18 de agosto de 2011

BLACK LABEL SOCIETY - MAFIA (2005)



Mafia é o sexto álbum de estúdio da banda norte-americana Black Label Society. Seu lançamento oficial ocorreu no dia 8 de maio de 2005 com a produção a cargo do guitarrista e líder da banda, Zakk Wylde.

O Black Label Society foi a banda formada pelo guitarrista Zakk Wylde para lançar seus trabalhos compostos fora de sua carreira com Ozzy Osbourne e, desde que deixou de acompanhar o lendário vocalista, passou a ser sua principal atividade como músico.

A primeira vez que Zakk montou uma banda paralela à sua carreira com Ozzy foi em 1991, quando, na época, o vocalista anunciou a No More Tours, que seria sua turnê de despedida.

Junto ao baixista James LoMenzo e ao baterista Greg D’Angelo, Zakk formou a banda chamada Lynyrd Skynhead. Com esta formação a banda lança duas canções, “Farm Fiddlin”, uma canção bem no estilo ‘Southern Rock’ norte-americano e uma versão para o clássico “Baby Please Don’t Go”, sendo ambas lançadas em compilações.

Em 1994, Greg D’Angelo deixa a banda e é substituído por Brian Tichy. Ao mesmo tempo, a banda deixa o nome Lynyrd Skynhead e passa a se chamar Pride & Glory. Em maio de 1994, eles lançam seu álbum de estreia homônimo.

Em junho daquele ano, o Pride & Glory participa do Monsters Of Rock, na Inglaterra. O baixista LoMenzo deixa a banda após a turnê japonesa e pouco antes da parte norte-americana da mesma. O amigo de Zakk, John DeServio, é o substituto para completar a tour. No dia 10 de dezembro de 1994, o Pride & Glory faz seu último show, com a participação especial do guitarrista Slash (ex-Guns ‘N’ Roses) nas músicas “Voodoo Child” e “Red House”.

Já em 1996, Zakk Wylde lança um álbum solo, acústico, chamado Book Of Shadows, que obtém certo sucesso.

O primeiro trabalho lançado como a banda Black Label Society aconteceu em 1998, com o álbum Sonic Brew. Ficou decidido, antes que o trabalho fosse considerado mais um lançamento da carreira solo de Zakk, que o Black Label Society seria uma banda duradoura.

Em Sonic Brew, Zakk Wylde tocou as guitarras, baixo, piano e fez os vocais, sendo que apenas a parte relativa à bateria foi gravada por outro músico, Phil Ondich. Mas com o objetivo de tornar o Black Label Society uma banda duradoura, Zakk contrata o guitarrista Nick Catanese e o baixista John DeServio como membros da banda, começando uma turnê para divulgação do primeiro álbum.

Para o lançamento de seu segundo álbum, Stronger Than death, de 2000, mais mudanças na formação, com a saída de John DeServio e a entrada Steve Gibb em seu lugar. Contando com boas músicas, o álbum tem repercussão, incentivando o grupo a lançar um disco ao vivo.

Alcohol Fueled Brewtality Live!! +5, foi gravado de um show em Los Angeles, Estados Unidos, em 28 de outubro de 2000 e continha mais cinco faixas de estúdio, sendo lançado em janeiro de 2001. Já na gravação do show, o baterista era Craig Nunenmacher, o qual havia substituído Phil Ondich em julho de 2000.

Já em 2002, o ótimo 1919 Eternal é lançado. Algumas músicas desse álbum foram compostas por Zakk para o álbum Down To Earth, de Ozzy Osbourne, lançado em 2001. Mas Ozzy as considerou “too Black Label”, e Zakk acabou as usando em seu disco do Black Label Society. Neste álbum, Zakk deixa de tocar o baixo em algumas faixas, as quais contaram com a participação do ótimo baixista Robert Trujillo, que havia entrado na banda em 2001, substituindo Steve Gibb.

Em 2003, Robert Trujillo deixa o Black Label Society para se juntar como membro efetivo do Metallica, no qual permanece até hoje. Seu substituto, temporariamente, foi Mike Inez (que tocou com Zakk na banda de Ozzy Osbourne). Inez ficou com a banda durante a turnê de promoção do álbum The Blessed Hellride, mais um ótimo lançamento do grupo, de 2003.

Nos quatro primeiros álbuns de estúdio, Zakk Wylde tocou todos os instrumentos das músicas (exceto o baixo em poucas faixas de 1919 Eternal) que não fossem a bateria. Isto não ocorre no Hangover Music Vol. VI, o quinto álbum de estúdio do Black Label Society, lançado em 2004. O álbum é consideravelmente diferente dos anteriores, contando com músicas muito mais leves, por vezes acústicas. A esta altura, o baixista da banda já era James LoMenzo. Também foi o último álbum do Black Label Society lançado pela Spitfire Records.

O sexto álbum de estúdio é lançado pelo selo independente Artemis Records e do qual começa-se a falar, Mafia.

“Fire It Up”, uma das melhores faixas da discografia da banda é que abre o trabalho. Apresenta um riff muito pesado, vocais agressivos e bateria marcante. Excelente faixa, conta  com Zakk utilizando o efeito talk box na guitarra no início da música. O solo é excepcional.

Lançada como single, atingiu a 35ª posição na parada norte-americana. Vale à pena conferi-la, é um grande trabalho. A segunda faixa do álbum é “What’s In You”, uma canção com cerca de três minutos de duração e típica da sonoridade do Black Label Society.

A terceira faixa do álbum é mais uma conhecida música da banda, “Suicide Messiah”.  É outra canção que possui um riff bastante pesado, mas ao mesmo tempo cadenciado e marcante. Os vocais de Zakk fazem um ótimo trabalho, combinando de maneira bem interessante com o riff. O refrão é muito bom e o solo esbanja técnica e feeling.

Lançada como single, “Suicide Messiah” atingiu a 24ª posição da parada de singles. As letras da canção são sobre o vício em heroína do vocalista do Stone Temple Pilots, Scott Weiland.

“Forever Down” é outra ótima faixa com um riff bem composto, pesado, lento e marcante. Mais uma vez o trabalho de Zakk nas guitarras é soberbo.

“In This River” é outra das canções mais conhecidas da banda, possuindo uma das características marcantes de Zakk: sua grande capacidade de compor baladas incrivelmente tocantes e cheias de sentimento.

Quase toda ao piano, como acontece algumas vezes na discografia da banda, “In This River” é uma excelente faixa, que possui um solo de guitarra repleto de sentimento e técnica. É um dos pontos mais altos do álbum.

Embora tenha sido composta meses antes do trágico acontecimento, “In This River” foi dedicada à memória do guitarrista “Dimebag” Darrell Abbott (ex-Pantera e Damageplan) que foi brutalmente assassinado em dezembro de 2004. Zakk disse que ao ler novamente as letras, sentiu que era emocionante o suficiente para dedicar ao seu grande amigo e que pessoas próximas a Darrell ficaram satisfeitas com a homenagem.

Lançada como single, atingiu a 32ª posição na parada norte-americana correspondente. Há também um videoclipe promocional, que mostra algumas imagens de Darrell, incluindo duas crianças que simulam Zakk e Darrell como amigos de infância (o que, na realidade, é uma ficção, pois a amizade começou com ambos já adultos).

“You Must Be Blind” possui um riff bem forte e também um andamento bem mais rápido, tornando-se mais cadenciada no refrão. “Death March” mantém o alto nível do trabalho, sendo um pouco mais lenta, mas com bastante peso, outra ótima música. “Say What You Will” é uma faixa bem direta, contando com um bom riff rápido e inspirado.

“Too Tough To Die” é mais um bom trabalho do Black Label Society, possuindo um ritmo bem mais cadenciado, com apresentação interessante nos vocais de Zakk Wylde e outro ótimo solo. “Eletric Hellfire” possui vocais bem mais gritados no refrão e na introdução, embora não possua um riff rápido como outras canções do álbum. “Spread Your Wings” é mais uma ótima faixa bem heavy metal do álbum, outro excelente riff e grande inspiração na guitarra, tanto nos riffs quanto o solo.

“Been A Long Time” é mais uma ótima canção com riff bem pesado e Zakk trabalha muito bem seu vocal característico. Outro ponto alto do álbum. O solo é matador. Fecha o álbum a faixa “Dirt On The Grave” uma bela balada com muito sentimento, como Zakk sabe tão bem fazer.

Em outubro de 2005, o baixista James LoMenzo deixa a banda e meses depois se junta ao Megadeth. Seu substituto foi o baixista original da banda, John DeServio.

Mafia foi extremamente bem recebido, tanto pelo público quanto pela crítica especializada, vendendo mais de 250 mil cópias em seu lançamento, propiciando à banda a assinar contrato com uma grande gravadora, a Roadrunner Records, em 2006.

Mafia atingiu a 15ª posição da parada norte-americana de álbuns, um grande feito para um álbum lançado por um selo independente. Claro, com este feito, atingiu o topo da parada de sucessos que contabiliza apenas álbuns desta natureza.

Formação:
Zakk Wylde – Vocal, Guitarra, Baixo, Talk Box, Piano
James LoMenzo – Baixo em  "Say What You Will"
Craig Nunenmacher – Bateria

Faixas:
01. Fire It Up (Wylde) – 5:01
02. What's in You (Wylde) – 3:00
03. Suicide Messiah (Wylde) – 5:47
04. Forever Down (Wylde) – 3:39
05. In This River (Wylde) – 3:52
o6. You Must Be Blind (Wylde) – 3:27
07. Death March (Wylde) – 3:05
08. Dr. Octavia (Wylde) – 0:50
09. Say What You Will (Wylde) – 3:46
10. Too Tough to Die (Wylde) – 2:50
11. Electric Hellfire (Wylde) – 2:28
12. Spread Your Wings (Wylde) – 4:09
13. Been a Long Time (Wylde) – 3:07
14. Dirt on The Grave (Wylde) – 2:51

Letras:
Para o conteúdo das letras, recomendamos o acesso a: http://letras.terra.com.br/black-label-society/

Opinião do Blog:
O Black Label Society permitiu que o guitarrista Zakk Wylde expandisse sua criatividade como compositor, demonstrando sua enorme capacidade para criar canções cativantes.

Tanto compondo verdadeiros petardos do melhor estilo Heavy Metal quanto baladas acústicas, Zakk demonstra enorme sensibilidade enquanto compositor. Suas músicas possuem sempre a garantia de ótimo trabalho nas guitarras, visto que ele é um excepcional guitarrista, dos melhores de seu tempo.

Ao mesmo tempo, o guitarrista se mostra também um talentoso compositor de baladas, sejam acústicas ou não. Por toda a discografia da banda, Zakk apresenta ótimas canções deste estilo. Uma boa amostra disto está em “In This River”, presente em Mafia.

Por falar em Mafia, Zakk presenteia o ouvinte com um grande trabalho baseado em uma sonoridade calcada no Heavy Metal, de ótima qualidade. Canções como “Fire It Up”, “Suicide Messiah” e “Forever Down” são ótimos exemplos disso.

Mafia é um álbum muito bem recomendado pelo Blog, sendo o mesmo indicado para quem deseja conhecer o trabalho deste excelente músico da atualidade.

Vídeos Relacionados:

Fire It Up, ao vivo


Suicide Messiah, ao vivo


In This River, ao vivo


Forever Down


Contato: rockalbunsclassicos@hotmail.com

2 comentários:

  1. Noossaa... álbum excepcional !
    Fico até sem palavras quando se trata de Zakk Wylde... ele é um ótimo músico, sem deixar de comentar que ele destrói na guitarra...é autor de solos fodásticos,ele é muito foda ! \m/

    ResponderExcluir