11 de abril de 2014

MÖTLEY CRÜE - TOO FAST FOR LOVE (1981)


Too Fast For Love é o álbum de estreia da banda norte-americana Mötley Crüe. Seu lançamento oficial ocorreu em 10 de novembro de 1981, através do selo Leathur Records. As gravações se deram durante o ano de 1981, com a própria banda como produtora, no estúdio Hit City West, em Los Angeles, na Califórnia. No seu relançamento, em 1982, o selo responsável foi o Elektra e a produção ficou com Roy Thomas Baker.


Um dos – senão o mais – principais nomes da cena Glam Metal norte-americana dos anos 80 é o Mötley Crüe. Vamos abordar um pouco de sua história para depois focarmos nas canções do disco, seguindo a tradição do Blog.

O Mötley Crüe foi formado em 17 de janeiro de 1981, quando o baixista Nikki Sixx deixou a banda London e começou a ensaiar com o baterista Tommy Lee e com o vocalista e guitarrista Greg Leon. Lee já havia trabalhado com Leon numa banda chamada Suite 19 e o trio continuou a ensaiar juntos durante um tempo até que Leon decidiu não continuar mais.

Sixx e Lee começaram uma busca por novos membros e logo encontraram o guitarrista Bob Deal, mais conhecido como Mick Mars. Ele rapidamente fez o teste e, posteriormente, foi contratado.

Embora um vocalista de nome O'Dean tenha sido ouvido, Lee conhecia Vince Neil de seus dias de escola na Charter Oak High School, em Covina, Califórnia, e os dois haviam tocado simultaneamente em diferentes bandas no circuito de garagem.

Ao ver Neil tocar com a banda Rock Candy no Starwood em Hollywood, Califórnia, Mars sugeriu que deveriam tê-lo no grupo, afirmando: "Eu não me importo se ele pode cantar . Eu não me importo se ele pode fazer qualquer coisa. A maneira como ele tem aquela plateia consigo... esse é o cara de que precisamos".

Vince Neil

Neil recusou a primeira oferta, mas como os outros membros da Rock Candy se envolveram em outros projetos, o vocalista se decidiu por procurar outra coisa.

Quando Lee fez um apelo final para uma audição, Neil aceitou e foi contratado em 1º de abril de 1981. Mas a recém-formada banda ainda não tinha um nome.

Sixx afirma que ele disse aos outros companheiros de banda que estava "pensando em chamar a banda de Christmas (Natal)". Os outros membros não foram muito receptivos à ideia.

Então, enquanto tentavam encontrar um nome adequado, Mars se lembrou de um incidente que ocorreu quando ele estava tocando com uma banda chamada White Horse, quando um dos outros membros da banda chamou o grupo de "a motley looking crew.".

Ele se lembrou da frase e depois descreveu-a como Mottley Cru. Depois de modificar a grafia ligeiramente para "Mötley Crüe", passou a ser o nome da banda, com a decisão estilística sugerida por Neil em adicionar os dois tremas nas palavras, supostamente inspirados na Löwenbräu, uma cerveja alemã que os membros bebiam no momento.

A banda logo conheceu seu primeiro gerente, Allan Coffman, o cunhado de trinta e oito anos de idade, do amigo do motorista de Mars.

O primeiro lançamento da banda foi o single "Stick To Your Guns/Toast of the Town ", que foi lançado por sua própria gravadora, a Leathür Records, que tinha um acordo de pressagem e distribuição com a Greenworld Distribution de Torrance, Califórnia.

Em novembro de 1981, seu álbum de estreia, Too Fast for Love, foi produzido e lançado pela Leathür, vendendo 20 mil cópias.

O assistente de Coffman, Eric Greif, conseguiu uma turnê no Canadá, ao mesmo tempo em que ambos utilizaram o sucesso do Mötley Crüe na cena de clubes noturnos de Los Angeles para negociarem com várias gravadoras.

Por fim, assinaram um contrato com a gravadora Elektra Records no final da Primavera de 1982. O álbum de estreia foi então remixado pelo produtor Roy Thomas Baker e relançado em 20 de agosto de 1982, dois meses após o seu lançamento canadense pela Warner Music Group, o qual usara as mixagens originais da Leathür Records, objetivando coincidir com a turnê.

Há três prensagens conhecidas, em vinil, da versão original do álbum lançada pela Leathür Records, juntamente com uma versão em fita cassete e um CD promocional extremamente raro.

O primeiro vinil, em sua capa, tinha letras brancas (com a gravadora branca com letras pretas). Sua demo foi gravada em fevereiro de 1980, com as despesas financiadas por Ian Gillan, que quando viu a banda em um pub no centro de Los Angeles afirmou: "Sua aparência externa e música me fascinaram". Também a foto da capa de trás (de Vince Neil) o mostra com um penteado enorme, que precisou ser retocada em sua cor de cabelo, a qual não apareceu bem no encarte do álbum (que era branco).

A segunda prensagem tem letras vermelhas sobre a cobertura e a gravadora é novamente branca com letras pretas. O cabelo de Neil também foi corrigido na fotografia da capa traseira. Além disso, a segunda prensagem apresenta uma foto ligeiramente diferente da banda.

A terceira prensagem tem letras vermelhas sobre a cobertura e a gravadora está preta com letras brancas.

A primeira prensagem parece ser a mais rara, com apenas 900 cópias prensadas. A segunda prensagem parece ser a mais comum disponível no mercado secundário.

Nikki Sixx

Embora algumas fontes indiquem que a versão Leathür também continha a canção "Toast of the Town", isso não é verdade. Esta canção foi lançada como lado B do single de 7 polegadas de "Stick To Your Guns", que foi auto-lançado pela banda através do selo Leathür Records antes da gravação do álbum propriamente dito.

A capa é uma referência ao álbum Sticky Fingers, do Rolling Stones. Vamos às faixas:

LIVE WIRE

"Live Wire" começa bebendo na fonte do Heavy Metal tradicional. O riff é bem pesado e rápido, lebrando as bandas da New Wave Of British Heavy Metal. A interpretação dos vocais por Vince Neil também é ótima. Um ótimo começo para o trabalho.

A letra tem a conotação festiva e sexy do estilo Glam Metal:

Plug me in
I'm alive tonight
Out on the streets again
Turn me on
I'm too hot to stop
Something you'll never forget
Take my fist
Break down walls
I'm on top tonight

Foi lançada como single apenas em agosto de 1982, mas não obteve repercussão nas paradas deste tipo de lançamento.


Junto ao single, foi também realizado um videoclipe em que os próprios membros do grupo fizeram a direção da gravação.

Já o canal VH1 colocou “Live Wire” na 17ª colocação de sua eleição de 40 Melhores Canções de Metal de Todos os Tempos, de 2006.

Versões covers da canção foram feitas por bandas como Fozzy e Vamps. Está presente nos games Brütal Legend, Tony Hawk's American Wasteland e Saints Row: The Third.



PUBLIC ENEMY #1

A segunda canção do álbum já apresenta uma nova configuração, com um andamento mais cadenciado, denotado através de um riff mais leve e lento. Não há tanto peso, lembrando mais a sonoridade do Hard Rock setentista. Mas se trata de outra boa composição.

A letra é bem simples, em tom de fuga:

You and me
Under the gun tonight
On the run
We're lost in the lime light
Don't think about nothin'
Because we're gonna get crazy



TAKE ME TO THE TOP

Em "Take Me To The Top" o peso está de volta, em uma faixa que novamente mostra o grupo apresentando um som mais agressivo. O riff é ótimo, com peso e ritmo nas medidas exatas. O destaque vai para a ótima performance de Neil.

A letra pode ser entendida como alguém envolvido com substâncias ilegais:

No, no, no fight all temptation
Well, in a black hearted alley fight
I'm screaming
Take me to the heights tonigh



MERRY-GO-ROUND

A quarta música do trabalho apresenta um embrião da sonoridade que algumas composições futuras do Mötley Crüe teriam. Ela tem um início bem mais suave e lento, mas o refrão apresenta o riff de forma mais intensa. Outra composição bastante interessante.

A letra tem certa conotação romântica:

It's not easy puttin' on a smile
You're alone, lost and found
She waits at home just to love him
Through the night thinkin'
He's been gone so long now
Is he coming home
He's been gone so long now, oh!



PIECE OF YOUR ACTION

Mais um belíssimo e empolgante riff abre a quinta canção do disco. A seção rítmica está bastante presente, dando peso à música, assim como os vocais de Vince Neil estão bem mais agressivos. Mas o destaque maior é para a guitarra de Mick Mars, contando com um solo bem legal. Excelente faixa!

A letra tem caráter sexual:

Tight action, rear traction
So hot, you really blow me away
Fast moving, wet and ready
The time is right, so hold on tight
Live Wire, night prowler
Lay back and take me inside
You need me now, I'll teach you how
Come on let's go all the way



STARRY EYES

"Starry Eyes" tem uma atuação bem destacada de Tommy Lee, especialmente nos momentos mais iniciais da faixa. A canção segue uma linha um pouco mais cadenciada, mas o peso continua presente. Isto tudo é conseguido através de um riff bastante inspirado. Outro ótimo momento do disco.

A letra tem sentido de sofrimento amoroso:

When she laughs
She's got the power of a child in her eyes
And when you cry now
She'll hold you like a man's supposed to be held
I can't get into words how I feel
Get it right in this song now
I had to set her free
Needed a friend
Come back to me



STICK TO YOUR GUNS

A faixa começa de forma mais lenta, mas logo a velocidade do ritmo aumenta, mesmo que o peso não esteja tão presente desta vez. A construção da música é interessante, com bons vocais e uma guitarra sempre presente. Tende mais para o Hard Rock.

A letra tem conotação de luta:

Too much too soon. too much for you
Everyday has a hero, don't it though
Don't let it go
You got to fight, it just ain't right
Hey man, look at me, I'm screaming
Are you watching me bleed, are you believing'



COME ON AND DANCE

O peso volta a dar as caras em "Come On And Dance", com a música apresentando um ritmo e andamento bastante interessantes. Neil oscila entre vocais mais agressivos e outros mais suaves, especialmente no refrão. O solo é bastante inspirado.

Novamente, a letra tem alusão a sexo:

Fast and slick
Well she's cool and clean
In a pepsi sheen
She's a leather tease



TOO FAST FOR LOVE

Uma guitarra bastante forte e presente dá o ponto de partida da faixa-título. O riff segue a linha da maioria das faixas do álbum, pesadas e com um andamento mais cadenciado. O refrão, embora repita as mesmas palavras, é o ponto alto da canção, sendo construído de maneira divertida. Ótima música.

As letras também tem conotação sexual:

Oh, no, oh, no
She's a streamline queen
On a sex craved movie screen
Say it again
She'll use her time up
Have nothing to show
Well mark my words
Do you remember?
Well I remember
Oh, no, oh, no



ON WITH THE SHOW

A décima - e última - faixa do disco é "On With The Show". Ela se inicia de maneira mais suave, ganhando peso aos poucos. Tommy Lee deixa sua bateria bastante presente, em uma canção mais leve, aproximando-se de uma balada, mesmo não sendo uma. Ótimo solo de Mick Mars.

A letra mostra uma briga e a vida rebelde de um jovem:

With his six string knife
And his street wise pride
The boy was a man before his time
And she knew
All their dreams would come true



Considerações Finais

Em termos de parada de sucessos, o álbum não fez nenhum estardalhaço no ano de seu lançamento. Ficou com a 77ª posição na parada norte-americana e com a 42ª colocação na sua correspondente britânica.

Mas a força da qualidade das composições de Too Fast For Love acabou sendo reconhecida a medida que o grupo começou a fazer um gigantesco sucesso em meados dos anos 80 e os fãs buscaram os lançamentos iniciais do Mötley Crüe.

Durante a turnê canadense de 1982 chamada "Crüesing Through Canada Tour '82", houve vários incidentes amplamente divulgados.

Primeiro, a banda foi presa e em seguida liberada no Aeroporto Internacional de Edmonton por usar seu guarda-roupa customizado de spikes (considerado uma "armas perigosas" pela alfândega) e, também, por Neil chegar com uma pequena bagagem de mão repleta de revistas pornográficas (consideradas "materiais indecentes"). A alfândega canadense, eventualmente, reteve os itens confiscados e os destruiu.

Em segundo lugar, ao tocar “Scandals Disco” em Edmonton, uma "ameaça de bomba" contra a banda fez a primeira página do Jornal Edmonton, em 9 de Junho de 1982; o assistente de empresário da banda, Greif, e Lee foram entrevistados pela polícia como resultado. Isso também acabou sendo um golpe de publicidade, encenado e perpetrado por Greif.

Por fim, Tommy Lee lançou um aparelho de televisão a partir da janela superior do Sheraton Caravan Hotel. A revista canadense de rock Music Express observou que a banda foi "banida para a vida" (ou seja, perpetuamente) da cidade.

Apesar da turnê acabar prematuramente por ter sido um desastre financeiro, foi a base para a primeira entrevista internacional do grupo.

Too Fast For Love supera a casa de 1 milhão de cópias vendidas apenas nos Estados Unidos.



Formação:
Vince Neil - Vocais
Mick Mars - Guitarras
Nikki Sixx - Baixo
Tommy Lee - Bateria, Percussão

Faixas:
01. Live Wire (Sixx) - 3:14
02. Public Enemy #1 (Sixx/Lizzie Grey) - 4:22
03. Take Me to the Top (Sixx) - 3:43
04. Merry-Go-Round (Sixx) - 3:22
05. Piece of Your Action (Sixx/Neil) - 4:39
06. Starry Eyes (Sixx) - 4:28
07. Stick to Your Guns (Sixx) - 4:20
08. Come on and Dance (Sixx) - 3:11
09. Too Fast for Love (Sixx) - 4:11
10. On with the Show (Sixx/Neil) - 4:07

Letras:
Para o conteúdo completo das letras, recomenda-se o acesso a: http://letras.mus.br/motley-crue/

Opinião do Blog:
O Mötley Crüe está intimamente ligado ao que se convencionou chamar Glam Metal, ou seja, o Hard Rock norte-americano dos anos oitenta. Foi e sempre será um de seus maiores expoentes.

Too Fast For Love é o álbum inicial da banda e possui uma sonoridade um pouco diferente daquela que o grupo viria a apresentar em meados da década de 80 em seus álbuns mais consagrados. Aqui, o grupo californiano abusa do peso em suas canções.

Fica notório que o Mötley Crüe bebeu na fonte do Heavy Metal tradicional em faixas como "Live Wire" e "Take Me To The Top", por exemplo. Já "Public Enemy #1" lembra bastante os grandes nomes do Hard Rock Setentista norte-americano, mais especificamente o KISS.

Também é possível sentir alguma conexão, em todo o álbum, com a sonoridade desenvolvida pelo Van Halen em seu primeiro álbum, especialmente na estrutura das canções e nas guitarras.

Não há maiores destaques individuais no grupo: o forte é mesmo a conjunção dos músicos, tocando de maneira simples, mas contagiante. Tudo está em prol das canções.

"Too Fast For Love" é excelente, muito empolgante, ideal para uma festa. Também são excelentes músicas "Starry Eyes" e "Piece Of Your Action".

As letras são bastante simples, em tons mais festivos e algumas vezes sensuais. Nada que denigra o trabalho.

Enfim, o debut do Mötley Crüe mostra uma banda com garra e sedenta de sucesso. Traz uma sonoridade mais pesada, mas cheia de empolgação. Uma das bandas de que gosto bastante e um álbum bem acima da média. Mais que recomendado!

0 comentários:

Postar um comentário