8 de agosto de 2011

ROLLING STONES - STICKY FINGERS (1971)



Sticky Fingers é o nono álbum de estúdio da banda inglesa de rock chamada Rolling Stones. Seu lançamento aconteceu no dia 23 de abril de 1971 com a produção sob responsabilidade de Jimmy Miller.

Na realidade, Sticky Fingers é o nono álbum de estúdio da banda levando-se em conta a contagem britânica. Pela contagem norte-americana, o disco seria o décimo-primeiro lançamento dos Stones. Isso aconteceu, pois na década de sessenta acontecia muito de um mesmo álbum ter lançamentos diferentes na Inglaterra e Reino Unido. Isto só veio a parar de acontecer quando em 1967 os Beatles exigiram que Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band fosse lançado em versão única onde quer que fosse.

As gravações de Sticky Fingers foram extensas, nas datas e estúdios seguintes: 2 a 4 de dezembro de 1969, no Muscle Shoals Sound Studio, em Sheffield, Alabama, nos Estados Unidos; entre fevereiro e janeiro de 1971, no Olympic Studios, em Londres, no Reino Unido; com exceção de "Sister Morphine", entre 22 e 31 de março de 1969.

No ano de 1970, o Rolling Stones começaria algumas mudanças em sua carreira. A primeira delas foi o fim do contrato de gerenciamento da banda com seu manager, Allen Klein e, ao mesmo tempo, encerraria o contrato que o conjunto tinha com a gravadora Decca Records.

O fim do contrato com a Decca Records permitiria que os Stones fizessem o lançamento de seus futuros álbuns da forma que desejavam, incluindo a arte da capa, encarte, enfim. O problema é que a banda descobre que ao assinar o contrato com Allen Klein, a banda passou a Klein e sua empresa, ABKCO, todos os direitos sobre seus lançamentos durante a década de 1960.

A banda assina um novo contrato com a Atlantic Records, que permitiu que a banda lançasse seu próprio selo, o Rolling Stones Records, pelo qual seriam lançados os futuros trabalhos da banda.

Ainda antes, a Decca Records informou à banda que, por contrato, o grupo ainda deveria lançar um novo single pela antiga gravadora. Os Stones, então enviam à gravadora uma faixa chamada “Cocksucker Blues”, que obviamente foi recusada. A Decca Records acabou lançando material que sobrara de Beggars Banquet, de 1968, com a faixa “Street Fighting Man”.

Sticky Fingers é o primeiro álbum do Rolling Stones a contar com a participação completa do guitarrista Mick Taylor, que substituiu o falecido membro original Brian Jones. É também o primeiro álbum que não possui mais contribuições de Jones nas composições.

A arte da capa foi idealizada pelo artista norte-americano Andy Warhol e apresenta uma pélvis masculina vestida em uma calça jeans com um zíper, que quando aberto aparecia uma cueca. A fotografia foi feita por Billy Name e o design por Craig Braun.

Muitos fãs acreditavam que a fotografia da pélvis seria do vocalista da banda, Mick Jagger, fato que foi negado por Warhol. Disseram que houve fotografias de vários homens e que Jagger nunca esteve entre os fotografados. Há muitas versões de que o ‘modelo’ poderia ser Jed Johnson, amante de Warhol à época, ou do irmão gêmeo de Jed, Jay.

É também em Sticky Fingers que aparece pela primeira vez o famoso logotipo da banda, com a boca vermelha (inspirada em Jagger) e a língua, que fora desenvolvida para ser, originalmente, o logotipo da Rolling Stones Records. Embora o original apresentado à banda foi desenvolvida por Craig Braun, a imagem que consta no álbum foi realizada por John Pasche.

Há uma arte da capa alternativa, que apresenta uma lata aberta contendo dedos em seu interior.

O clássico da banda “Brown Sugar” abre o álbum. Baseada em um clássico e típico riff ao melhor estilo dos Rolling Stones. Foi gravada em três dias, de 2 a 4 de dezembro de 1969, mas só foi lançada juntamente com o álbum, quase dois anos depois, embora já tivesse sido apresentada algumas vezes ao vivo.

Há algumas versões para a inspiração das letras da faixa. A mais comum é de que foi inspirada na namorada ‘secreta’ de Jagger na ocasião, Marsha Hunt, e mãe de seu primeiro filho. Mas há quem acredite que a letra é inspirada em uma mistura que continha heroína. De qualquer forma, as letras da canção sempre foram consideradas ‘escandalosas’.

Lançada como single, atingiu a segunda posição na parada britânica e alcançou o topo da parada norte-americana. Trata-se de um enorme clássico do Rock And Roll.

A segunda faixa do álbum é “Sway”, um ótimo blues rock, com ótimo riff e excelente cadencia. Embora no álbum seja creditada como uma canção da parceira clássica Jagger e Richards, Mick Taylor chegou a afirmar que a canção é uma composição sua com Jagger e que Keith Richards nem estava presente quando foi composta.

Possui um solo belíssimo e era o lado b do single do mesmo álbum, “Wild Horses”.

Outro clássico presente no álbum é “Wild Horses”, uma faixa com forte inspiração na música country norte-americana, com uma bela levada no violão. A faixa também foi gravada juntamente com “Brown Sugar” em dezembro de 1969 e só lançada depois devida a briga da banda com a Decca Records.

O piano na faixa foi tocado pelo músico Jim Dickinson, contando com Richrds na guitarra e os violões tocados também por ele e por Mick Taylor.

Lançada como single apenas nos Estados Unidos, alcançou a 28ª posição na parada de singles. Incontáveis foram os artistas que fizeram versões para “Wild Horses”, incluindo nomes do calibre de Neil Young e Guns ‘N’ Roses.

“Can’t You Hear Me Knocking” é a quarta faixa do álbum e também a maior, com mais de sete minutos, começando com um excelente riff por parte de Keith Richards. A faixa possui uma parte bastante experimental, contando com vários músicos convidados: Ian Stewart no piano, Rocky Dijon nas congas, Bobby Keys no saxofone, Billy Preston no órgão e Jimmy Miller na percussão. Ótima faixa.

“You Gotta Move” é a quinta faixa do álbum e se trata de uma versão da música originalmente composta por Fred McDowell e o reverendo Gary Davis.  A sexta faixa é “Bitch”, outra faixa com uma composição bastante calcada na influência bluesy da banda.

“I Got The Blues”, como o próprio nome indica, também tem sua sonoridade com forte influência do Blues. É uma faixa bem sentimental, com ótima atuação de Jagger nos vocais. Conta com a participação de outros músicos, sendo eles Billy Preston no órgão Hammond,  Bobby Keys no saxofone e Jim Price no trompete.

“Sister Morphine” é uma canção que foi originalmente lançada pela cantora Marianne Faithfull, como single em 1969. Lançada em Sticky Fingers, foi creditada como composição da dupla Jagger e Richards, mas após uma batalha judicial, Faithfull saiu vitoriosa e conseguiu que seu nome fosse creditado como também compositora da faixa. Faithfull teve um romance com Jagger entre 1966 e 1970.

“Dead Flowers” é mais uma ótima canção do álbum, com uma pegada mais simples e é mais uma que apresenta forte influência da música country norte-americana, devido à amizade surgida entre o guitarrista Keith Richards e o músico americano Gram Parsons.

“Moonlight Mile” fecha o álbum e é uma bela balada, repleta de feeling e interpretada de forma muito emocionante. É tida por muitos como uma das baladas mais ‘injustiçadas’ da discografia dos Stones.

No fim de 1971 os Rolling Stones deixam a Inglaterra rumo ao sul da França, por problemas financeiros junto ao fisco britânico.

 Keith Richards alugou a mansão Villa Nellcôte na qual, com ajuda dos estúdios móveis da banda, seria composto e gravado o álbum clássico Exile On Main St., de 1972.

Sticky Fingers foi um sucesso absoluto, alcançando, após seu lançamento, o topo das paradas americana e britânica de álbuns.

Formação:
Mick Jagger – Vocal, Violão e Guitarra, Percussão
Keith Richards – Guitarra, Violão, Backing Vocals
Mick Taylor – Guitarra e Violão (Taylor não participa em "Sister Morphine")
Charlie Watts – Bateria
Bill Wyman – Baixo, Piano Elétrico

Faixas:
01. "Brown Sugar" (Jagger/Richards) - 3:48
02. "Sway" (Jagger/Richards) - 3:50
03. "Wild Horses" (Jagger/Richards) - 5:42
04. "Can't You Hear Me Knocking" (Jagger/Richards) - 7:14
05. "You Gotta Move" (F. McDowell/G. Davis) - 2:32
06. "Bitch" (Jagger/Richards) - 3:38
07. "I Got the Blues" (Jagger/Richards) - 3:54
08. "Sister Morphine" (Jagger/Richards/M. Faithfull) - 5:31
09. "Dead Flowers" (Jagger/Richards) - 4:03
10. "Moonlight Mile" (Jagger/Richards) - 5:56

Letras:
Para o conteúdo das letras, recomendamos o acesso a: http://letras.terra.com.br/the-rolling-stones/

Opinião do Blog:
O Rolling Stones dispensa maiores comentários, basta que se pegue a discografia básica da banda e se dê uma ouvida. Vários clássicos da história do Rock And Roll foram compostos e gravados pelos ingleses.

Outra característica formidável é a longevidade da banda, mantendo-se ativa ao longo de quase seis décadas, gravando novos álbuns e fazendo muitas turnês, e, mesmo que não se seja fã, há de se reconhecer que eles sabem como poucos como se faz um grande espetáculo.

Sticky Fingers é um excelente trabalho da banda e que contém excelentes músicas. Inclui dois grandes clássicos da banda como “Brown Sugar” e “Wild Horses”, além de outras ótimas faixas como “Sway” e Moonlight Mile”.

Banda e álbum mais que recomendados, são obrigatórios.

Vídeos Recomendados:

Brown Sugar, ao vivo


Wild Horses, ao vivo


Sway, ao vivo



Sugestões, Críticas e Contato: rockalbunsclassicos@hotmail.com

2 comentários:

  1. Muuitoo legaal... e a música " Sway " foi a que mais gostei, ótima faixa !

    ResponderExcluir
  2. Muito bom mesmo, "Sway" é bem legal!

    ResponderExcluir