14 de novembro de 2014

VAN HALEN - 1984 (1984)



1984 é o sexto álbum de estúdio da banda norte-americana Van Halen. Seu lançamento oficial aconteceu no dia 9 de janeiro de 1984, através do selo Warner Bros. As gravações ocorreram no 5150 Studios, na Califórnia, durante o ano de 1983. A produção ficou a cargo de Ted Templeman.

O Van Halen é uma das mais bem sucedidas bandas de todos os tempos. O Blog vai tratar um pouco do período que se antecedeu ao lançamento do álbum em questão para, posteriormente, focar nas músicas que o compõem.


Em 14 de abril de 1982, o Van Halen lançava Diver Down, seu quinto álbum de estúdio. Cinco das doze canções presentes no disco eram covers, sendo a que mais fez sucesso foi “(Oh) Pretty Woman”, de Roy Orbison e William Dees.

Diver Down teve melhor desempenho comercial que seu antecessor, Fair Warning, de 1981. Acabou passando 65 semanas consecutivas na parada da Billboard. O single “(Oh) Pretty Woman” atingiu a 12ª posição de sua parada de sucessos específica.

Por volta da mesma época, a banda ganhou um lugar no Guinness Book of World Records para o show mais bem pago de um grupo (até aquele momento): US $ 1,5 milhão por 90 minutos de set no US Festival de 1983.

Foi também naquele momento em que as diferenças entre David Lee Roth e Eddie Van Halen foram ficando mais intensas, causando mais atrito com os demais membros do grupo.

Billy Sheehan, após sua banda Talas completar uma turnê com o Van Halen, afirma que foi abordado por Eddie Van Halen com um convite para substituir Michael Anthony. As razões para isso nunca foram devidamente esclarecidas por Sheehan.

Durante este tempo, Eddie e Alex Van Halen contribuíram para a trilha sonora do filme The Wild Life, estrelado por Eric Stoltz.

David Lee Roth
O resultado desta contribuição musical, com o uso pesado nos teclados, trazia algumas semelhanças com o som produzido nos 2 últimos álbuns do Van Halen, mas estava ainda mais alinhado com a sonoridade do então futuro lançamento da banda.

Foi também em 1983 que Eddie Van Halen foi convidado a fazer o solo de um dos grandes sucessos da música pop, gravando o solo de guitarra de “Beat It”, de Michael Jackson.

O foco do grupo era preparar o sucessor de Diver Down.

Alegadamente insatisfeito com as concessões que havia feito ao vocalista do Van Halen, David Lee Roth, e ao produtor da banda, Ted Templeman, no álbum anterior do grupo (Diver Down), Eddie Van Halen construiu seu próprio estúdio em seu “quintal”.

Tanto Roth quanto Templeman haviam desanimado Eddie a fazer dos teclados um instrumento de destaque na música do Van Halen em Diver Down.

Então, Eddie Van Halen batizou seu estúdio de 5150 (o código da polícia de Los Angeles para "fuga de doente mental").

No 5150, Eddie compôs o sucessor de Diver Down sem a famosa "interferência" de Roth ou Templeman.

O resultado final foi um acordo entre as duas facções criativas da banda: uma mistura de canções com o uso pesado dos teclados e o rock intenso que tornou o grupo mundialmente famoso.

Segundo Ted Templeman, a grande diferença entre o sucesso que seria obtido por 1984 em relação aos álbuns anteriores do Van Halen, foi que Eddie acabou “descobrindo” os sintetizadores. Enquanto Eddie construía seu estúdio particular, passava o tempo brincando com sintetizadores e acabou extraindo deles um som altamente distintivo.

Eddie Van Halen
Templeman também afirma que a união do uso dos sintetizadores com certo apelo pop, com um frontman como Roth e uma poderosa seção rítmica acabou cativando mesmo o público mediano que consome música.

Outro fator preponderante foi o uso de videoclipes de baixo orçamento e extremamente divertidos os quais tiveram intensa veiculação junto a MTV norte-americana. Foi uma ajuda essencial para a divulgação de 1984.

A capa icônica foi criada pela artista gráfica Margo Nahas.

Nahas foi convidada para criar uma capa que mostrava quatro mulheres dançando, mas não quis.

Seu marido trouxe, então, sua carteira para a banda e foi a partir desse material que a mesma escolheu a pintura de um querubim a roubar cigarros e que acabou usando um deles.

O modelo foi Carter Helm, que era o filho de um dos melhores amigos de Nahas, que ela fotografou segurando um cigarro doce.

A capa, com o querubim fumando, foi "censurada" no Reino Unido através da adição de um adesivo que obscureceu o cigarro na mão do querubim assim como o maço de cigarros.

Vamos às faixas:

1984

Pequena introdução ao álbum que já demonstra o que virá, com o uso de sintetizadores.



JUMP

Uma sonoridade bem diferente daquela que o Van Halen classicamente fazia já está presente no início da canção. O uso dos sintetizadores e os teclados dominantes deixam a guitarra de Eddie Van Halen quase irrelevante na faixa, apesar do solo brilhante que o guitarrista executa. Mas a melodia é cativante e Roth tem uma atuação das melhores em sua carreira.

As letra é divertida e animada:

Might as well jump (jump)
Might as well jump
Go ahead and jump (jump)
Go ahead and jump

“Jump” é uma – senão a mais – das principais músicas da carreira do Van Halen. Presença obrigatória nos shows, sendo considerada uma divisora de águas na história do grupo: é o ponto inicial da transformação de uma típica banda de Hard Rock para uma sonoridade mais voltada às estações de rádio.


“Jump” também contrariava a ideia de David Lee Roth que desejava que o Van Halen não fizesse uso massivo de sintetizadores e ficasse focado mais em um tradicional som Hard Rock.

A letra da canção é inspirada no mestre em artes marciais chamado Benny Urquidez, do qual Roth foi aluno.

Grande clássico do Rock, foi lançada como single e foi um tremendo sucesso: 1º lugar na principal parada de singles norte-americana (posição na qual permaneceu por 5 semanas). Também ficou no topo das paradas canadense e italiana, e acabou com o 7º lugar na parada britânica.

Somente o single “Jump” vendeu mais de 3 milhões de cópias!

Um videoclipe bastante simples foi feito para promover a canção e seu sucesso e intensa veiculação na MTV norte-americana também catapultaram o sucesso de 1984.

Foi colocada na 15ª posição da lista de 100 Greatest Songs of the 1980s, do canal VH1. E a música foi usada na entrada dos times do Olympique de Marseille (França) e Brondby (Dinamarca) no campo em dias de jogos.



PANAMA

Agora a brilhante e envolvente guitarra de Eddie Van Halen volta com força total em um dos riffs mais brilhantes e empolgantes da história da banda. Roth demonstra sua inspiração em mais uma atuação formidável. "Panama" é uma das mais facilmente reconhecíveis melodias criadas pela banda. Um verdadeiro clássico!

A letra é simples e se refere a um carro:

She's blinding, I'm flying
Right behind the rear-view mirror now
Got the feeling, power steering
Pistons popping, ain't no stopping now

David Lee Roth afirma que a canção é sobre um carro que ele viu em uma corrida em Las Vegas e o seu nome era Panama Express. Depois, Roth chegou a ter um carro chamado Panama. Durante a música é possível ouvir o ronco do motor da Lamborghini de Eddie Van Halen.

A música também se tornou um clássico do Van Halen. “Panama”, embora sem repetir o status de “Jump”, também foi lançada como single.


Atingiu a 13ª posição da principal parada norte-americana de singles, ficando com a 64ª colocação na correspondente britânica.

Seu videoclipe também teve intensa circulação na MTV norte-americana. Está presente em diferentes filmes, games e séries de TV.

Entre as versões cover, pode-se citar as realizadas por nomes como Pat Boone e The Smashing Pumpkins.



TOP JIMMY

O ritmo continua empolgante e contagiante em "Top Jimmy". O Hard Rock típico da primeira fase do grupo dá às caras nesta música. Um riff simples, mas certeiro de Eddie, rápido, com certo peso, e simultaneamente cheio de malícia. O solo é excelente. Outro ponto alto do álbum.

A letra é bastante divertida:

Jimmy on the television
Famous people on there with him
Jimmy on the news at five!
Jimmy on the radio and even on the video
The baddest cat alive!



DROP DEAD LEGS

Em "Drop Dead Legs" o ritmo está mais cadenciado, embora o peso seja o maior no álbum até este momento. O riff criado por Eddie é envolvente, transbordando a mesma lascívia tão característica desta fase 'Roth' da banda. A faixa mantém o pique inicial do disco de maneira brilhante!

A letra possui teor sexual:

Dig that steam
Giant butt
Makes me scream
I get a nut nut nuthin
but the shakes over you
(Nothin) Nothin' else could ever do



HOT FOR TEACHER

Mais um clássico presente no álbum é a excelente "Hot For Teacher". A faixa se incia com um show do ótimo Alex Van Halen na bateria que depois vai de encontro a outro solo absurdo de seu irmão na guitarra. O ritmo é bastante pesado e rápido, com o riff genial de Eddie contribuindo decisivamente para isto. Mesmo com tanta intensidade sonora, a malícia da letra encontra respaldo na sonoridade: genial!

Outra vez, a letra tem clara conotação sexual:

I think of all the education that I missed
But then my homework was never quite like this
Got it bad, got it bad, got it bad
I'm hot for teacher
I got it bad, so bad
I'm hot for teacher

“Hot For Teacher” é outro grande sucesso do Van Halen presente em 1984. Seu videoclipe é também um clássico, contando com uma professora fazendo um strip-tease!

Pelo seu próprio conteúdo – e também pelo vídeo – o grupo conservador Parents Music Resource Center tentou censurar a divulgação tanto do clipe quanto da música.


Lançada como single, atingiu a modesta 56ª posição da parada norte-americana desta natureza da Billboard.

Também está presente em várias diferentes mídias e séries de TV. Foi eleita na 36ª posição da lista de melhores canções de Hard Rock de todos os tempos pelo canal VH1.



I'LL WAIT

Os teclados retornam com força total em "I'll Wait", novamente relegando a guitarra de Eddie a um segundo plano. A sonoridade da canção flerta muito proximamente com o Pop oitentista, obtendo um resultado no mínimo curioso. O destaque vai para David Lee Roth com vocais impecáveis.

A letra tem sentido romântico:

I'll wait
'Til your love comes down
I'm coming straight for your heart
No way
You can stop me now
As fine as you are

“I'll Wait” também faz amplo uso de sintetizadores e fez bastante sucesso na época de lançamento do álbum 1984.

Roth escreveu as letras da canção inspirado por uma propaganda impressa em que havia uma mulher vestindo roupas íntimas masculinas da marca Calvin Klein. Ela é uma parceria da banda Van Halen com o vocalista da banda The Doobie Brothers, Michael McDonald.

Foi lançada como single e alcançou a 13ª colocação da parada da Billboard.



GIRL GONE BAD

Após uma pequena introdução, o Hard Rock característico da banda está de volta, graças a mais um riff bastante inspirado de Eddie. A banda opta por uma sonoridade com certo peso, em um ritmo mais cadenciado, flertando com o Heavy Metal clássico, mas com a identidade musical indiscutível do Van Halen. Ótima faixa!

A letra possui sentido sexual:

Found that girl with a lonesome john
When she should have been with me
Guess that woman fall in love
She don't work for free



HOUSE OF PAIN

A guitarra de Eddie produz um riff repleto de peso e cadencia, mas simultaneamente envolvente e cativante na nona - e última - canção do álbum 1984. A banda produz um Hard/Heavy bastante intenso com relevante força e muito direto, especialmente da metade para o final. Mais um solo brilhante do guitarrista para encerrar o trabalho com chave-de-ouro.

A letra pressupõe o fim de um relacionamento:

Heartache's all around me
How many times we've tried
Said she tried to leave me
But her hands were always tied
If I had it all to do
I'd keep it just the same



Considerações Finais

Embalado por alguns singles muito bem sucedidos – especialmente o estrondoso barulho de “Jump” - 1984 fez um sucesso excepcional.

O álbum atingiu a excelente 2ª posição da principal parada norte-americana de discos, a Billboard, ficando atrás apenas do marcante Thriller, de Michael Jackson. Também alcançou a 15ª colocação na parada britânica e a 1ª da correspondente canadense.

A crítica especializada recebeu bem o álbum, por exemplo os críticos Robert Christgau e JD Considine, embora o primeiro tenha descrito “Jump” como uma música que não fosse esperada do Van Halen. Já Stephen Thomas Erlewine, do AllMusic, não se conteve ao elogiar o trabalho da banda no disco.

A revista Rolling Stone, ao final da década de 80, colocou 1984 na 81ª posição de sua lista de 100 Greatest Albums of the 1980s.

1984 também marca o último álbum do Van Halen a contar com sua formação original. Durante a turnê para a promoção do disco, as tensões artísticas e pessoais entre os membros do grupo se intensificaram a ponto de se tornarem insustentáveis.

As razões para o rompimento de Roth com a banda variam de acordo com a fonte consultada, mas parece senso comum que o vocalista estava insatisfeito com o fato de Eddie tocar música fora do Van Halen sem consultar à banda, além de seu histórico abuso de drogas.

Roth também começou a semear uma bem sucedida carreira-solo, especialmente com o EP Crazy from the Heat, lançado em janeiro de 1985, o qual continha os sucessos “California Girls” e “Just a Gigolo”.

Assim, em 1º de abril de 1985, David Lee Roth deixou (pela primeira vez) o Van Halen.

1984 supera a casa de 13 milhões de cópias vendidas pelo mundo.



Formação:
David Lee Roth - Vocal
Eddie Van Halen - Guitarra, Teclados, Backing Vocals
Michael Anthony - Baixo, Backing Vocals
Alex Van Halen - Bateria, Percussão

Faixas:
01. 1984 (Van Halen/Van Halen/Roth/Anthony) - 1:07
02. Jump (Van Halen/Van Halen/Roth/Anthony) - 4:04
03. Panama (Van Halen/Van Halen/Roth/Anthony) - 3:32
04. Top Jimmy (Van Halen/Van Halen/Roth/Anthony) - 2:59
05. Drop Dead Legs (Van Halen/Van Halen/Roth/Anthony) - 4:14
06. Hot for Teacher (Van Halen/Van Halen/Roth/Anthony) - 4:42
07. I'll Wait (Van Halen/Van Halen/Anthony/Roth/M. McDonald) - 4:41
08. Girl Gone Bad (Van Halen/Van Halen/Roth/Anthony) - 4:35
09. House of Pain (Van Halen/Van Halen/Roth/Anthony) – 3:19

Letras:
Para o conteúdo completo das letras, recomenda-se o acesso a: http://letras.mus.br/van-halen/

Opinião do Blog:
O Blogeiro não nega que o Van Halen está, certamente, entre suas bandas favoritas. Também não nega que são incontáveis e inúmeras vezes que ele ouviu o álbum 1984 e este está entre os discos que ele mais ouviu em sua vida.

Também deve confessar que é incapaz de escolher entre as fases Roth e Hagar do Van Halen, encontrando diferentes méritos em ambas, deixando esta disputa insana e sem sentido algum para quem não tem mais o que fazer.

1984 é um álbum excepcional em vários sentidos. O uso de teclados e sintetizadores por parte do grupo é uma amostra de que o Van Halen estava antenado no que acontecia naquele momento, especialmente na musicalidade Pop.

A banda então opta por flertar deliberadamente com esta musicalidade típica dos anos oitenta e se sai bem com a curiosa "I'll Wait" e a ótima e contagiante "Jump", talvez, seu maior sucesso.

Mas é quando o Van Halen toca seu Hard Rock lascivo e malicioso que a banda brilha como poucas no cenário do estilo. E em 1984 temos o grupo em um dos seus melhores momentos.

Eddie Van Halen dispensa maiores apresentações e elogios: ele personifica a figura do 'Guitar Hero' e está, como de costume, brilhante no álbum. A seção rítmica possui o excelente irmão de Eddie, Alex, também atuando de maneira especial na bateria e Michael Anthony correto com o baixo.

É claro que David Lee Roth é bastante lembrado por sua incrível presença de palco e um carisma acima da média. Mas a verdade é que Roth canta de maneira perfeita a trazer toda a malícia de suas letras para a sonoridade da banda. Em 1984 ele está em um de seus melhores momentos.

Se "Jump" e "I'll Wait" mostram o Van Halen em sintonia com a música mais popular daquele tempo, o grupo se destaca mesmo quando flerta com sua sonoridade original. Há as ótimas e 'roqueiras' "Girl Gone Bad" e "Top Jimmy", a incrível "Hot For Teacher" e não é preciso muito para ressaltar o brilho intenso de "Panama".

As letras transpiram o espírito do Rock 'N' Roll. Simples e funcionam de maneira deliciosa.

Enfim, 1984 (gravado em romanos na capa do álbum, MCMLXXXIV) é um clássico do Rock. Apresenta o último álbum da formação clássica de uma banda importantíssima no cenário do estilo e bem próxima de seu auge. Obrigatório para fãs de Hard Rock!

3 comentários:

  1. Esse é o único disco no qual conheço algo do Van Halen, ou seja, as músicas pouco conhecidas e os hits "Jump", "Panama" e, em especial, "Hot for Teacher" música que eu considero um dos 10 melhores hinos do heavy metal, e sem dúvida a melhor do Van Halen. Sou um fã novato da banda e estou me esforçando para ouvir a obra deles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário, Igor. Sou grande fã do Van Halen, para quem curte um Hard Rock festeiro e descompromissado, eles são uma pedida perfeita. 1984 é excelente e o clipe de "Hot for Teacher" é sensacional. Abraço!

      Excluir
    2. Ótima opção até para quem não gosta da banda. Abraço pra você também!

      Excluir