4 de dezembro de 2015

SAXON - WHEELS OF STEEL (1980)


Wheels Of Steel é o segundo álbum de estúdio da banda inglesa Saxon. Seu lançamento oficial aconteceu em 5 de maio de 1980 através do selo Carrere Records. As gravações ocorreram no mês de fevereiro de 1980, no Ramport Studios, em Londres, na Inglaterra. A produção ficou a cargo da própria banda em conjunto com Pete Hinton.


O Saxon é um dos expoentes da New Wave Of British Heavy Metal, ou NWOBHM, movimento que revolucionou o estilo no início dos anos 80 e deu ao mundo grupos do calibre de Iron Maiden, Diamond Head e Saxon, por exemplo.

O Blog já tratou das origens do Saxon no post sobre o álbum Power & TheGlory. Portanto, o texto aqui vai se ater aos acontecimentos que precedem o lançamento de Wheels Of Steel.

Em 21 de maio de 1979, o Saxon lançava seu primeiro álbum de estúdio, homônimo à banda, através do selo Carrere Records, propriedade do francês Claude Carrere.

O selo começou a se interessar pelo rock pesado naquela época e o Saxon foi a primeira banda de Heavy Metal no catálogo da gravadora.

O primeiro trabalho da banda evidentemente apresenta um grupo ainda inexperiente em matéria de estúdio de gravação, mas com apetite para crescer.

Biff Byford
E o disco traz ótimas canções como “Big Teaser" e "Still Fit to Boogie", a belíssima “Frozen Rainbow” e o clássico “Stallions of the Highway”, esta uma pérola na discografia da banda.

O primeiro single retirado do álbum foi “Big Teaser”, que embora tenha agradado ao público de Haevy Metal, não causou maior repercussão na principal parada de sucesso do Reino Unido.

“Backs To The Wall” foi escolhida como o segundo single para promover o álbum de estreia do Saxon e também passou em branco em termos de paradas de sucesso.

Entretanto, o single foi lançado para coincidir com uma turnê britânica como convidados especiais do Motörhead.

A turnê, a qual começou em 10 de novembro de 1979, no Bracknell Sports Centre, levou a banda a todos os principais locais de shows de todo o Reino Unido, incluindo três noites no mais que emblemático Hammersmith Odeon, em Londres.

A 'tour' terminou em 16 de dezembro, no concerto de natal especialmente organizado no mesmo Hammersmith Odeon.

Mesmo assim, o álbum de estreia do Saxon não foi um sucesso comercial e nem em termos de paradas de sucesso, mas sua turnê promocional se provou fundamental na divulgação da banda para um público muito maior.

Assim, já na virada para 1980, logo em fevereiro, a banda foi para Londres gravar seu segundo álbum de estúdio.

Steve Dawson
O estúdio escolhido foi o Ramport Studios.

A produção ficou a cargo de Pete Hinton e do próprio Saxon. A capa é bem legal. Vamos às faixas:

MOTORCYCLE MAN

Um típico riff de Heavy Metal tradicional abre o álbum, em "Motorcycle Man". A bateria frenética de Pete Gill também é uma das marcas profundas da canção. Os bons vocais de Biff Byford são fundamentais para a qualidade do que se ouve. Ótimo início.

A letra é simples, falando de paixão por motocicletas:

If you see me riding by
Do not stop me, do not try
'Cause I'm a motorcycle man
I get my kicks just when I can
When I can



STAND UP AND BE COUNTED

O peso tradicional do Heavy Metal continua na segunda faixa do disco, mas, desta feita, o Saxon opta por um ritmo mais cadenciado, apostando no andamento mais lento da canção. Isto não afeta em nada a qualidade da composição. O riff principal é ótimo, assim como o solo de guitarra também o é. O nível do álbum se mantém muito alto.

A letra conclama as pessoas a lutarem por seus direitos:

Down, down at the bottom
Ya gotta try to get yourselves up
Ya got nothing to lose when your there
There at the bottom
Ya gotta stand up
Stand up for your rights



747 (STRANGERS IN THE NIGHT)

A terceira faixa do álbum começa com um inspirado solo de guitarra, abusando do feeling e do bem gosto. Desta vez, a banda flerta com o Hard Rock e abusa de um riff principal muito bom. O ritmo é mais lento e o peso não está tão pronunciado. O refrão é excelente, sendo constituído pelo momento mais suave dentro da canção. Enfim, uma composição de primeira linha!

A letra conta a história do voo Scandinavian 101:

This is Scandinavian 101
Flight from Hawaii coming out of the sun
Kennedy, you should be in sight
We can't see a thing here in the night
Navigator says we're on the flight path
There's no radio, no sign of life
This is Scandinavian 101
For Gods sake get the ground lights on

“747 (Strangers In The Night)” é um dos maiores clássicos da história do Saxon.

Lançada como single, atingiu a 13ª posição da principal parada britânica desta natureza.


Liricamente, a canção é sobre um corte de energia que forçou aviões em New York para permanecer no ar, em 1965. A queda de energia acabou provocando que um voo da Scandinavian Airlines acabasse por se desviar para o aeroporto de Kennedy no escuro.

O voo mencionado na letra, "Scandinavian 101 ", era na verdade o Scandinavian Airlines 911. A questão causou uma grande revisão na segurança e apoiou o futuro de tanques de combustível de reserva.

“747 (Strangers In The Night)” é uma das pouquíssimas canções do Saxon que sempre estiveram presentes nas turnês do grupo desde seu lançamento.



WHEELS OF STEEL

Um riff que praticamente sintetiza o que é a New Wave Of British Heavy Metal. Assim se dá o início de um dos clássicos do estilo, "Wheels Of Steel". O ritmo é mais cadenciado e o peso está na dose certíssima, sendo um fator apenas para acrescentar o brilhantismo da canção. O toque final para se atingir a perfeição é uma atuação soberba de Biff Byford, conquistando o ouvinte com sua voz marcante e interpretação impactante. Faixa extraordinária!

A letra é sobre velocidade:

I'm burnin' aviation fuel my foot's to the floor
Ya know she's crusin one-forty she'd do even more
I'm burnin' solid rubber I don't take no bull
'Cause my wheels of steel are rolling
They're rolling your way

“Wheels Of Steel” é outro clássico incontestável da banda.


Lançada como single, atingiu a 20ª posição da principal parada britânica desta natureza.

É outra canção que permanece constantemente no set list do grupo, pois é simplesmente adorada pelos fãs.

Está presente em games como: Grand Theft Auto: Episodes From Liberty City (Grand Theft Auto IV: The Lost and Damned e Grand Theft Auto: The Ballad of Gay Tony) e também em Brütal Legend.

A banda LA Guns também fez uma famosa versão cover presente no álbum Rips the Covers Off, de 2004.



FREEWAY MAD

"Freeway Mad" é a menor música do álbum, com pouco mais de 2 minutos de extensão. Após uma curta introdução na bateria de Gill, o ritmo fica muito veloz, indo direto ao ponto, graças a um riff bastante rápido.

A letra é novamente sobre carros e velocidade:

I'm going down the freeway
Never gonna get me out
Steaming like a freight train
Gonna blow my pistons out




SEE THE LIGHT SHINING

O ritmo continua bastante intenso e veloz, como na faixa anterior, em "See The Light Shining". O Heavy Metal tradicional é, obviamente, a proposta em uma música que apresenta um riff simples, mas que funciona perfeitamente. A seção rítmica faz bem seu papel. Os solos de guitarra são muito bons. Após sua metade, o Saxon surpreende o ouvinte, alternando o andamento da canção, optando por reduzir a velocidade e o peso, baseando-se em um riff cadenciado e mais melódico. Bem interessante.

A letra é sobre esperança:

I'm dyin', I'm dyin'
There ain't no use in tryin'
I'm gonna keep on livin' till the light's
Shining down on you
Burnin' right in
Ya can't stop when you're winning
I'm gonna show my head make history



STREET FIGHTING GANG

O Heavy Metal continua pulsando em "Street Fighting Gang". O ritmo veloz e o peso na dose certa dão à composição a intensidade perfeita para os fãs do estilo. O destaque vai mesmo para a dupla de guitarristas, os quais brilham com riffs e solos.

A letra mostra uma rebeldia juvenil:

I don't need no spelling
I take my winning when I'm ready
But you wouldn't be alike
When we learn to fight
When we start to roam
Then you'd better stay home
'Cause I'm a member of the street elite
You know it's trouble to all we meet




SUZIE HOLD ON

O baixo de Steve Dawson está ainda mais presente em "Suzie Hold On", dando ainda mais ênfase à qualidade da composição. A intensidade é mais leve, flertando com o Hard Rock. O ritmo é mais lento e cadenciado, contando com uma melodia muito envolvente. Biff Byford tem outra atuação fenomenal.

A letra é uma mensagem de perseverança:

When we were far apart
No one could be closer
Please don't take your life
'Cause that would break my heart
Try to stop your crying
We both know you're dying, dying
Suzie hold on

“Suzie Hold On” foi o último single lançado para promover Wheels Of Steel, mas não repercutiu em termos das principais paradas de sucesso.



MACHINE GUN

A nona - e última - faixa de Wheels Of Steel é "Machine Gun". Um riff veloz, contundente e certeiro é a base inicial da composição que encerra os trabalhos. Abusando da típica sonoridade de seu tempo e a qual é marca registrada do grupo, o Saxon brinda o ouvinte com um excelente Heavy Metal. Os solos de guitarra são saborosos e a banda fecha o álbum de maneira empolgante.

A letra é sobre uma batalha:

Move in to the front underhanded fire
Hear the bullets flying millions every hour
Tracers in the night shooting across the sky
For God's sake cover me I don't wanna die



Considerações Finais

Singles bem sucedidos geralmente resultam em álbuns igualmente de sucesso e no caso de Wheels Of Steel não foi diferente.

“747 (Strangers In The Night)” e “Wheels Of Steel” catapultaram o álbum no Reino Unido, atingindo a 5ª colocação na principal parada de discos britânica, embora não tenha repercutido em sua correspondente norte-americana. Ficou, ainda, com a 36ª posição na parada sueca.

Logo o Saxon começou uma série de turnês de longa duração em todo o Reino Unido.

Em abril de 1980, o Saxon fez a primeira de muitas aparições no lendário programa da TV britânica, Top of the Pops, onde tocou o hit single "Wheels of Steel".

Em 16 de agosto de 1980, o Saxon apareceu no primeiro festival Monsters of Rock, onde o grupo recebeu uma recepção muito positiva da multidão. O show da banda foi gravado, mas não foi lançado oficialmente até o ano de 2000.

O álbum recebeu críticas muito positivas pela imprensa especializada e é considerado hoje como sendo um álbum clássico do Heavy Metal e que auxiliou a definir o gênero.

O revisor canadense Martin Popoff elogia Wheels of Steel como um "clássico qualificado" e "um, dos realmente dois ou três, pilares da (NWOBHM)".

Eduardo Rivadavia, do Allmusic, dá ao álbum a nota 4,5 de um total de 5, afirmando: “Bem como efetivamente definiu o modelo para os esforços de maior sucesso da banda, as canções do álbum brilharam positivamente, com o brilho metálico semelhante ao exibido pela águia de cromo que iça uma roda de motocicleta em sua capa icônica.”

Wheels Of Steel supera a casa de 300 mil cópias vendidas apenas na Inglaterra.



Formação:
Biff Byford - Vocal
Graham Oliver - Guitarra
Paul Quinn - Guitarra
Steve Dawson - Baixo
Pete Gill - Bateria

Faixas:
01. Motorcycle Man (Byford/Oliver/Quinn/Dawson/Gill) - 3:56
02. Stand Up and Be Counted (Byford/Oliver/Quinn/Dawson/Gill) - 3:09
03. 747 (Strangers in the Night) (Byford/Oliver/Quinn/Dawson/Gill) - 4:58
04. Wheels of Steel (Byford/Oliver/Quinn/Dawson/Gill) - 5:58
05. Freeway Mad (Byford/Oliver/Quinn/Dawson/Gill) - 2:41
06. See the Light Shining (Byford/Oliver/Quinn/Dawson/Gill) - 4:55
07. Street Fighting Gang (Byford/Oliver/Quinn/Dawson/Gill) - 3:12
08. Suzie Hold On (Byford/Oliver/Quinn/Dawson/Gill) - 4:34
09. Machine Gun (Byford/Oliver/Quinn/Dawson/Gill) - 5:23

Letras:
Para o conteúdo completo das letras, recomenda-se o acesso a: http://letras.mus.br/saxon/

Opinião do Blog:
É óbvio que o Saxon é uma banda muito conhecida entre os fãs de vertentes mais pesadas do Rock, mas o Blog pensa que o grupo britânico merecia um reconhecimento bem maior junto ao público em geral.

A extensa e valorosa discografia do Saxon proporciona momentos de prazer para os ouvintes fãs de Heavy Metal e deve ser apreciada sem moderação. E, no início da década de 80, nos primeiros momentos da banda, o conjunto transbordava inspiração, propiciando o surgimento de álbuns que são verdadeiras aulas sobre New Wave Of British Heavy Metal (NWOBHM).

E Wheels Of Steel, se não fizer parte de seu ápice, é muito próximo do melhor que aquele movimento de bandas conseguiu registrar.

Os músicos que compunham a formação que gravou este álbum aqui apresentado é muito boa e eficiente dentro do estilo proposto pelo Saxon. As guitarras aparecem de maneira bem gratificante e o brilho especial é dado pela atuação impecável do vocalista Biff Byford, responsável direto por elevar as composições a um nível ainda mais elevado.

As letras também são interessantes e merecem uma conferida.

Wheels Of Steel é um dos marcos fundamentais da NWOBHM e, como tal, não possui canções sequer medianas. Todas as suas faixas são boas e formam um grande álbum de Heavy Metal.

Flertando, mesmo que de maneira suave, com o Hard Rock, tem-se duas canções muito interessantes e de qualidade extra, como "747 (Strangers In The Night)" e "Suzie Hold On". Transbordando potência e poder aparece "Machine Gun", a qual fecha o álbum com a intensidade em níveis altíssimos.

E o disco ainda conta com a emblemática faixa-título, "Wheels Of Steel", a canção símbolo da banda, constituinte do DNA do grupo britânico e um clássico indiscutível de todo o Heavy Metal tradicional.

Enfim, o Saxon é um dos grupos fundamentais da NWOBHM e de todo o Heavy Metal em geral. Wheels Of Steel é um de seus álbuns mais emblemáticos e demonstra uma banda em um ponto muito próximo de seu ápice criativo. Álbum extremamente recomendado e um dos preferidos do Blogeiro, sendo obrigatório para fãs da vertente mais pesada do Rock.

0 comentários:

Postar um comentário