3 de agosto de 2015

STYX - CRYSTAL BALL (1976)


Crystal Ball é o sexto álbum da banda norte-americana chamada Styx. Seu lançamento oficial aconteceu em 1º de outubro de 1976, através do selo A&M Records. As gravações ocorreram no Paragon Recording Studios, em Chicago, nos Estados Unidos. A produção ficou por conta do próprio grupo.

O Styx se tornou uma banda de bastante sucesso comercial nos Estados Unidos, especialmente na segunda metade dos anos 70 e início dos anos 80. O Blog vai fazer um resumo do histórico do grupo antes de abordar o álbum em questão.

Os irmãos gêmeos Chuck (guitarra) e John Panozzo (bateria), primeiro se reuniram com seu vizinho, Dennis DeYoung (vocais e teclados), em 1961, no lado sul de Chicago, constituindo um conjunto que se chamaria "The Tradewinds".

Chuck Panozzo acabou saindo da banda para frequentar uma escola seminário por um ano, mas retornou para o grupo em 1964. Tom Nardini havia sido trazido para substituir Chuck na guitarra e, assim, este último decidiu mudar para o baixo quando voltou para o conjunto.

John Panozzo continuava como baterista, enquanto Dennis DeYoung tinha mudado do acordeão para o órgão e o piano.

Em 1965, o nome "Tradewinds" teve que ser alterado para TW4, após outra banda chamada The Trade Winds estourar nacionalmente nos Estados Unidos.

Em 1966, os irmãos Panozzo se juntaram a DeYoung na Chicago State College, mantendo o grupo reunido e fazendo shows em escolas e festas de fraternidade, enquanto estudavam para serem professores.

John Panozzo
Em 1969, eles adicionaram um amigo de faculdade, John Curulewski, na guitarra depois de Tom Nardini abandonar o grupo. O guitarrista James "J.Y." Young se juntou ao conjunto em 1970, tornando, portanto, o TW4 em um quinteto.

Em 1972, os membros da banda decidiram escolher um novo nome para a mesma quando eles, simultaneamente, assinaram contrato com a gravadora Wooden Nickel Records, após serem descobertos por um caçador de talentos em um show em St. John of the Cross Parish, em Western Springs, Illinois, a cidade natal de James Young.

Várias sugestões foram feitas, e de acordo com DeYoung, o nome Styx (o rio da mitologia grega entre a Terra e o submundo, também conhecido como Hades) foi escolhido porque era "o único que nenhum de nós odiou".

Sob contrato com a Wooden Nickel Records, o Styx gravaria seus primeiros álbuns. Styx (1972), Styx II (1973), The Serpent Rising (1973) e Man of Miracles (1974) apresentavam uma sonoridade mais complexa, fundindo elementos do chamado “Art Rock” com bases do Rock Progressivo.

Estes discos mostravam teclados, guitarra, vocal e solos de percussão mais poderosos e complexos. Inclusive, The Serpent Is Rising se tornaria um prenúncio de esforços posteriores do grupo, com um conceito que a banda defenderia fortemente na década de 1980.

Por força desses lançamentos e a constante turnê em clubes e escolas locais, a banda estabeleceu uma base de fãs na área de Chicago, mas foi incapaz de invadir o mainstream, embora a música "Best Thing" do primeiro álbum (Styx) permaneceu no "Hot 100" da Billboard durante 6 semanas, chegando a 82ª posição.

Em seguida, a balada "Lady" (de Styx II), começou a ganhar algum tempo de rádio, primeiro na WLS de Chicago, em 1974, e, em seguida, em todo o país. Na primavera de 1975, quase dois anos depois do álbum ter sido lançado, "Lady" alcançou a 6ª colocação nos EUA e aumentou consideravelmente a vendagem de Styx II, consequentemente.

Na esteira de seu single de sucesso tardio, o Styx assinou com a A&M Records, lançando Equinox (1975), o qual vendeu bem e rendeu um sucesso menor na figura de "Lorelei", que atingiu a 27ª posição na pricipal parada dos EUA.

Ainda mais importante, Equinox continha o hino do rock "Suite Madame Blue", que deu ao grupo reconhecimento considerável e maior divulgação nas rádios FM, especialmente naquelas que apostavam no então novo estilo Album Oriented Rock (AOR).

Tommy Shaw
Após a mudança para a A&M, o guitarrista John Curulewski repentinamente deixou a banda, quando ela estava prestes a embarcar em uma turnê por todos os Estados Unidos, em Dezembro de 1975, devido ao seu desejo de passar mais tempo com sua família.

Depois de uma busca frenética de última hora, a banda trouxe o guitarrista Tommy Shaw como substituto de Curulewski, em 1976.

Também em 1976, o Styx gravaria o seu sexto álbum de estúdio, Crystal Ball, com a produção da própria banda. Vamos às faixas:

PUT ME ON

Teclados bastante proeminentes são os destaques iniciais da abertura do álbum. Após a introdução, as guitarras aparecem com algum peso e o ritmo é intenso e acelerado, mas com bastantes melodias. Os vocais são mais agressivos, cortesia de James Young. Merece também ressaltar o solo aos 2 minutos e meio. Mais para o final a canção veste-se de uma natureza mais pop.

A letra fala do próprio ritual de gravar um disco e fazer sucesso:

Put me on and play me loud
I'm the madman screaming in your living room
I'll soon be coming to your town
To sing and play a little tune



MADEMOISELLE

Uma melodia suave e contagiante inaugura a segunda música de Crystal Ball. As guitarras aparecem com a distorção e peso característicos, mas o andamento desta faixa é consideravelmente mais lento que aquele de sua antecedente. Os vocais de Tommy Shaw são bem legais. É uma faixa com uma pegada do nascente AOR.

A letra fala de um grande amor:

Even though you're far away
I think about you every day
And wonder if you're thinking of me
In a fond memory
Sweet mademoiselle

A canção marca a estreia de Tommy Shaw como vocalista na banda.


Lançada como single, alcançou a boa 36ª posição na principal parada de singles norte-americana. Também ficou com a 25ª colocação na correspondente canadense.



JENNIFER

Uma melodia malevolente e contagiante dá a marca do início de "Jennifer". Os vocais, desta vez por conta de Dennis DeYoung, são mais amenos e se casam de maneira receptiva ao instrumental. A pegada é Hard Rock setentista, mas a construção é um pouco mais complexa.

A letra fala de um amor por uma jovem adolescente:

Jennifer
She took me by surprise
She told me that she's much too young to keep me satisfied
Jennifer, ah so delicate and shy
A child in her mother's eyes but
A woman every night

Lançada como single, não obteve maior repercussão nas principais paradas de sucesso.



CRYSTAL BALL

Uma suave e leve melodia envolve o ambiente no início da quarta faixa, "Crystal Ball". Há um certo ar melancólico, muito em conta pelo empostamento vocal por parte de Tommy Shaw. Após o final desta introdução, o ritmo se intensifica, com as guitarras aparecendo, mas o sintetizador dita o ritmo com um solo muito legal. O peso do Hard Rock, com passagens mais intrincadas. Grande canção!

A letra fala sobre o poder de prever o futuro:

Crystal ball
There's so many things I need to know
Crystal ball
There's so many things I've got to know
Crystal ball

Indiscutivelmente, “Crystal Ball” é um dos grandes clássicos da carreira do Styx.

Lançada como single, teve repercussão discretíssima em termos das principais paradas de sucesso desta natureza. Ficou com a modesta 109ª posição na parada norte-americana.

Entretanto, ganhou status de clássico entre os fãs do grupo, sendo presença constante nos shows da banda, quando, muitas vezes, ganha estrofes extras.



SHOOZ

"Shooz" possui um início que chega a enganar, mas logo é tomada de assalto pelas guitarras, as quais surgem pesadas e muito marcantes, com ambas cortando o ambiente. Os vocais de Shaw são ótimos e se casam perfeitamente com o instrumental. Trata-se de um Hard Rock vigoroso, de alto padrão. Excelente momento do álbum!

A letra fala de jovens procurando diversão:

Well it's Friday nite and the streets
Are full of the weekenders with their green
Soldier boys looking left and right
At all the sights there to be seen



THIS OLD MAN

Um riff com guitarras pesadas, mas desta feita mais arrastado, marca o início de "This Old Man". Em um segundo momento a pegada é quase acústica, contando com uma interpretação tocante de Dennis DeYoung nos vocais. Outra ótima faixa do álbum.

Escrita por Dennis DeYoung, a letra mostra o impacto profundo que a morte de seu pai teve sobre sua vida:

When I was young
I dreamed a young man's dreams
I saw in your eyes
The things I'd never seen
But now I grow old
But I don't really mind
Cause can't you see with my family
We'll share these timeless memories



CLAIR DE LUNE/BALLERINA

A sétima - e última - faixa de Crystal Ball é "Ballerina". Após a mundialmente conhecida introdução com parte da peça "Clair De Lune", os teclados voltam a ser presença fundamental, sendo acompanhados pela voz de Dennis DeYoung. É a maior canção do trabalho e apresenta um rock vigoroso, por vezes com acentuado punch Hard, mas oscilando com algumas passagens mais suaves. Vibrante!

A letra possui temática romântica:

Ballerina from the first I knew that
You would always have to dance I knew that
There would surely come a day when you would go
Baby I know...

A introdução de “Ballerina” conta com Dennis DeYoung, ao piano, tocando a peça “Clair De Lune”, composta pelo francês Claude Debussy.



Considerações Finais

Crystal Ball teve uma expressiva repercussão comercial apenas depois do lançamento de seu sucessor, o grande sucesso The Grand Illusion, de 1977.

Em termos de paradas de sucesso, atingiu a humilde 66ª colocação na Billboard, a principal parada norte-americana.

Em geral, as revisões sobre Crystal Ball na mídia especializada são positivas. Daevid Jehnzen, do Allmusic, elogia Crystal Ball, classificando este como melhor que o álbum anterior do Styx, Equinox, embora não tendo sido tão bem sucedido.

Também afirma que o álbum demonstra um aumento na habilidade do Styx para a elaboração de ganchos pop dentro do seu som “bombástico”.

Já Alan Niester, da Rolling Stone, também revisa o álbum favoravelmente, afirmando que a instrumentação está "sempre parece à beira de sair do controle, dando a todo o álbum um impulso extra de emoção".

Crystal Ball supera a casa de 500 mil cópias vendidas apenas nos Estados Unidos.


Formação:
Dennis DeYoung - Teclados, Sintetizadores, Vocal principal em 3, 6 e 7
Chuck Panozzo - Baixo, Backing Vocal
John Panozzo - Bateria, Percussão, Backing Vocal
Tommy Shaw - Guitarra, Violão, Vocal principal em 2, 4 e 5
James Young - Guitarra, Vocal principal em 1

Faixas:
01. Put Me On (DeYoung/Shaw/Young) – 4:56
02. Mademoiselle (DeYoung/Shaw) – 3:57
03. Jennifer (DeYoung) – 4:16
04. Crystal Ball (Shaw) – 4:32
05. Shooz (Shaw/Young) – 4:44
06. This Old Man (DeYoung) – 5:11
07. Clair de Lune/Ballerina (Claude Debussy/DeYoung/Shaw) – 7:09

Letras:
Para o conteúdo completo das letras, recomenda-se o acesso a: http://letras.mus.br/styx/

Opinião do Blog:
O Styx inegavelmente conquistou seu ápice de sucesso comercial com álbuns posteriores a Crystal Ball e que venderam milhões de cópias como Pieces Of Eight (1978) e Paradise Theatre (1981), por exemplo, nos quais a banda ainda apresentava alguma pegada Hard Rock, embora abraçasse o Pop de maneira mais escancarada.

Crystal Ball está localizado, dentro da discografia do grupo, em um momento de transição. O Styx ainda não havia abandonado (pelo menos não totalmente) a sonoridade progressiva, mas, ao mesmo tempo, não fazia do Pop Rock sua predominância sonora. O álbum é, quase predominantemente, voltado ao Rock/Hard Rock de maneira efusiva. E isto faz do disco muito especial.

Justamente por conta de seu passado mais entranhado no Rock Progressivo, conceitualmente mais intrincado e trabalhoso, o Styx apresenta uma formação bastante eficiente do ponto de vista técnico. Não há que se discutir este aspecto no trabalho.

As letras são mais simples, mas bem construídas e dotadas de bom gosto.

A diferença de qualidade entre as canções que compõem o álbum é mínima. Não há músicas de preenchimento e a coesão é uma marca forte dentro de Crystal Ball.

"Shooz" é uma excelente canção, com forte pegada Bluesy, sendo uma das melhores de todo o trabalho. Outra faixa incrível é "This Old Man", com uma sonoridade arrastada e envolvente. Também "Ballerina" é muito acima da média.

Mas a melhor, para o Blog, é mesmo a incrível faixa-título. "Crystal Ball" intercala melodias envolventes em contraponto a uma pegada Hard Rock bastante distinta.

Enfim, o Styx é uma banda com diversos momentos muito bons, seja em qualquer fase que o ouvinte procure conhecer, cada qual com seus predicados. O Blog possui certa predileção por aquilo que o grupo fez nos anos setenta e Crystal Ball é certamente um de seus expoentes. Grande álbum de uma ótima banda. Recomendado!

0 comentários:

Postar um comentário