esta última lançada como single e que atingiu a 20ª posição da principal parada norte-americana desta natureza.

O disco conseguiu a 10ª posição da principal parada norte-americana desta natureza, a Billboard, mantendo a ascensão de sucesso do grupo.

Billy Gibbons

Tejas

Para a gravação de seu quinto álbum de estúdio, Tejas, o ZZ Top continuava com sua formação clássica: Billy Gibbons no vocal e guitarra, Dusty Hill no baixo e Frank Beard na bateria.

O nome ‘tejas’é uma palavra do idioma Caddo que significa ‘amigos’ e que é a origem do nome do estado natal da banda, o Texas. (Nota do Blog: Caddo é a única sobrevivente dentre as Línguas caddoanas meridionais. É falada por membros da Confederação Indígena Caddo de Oklahoma. Em 2009 havia somente 25 falantes da língua Caddo que a aprenderam quando crianças de modo não acadêmico).

O álbum foi gravado durante aquele ano de 1976 e seria lançado em novembro daquele mesmo ano, tornando-se o último trabalho da banda com a gravadora London Records.

O artista Bill Narum foi o responsável pela arte da capa de Tejas. (Nota do Blog: Bill Narum foi um artista, ilustrador e ícone da contracultura do Texas, conhecido por seu trabalho em entretenimento popular, e por ser um dos poucos não-nativos a ter vivido com a tribo Tarahumara, do norte do México, no Copper Canyon).

IT’S ONLY LOVE

"It's Only Love" possui um ritmo cadenciado e uma sonoridade sofisticada, em outras palavras, é um Boogie Rock com uma musicalidade mais leve e suave. Não espere aqui a crueza mais áspera do início de carreira dos caras. 

A letra é sobre o fim de um relacionamento:

Well, it's all over now but the cryin'
I keep on payin' the price for my lyin'
Don't let it get you down it ain't nothin' new
You ain't the only one that it's happened to

“It’s Only Love” foi o principal single lançado para promover Tejas. Ele acabou alcançando a 44ª posição da principal parada norte-americana desta natureza.



ARRESTED FOR DRIVING WHILE BLIND

Neste clássico do grupo, o Blues Rock com forte influência do Hard volta a dar as caras. A guitarra de Billy Gibbons está ácida e indomável, podendo brilhar sobre a ótima base construída pelo baixo de Dusty Hill e pela bateria de Frank Beard. ZZ Top em estado bruto!

A letra é uma clara brincadeira com o fato de se dirigir intoxicado:

Then they had us up against the wall
Hey it's only blood grain alcohol
And there ain't no cause for alarm
We ain't out to do nobody no harm
How could anyone be so unkind
To arrest a man for drivin' while blind



A canção ostensivamente diz respeito aos prazeres e armadilhas legais de se dirigir sob a influência de álcool, após o anoitecer, como um antídoto para oportunidades limitadas de lazer. A letra faz referência a várias marcas populares de bebidas alcoólicas.

Em uma entrevista, de 1985, para a revista norte-americana Spin, no entanto, o baixista Dusty Hill disse que a música não deveria encorajar as pessoas a dirigirem bêbadas:

“Não é nada disso. Billy diz: ‘Não seja preso por dirigir cego’. Não estamos dizendo: ‘não beba’. Estamos apenas fazendo uma música”.

“Arrested for Driving While Blind” foi o segundo single lançado para promover o disco, atingindo a 91ª colocação da principal parada norte-americana desta natureza.



EL DIABLO

"El Diablo" é um Blues bonito, com a guitarra de Gibbons e o baixo de Hill dominando o ambiente. A canção possui um aspecto mais intimista e vocais mais contidos de Billy.

A letra se refere a um fora-da-lei:

He was caught, he was bound
In La Casa de Calaboose.
He was tried; he was found
And readied for the noose.
But the break he would make,
It didn't turn out so well.
And the hombre called "Diablo"
Bid his last farewell.



SNAPPY KAKKIE

"Snappy Kakkie" é uma música bem curtinha, indo direto ao ponto, sendo um Blues Rock malicioso e bem divertido.

A letra é em tom de diversão:

I say Hey! Snappy Kakkie!
Do you wanna play?
I say Hey! Snappy Kakkie!
I said whatcha' say!
The water she is nice we can steal away
They'll never know we're gone 'til the break 'o day
Come on! Come on!



ENJOY AND GET IT ON

"Enjoy and Get It On" também possui a típica sonoridade do ZZ Top setentista, ou seja, um Blues Rock mais ácido e mais agressivo, repleto de uma melodia abusivamente maliciosa. A guitarra de Gibbons é um enorme diferencial da faixa.

A letra é em tom sensual:

How does it feel holdin' me again
She's holdin' on like it gonna never end
Well I'm home thinkin' I should stay
While I'm here just let me hear you say
Say you enjoyed baby
Really enjoyed gettin' it on



“Enjoy and Get It On” foi o terceiro single lançado para promover Tejas, mas acabou não repercutindo em termos das principais paradas desta natureza.



TEN DOLLAR MAN

"Ten Dollar Man" conta com os vocais agressivos de Dusty Hill, os quais se casam perfeitamente com o aspecto mais cru da canção. O bom trabalho do baterista Frank Beard se destaca em uma típica música da banda texana.

A letra é bem crítica:

Mister Ten Dollar Man with that gold in your hand,
Comin' 'round here after sunlight
With your peaches and your Pream
And your rollin' magazine,
Tellin' me you'll make me feel alright.
Now, you'll make me feel alright



PAN AM HIGHWAY BLUES

"Pan Am Highway Blues" flerta mais com o Hard Rock, apostando mais na sempre criativa guitarra de Billy Gibbons. Gibbons e Hill se revezam nos vocais e a faixa acaba se tornando um dos melhores momentos do disco.

A letra faz várias referências à América Latina:

If she'd meet me in San Salvador
I'd buy her a drink or two
We'd talk about our used to be
And ride on to Peru
The time to get it right is here and now
If she won't I'll move on anyhow



AVALON HIDEAWAY

"Avalon Hideaway" se apresenta com uma melodia bem criativa e repleta de um som malicioso. Novamente, Hill e Gibbons se revezam nos vocais. O solo de guitarra de Gibbons é bem legal.

A letra fala de um bar com jogo e mulheres:

If you don't know what I'm talkin' about
Let me ease your worried mind
It's the place to go without a doubt
But it's a little bit hard to find
Back in the timber, once you're there
You'll wanna stay
Get loose and limber anytime night or day
Just remember, ask for the Avalon hideaway



SHE’S A HEARTBREAKER

Nesta música, o grupo continua apostando em um Boogie Rock bem malemolente. Bons vocais e uma sonoridade suave produzem uma composição simples mas bem executada.

A letra menciona uma garota sedutora:

But this sweet young thing of seventeen
Would sting you with the lovesick blues
Just a blonde haired blue eyed picture of sin
Lookin' for someone to use



ASLEEP IN THE DESERT

A décima - e última - faixa de Tejas é "Asleep in the Desert". Trata-se de uma música instrumental em que Billy Gibbons dá uma pequena amostra de seu enorme talento. Intimista e tocante, a canção fecha o álbum de modo interessante.



Considerações Finais

Tejas conseguiu manter o interesse pelo trabalho do ZZ Top e sua linha ascendente de sucesso.

O álbum conquistou a 17ª posição da principal parada norte-americana de discos, a Billboard, embora não tenha repercutido na correspondente britânica. Ainda ficou com o 21º e o 72º lugares nas paradas de Suécia e Austrália, respectivamente.

Tejas não foi tão bem-sucedido comercialmente ou tão positivamente recebido (pela crítica especializada) quanto seus esforços anteriores, mesmo atingindo uma boa posição na principal parada americana.

O famoso crítico Robert Christgau avaliou o disco com uma nota ‘C+’. Jim Smith, do site AllMusic, dá ao trabalho uma nota 2 (de 5), avaliando:

“Em Tejas, o ZZ Top atingiu a postura de blues de seus álbuns anteriores, resultando em um ligeiro desvio entre o espírito de Fandango e o estilo psicodélico de Deguello. Embora o álbum não tenha nenhum single tão forte quanto “Tush” ou “La Grange”, “Arrested for Driving While Blind” é um dos hinos clássicos do ZZ, capturando o humor maluco do grupo e o boogie de primeira”.

Em 1987, uma versão digital remixada da gravação foi lançada em CD e a versão original do mix, de 1976, foi descontinuada. A versão remix criou controvérsia entre os fãs, pois alterou significativamente o equilíbrio e o som dos instrumentos, especialmente da bateria. A mixagem original do álbum foi lançada em CD, em junho de 2013, como parte do box The Complete Studio Albums (1970-1990).

O ZZ Top continuou a Worldwide Texas Tour em apoio a Tejas, embora já estivesse em turnê por sete anos.

Depois, a banda partiu para o que deveria ser uma pausa de 90 dias em aparições públicas. Gibbons viajou para a Europa, Beard foi para a Jamaica e Hill foi para o México. O intervalo acabou por se estender a dois anos, durante os quais Gibbons e Hill ficaram com as barbas na altura do peito.

Em 1979, o ZZ Top assinou com a gravadora Warner Bros Records e lançou seu sexto álbum de estúdio, Degüello.

Tejas supera a casa de 500 mil cópias vendidas apenas nos Estados Unidos.



Formação:
Billy Gibbons - Guitarra, Vocal, Gaita, Violino
Dusty Hill - Baixo, Teclados, Backing Vocals, Vocal em 06, co-vocal em 01, 07 e 08
Frank Beard - Bateria, Percussão

Faixas:
01. It's Only Love (Gibbons/Hill/Beard) - 4:24
02. Arrested for Driving While Blind (Gibbons/Hill/Beard) - 3:05
03. El Diablo (Gibbons/Hill/Beard) - 4:20
04. Snappy Kakkie (Gibbons/Hill/Beard) - 2:56
05. Enjoy and Get It On (Gibbons/Hill/Beard) - 3:23
06. Ten Dollar Man (Gibbons/Hill/Beard) - 3:42
07. Pan Am Highway Blues (Gibbons/Hill/Beard) - 3:15
08. Avalon Hideaway (Gibbons/Hill/Beard) - 3:07
09. She's a Heartbreaker (Gibbons/Hill/Beard) - 3:02
10. Asleep in the Desert (Gibbons) - 3:24

Letras:
Para o conteúdo completo das letras, recomenda-se o acesso a: https://www.letras.mus.br/zz-top/

Opinião do Blog:
Após mais de 4 anos enfim é chegado o momento do excelente ZZ Top retornar às páginas do RAC!

Tejas, o álbum aqui apreciado, mantém a mesma clássica e inesquecível formação do conjunto: Billy Gibbons na guitarra e vocais, Dusty Hill no baixo e Frank Beard na bateria. Sinônimo de alta qualidade.

Entretanto, é necessário notar que Tejas é um álbum diferente na discografia do ZZ Top. Embora o grupo continue apostando no Blues/Hard/Rock, as canções aqui soam menos intensas e ferozes quando comparadas a, especialmente, o antológico Tres Hombres.

Seja pela produção mais polida e menos 'crua', ou mesmo por abordagens mais suavizadas, Tejas aponta para uma, mesmo que ainda tímida, aproximação do grupo com uma musicalidade mais "Pop", tornando-se um sinal daquilo que o conjunto se transformaria nos anos 80.

Mesmo assim, ainda há muito do ZZ Top blues e hard em Tejas, como na antológica faixa "Arrested for Driving While Blind", uma fortíssima candidata a melhor composição da banda, estando, para o RAC, no mesmo patamar que o da inesquecível "La Grange".

As letras são muito divertidas, demonstrando outra face clássica da banda, seu humor picante e despudorado.

Outras canções que merecem destaque são a maliciosa "It's Only Love", a agressiva "Ten Dollar Man" e a pesada "Pan Am Highway Blues".

Enfim, ficou claro que Tejas não se aproxima nenhum pouco do altíssimo padrão estabelecido pelo próprio ZZ Top em Tres Hombres, mas Tejas não é um disco descartável. Afinal, qualquer álbum que contenha uma música como "Arrested for Driving While Blind" merece ser ouvido com atenção.

0 comentários:

Postar um comentário